Empresário dos ônibus preso tem relações com políticos

Atualizado às 19:30
 
Jornal GGN – Herdeiro do “Rei dos Ônibus”, o empresário Jacob Barata Filho foi preso na noite deste domingo (02) pela Lava Jato, sob a suspeita de pagar milhões de reais em propina a políticos do Rio de Janeiro. Além da influência no setor, o alvo da Operação também guarda relações com políticos ruralistas.
 
Jacob é sócio de diversas empresas de ônibus no Rio, o que trouxe a fama do nome ao empresário. A pedido de procuradores da força-tarefa da Lava Jato no Ministério Público Federal (MPF) e autorizado pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, ele foi detido no Aeroporto Internacional do Galeão, quando estava prestes a embarcar para Lisboa, em Portugal, com passagem apenas de ida.
 
Os investigadores monitoravam o empresário e solicitaram a detenção quando descobriram que Barata Filho havia comprado uma passagem apenas de ida à Europa, levantando a suspeita de fuga do país.
 
O empresário já tinha conhecimento que estava sendo alvo das investigações e portava consigo, dentro de sua bagagem, um ofício do banco informando que a quebra de seu sigilo bancário. A prisão iria ocorrer posteriormente, mas a possibilidade de fuga fez com que os procuradores antecipassem a Operação.
 
Herdando de seu pai os negócios do ramo dos transportes de ônibus no Rio de Janeiro, o patriarca Jacob Barata é fundador do Grupo Guanabara, e seu filho, agora preso, era um dos gestores das empresas de transporte de passageiros. 
 
Em nota oficial, a assessoria de imprensa do empresário afirmou que ele não estava fugindo, mas “realizando viagem de rotina a Portugal, onde possui negócios há décadas e para onde faz viagens mensais”. Os advogados decidirem se pronunciar somente após o acesso aos autos da investigação.
 
Relações de parentesco
 
O nome do empresário estampou o noticiário em 2013, quando foi realizado o luxuoso casamento da filha de Jacob, Beatriz Perissé Barata com Francisco Feitosa Filho. Em pleno ápice de atos contro o aumento das tarifas de ônibus no Brasil, manifestantes protestaram em frente ao Copacabana Palace, na zona sul do Rio, onde ocorria a festa de calculados R$ 2 milhões.
 
Entre os convidados presentes no evento, estava o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes. Ele do noivo Francisco, filho do ex-deputado federal cearense Chiquinho Feitosa, irmão de Guiomar Feitosa, a esposa do ministro. 
 
Consultadas, fontes ligadas a Gilmar informam que ele compareceu ao casamento apenas pelo fato de ser padrinho do noivo, não mantendo nenhum relacionamento com os Baratas.

10 comentários

  1. O que vai acontecer: a)Gilmar investigado b)Suspeito blindado

    Nossa… o que será que vai acontecer??? Essa situação “imprevisível” na justiça brasileira… como vão se comportar nossas autoridades nesse caso???

    Em 110% das vezes que algum suspeito teve ligação com os juízes… o juíz NUNCA teve o menor constrangimento em usar sua posição para garantir a liberdade total do suspeito… mesmo que esse suspeito esteja totalmente enrolado com as provas.

    Isso nos leva a outra pergunta:

    -E OS 20 CENTAVOS??? VAI CHEGAR EM SÃO PAULO ESSA INVESTIGAÇÃO??? A MÁFIA MAIS FAMOSA DE TRANSPORTE URBANO NÃO É PAULISTA???

    CADÊ O CATRACA LIVRE PARA COBRAR O MESMO RIGOR PARA SP???

  2. o problema dos amigos do Gilmar é com os que estão soltos

    este ai o STF – Sistema Tomaladacá Facilitavidaderico – já vai proteger e liberar da cadei

  3. E a Medíocre Crasse Méidia Brasirera não quer saber disto

    Não querem eleições diretas pois acredita que o povo é ignaro para votar, mas o pior e fonte de vários problemas é ignorar QUEM SÃO OS POLÍTICOS que se vendem (enganando seu eleitor) a estes compradores de políticos. Porque veja, fsp, estadao, folha, istoe não investigam e divulgam que são os 1.400 políticos comprados pel JBS?

  4. Contra ataque pela dupla derrota da semana passada:

    Reação já começou… acordão em plena marcha!

    Folha confirmou – com off 3 dias depois! – tudo isto aqui que antecipamos na quinta passada (!):

    ATENÇÃO: NÃO SEJA ENGANADO! MORO E DALLAGNOL – E A GLOBO! – FORAM DERROTADOS NO STF

    Ou:

    (título alternativo)

    “Tempos estranhíssimos: foi necessária a boca ~suja~ de Gilmar Mendes para lavar a alma do Estado democrático de Direito no STF”

    Por Romulus

    – Além da decisão do STF ser um NADA (“conteúdo”?)…

    – Esse NADA não se aplica a…

    – … NINGUÉM!

    – Sensacional, não?

    – Em resumo, o acórdão é uma…

    – … declaração de intenções (!)

    – Perfeitamente inócuo juridicamente, mas com uma mensagem “política” clara:

    (1) “Os Ministros do STF são um bando de frouxos”;

    (como bem disse Lula, grampeado por… Moro!)

    Que…

    (2) decidem… ~não~ decidir (!);

    E que…

    (3) enfrentarão o pepino das delações caso a caso (opa!), à la carte, sem definir uma regra geral ~clara~.

    Sabe qual a hashtag que isso tudo aí chama??

    #Acordão!!

     

    LEIA MAIS »

     

    http://www.romulusbr.com/2017/06/atencao-nao-seja-enganado-moro-e.html

    • contra….

      O inacreditável e imperdoável é que já havia toda esta merda no começo dos anos de 1980 (4 décadas). Então chega ao poder a redemocratização, democratas socialistas, socialistas, progressistas, tudo arquitetado e projetado numa Nova Constituição. Cidadã para nossa esperança. E todos creem num novo país, uma nova ordem. Talvez demore um pouco. Um governo ou dois. Uma década, um pouco mais. Mas a sua condição de explorado nas periferias irá melhorar juntamente com serviços públicos. As grandes capitais cresceram rápidas demais. Quantas 4 ou 5? Cidades do interior nem sabem o que é isto. Ònibus lotado? Não existe isto nestes municípios. Depois de 40 anos é a mesma realidade pelo interior do país. A mesma divisão da carcaça entre os abutres. As mesmas famílias, como esta do RJ, mantidas explorando serviços públicos, como Transporte Público,  por mais de meio século. Políticas de Estado em tarifas ou serviços são apenas para a garantia dos lucros e das extorsões dos agentes públicos. Exploração absurda da miséria nacional em tarifas ou taxas, enquanto juram buscar a melhoria dos serviços. O RJ é emblemático com a Família Barata e também o caso da SuperVia, explorando o transporte ferroviário. Entendemos então, a deterioração de umas das maiores malhas ferroviárias do planeta. Mais 40 anos?! Como um país pode perder tanto tempo e ser tão explorado, diante de tanta omissão? 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome