Memórias do Cárcere de Curitiba, por Luis Nassif

Ilustrações do livro Memórias do Cárcere

De um ex-hóspede do presídio de Curitiba:

O ex-deputado Eduardo Cunha chegou ao presídio com a certeza absoluta de que seria solto. Depois, fez de tudo para que aceitassem sua delação. Primeiro, mandou os advogados negociarem. Depois, tentou ele próprio. Em vão

Cunha passa os dias ou lendo a Bíblia ou estudando seu processo. Conhece tudo, especialmente o processo civil.

Quando o ex-Ministro Antonio Palocci foi transferido para as celas na Polícia Federal, alguns dos presos garantiram que ele estava negociando a delação. Cunha era o único que garantia que Palocci não deletaria, porque, nas conversas com Cunha, ele tratava delatores como escória da humanidade.

Cunha é um prisioneiro exemplar. Se dá com todo mundo, limpa banheiro, limpa sua cela, distribui comida aos colegas.

Ao contrário do que escrevi em um dos Xadrezes, o ex-hóspede duvida que Cunha mantenha influência no governo Temer. O mais provável é que Temer tenha se aproveitado da sua prisão para se apossar do controle da organização política.

Outro que se dava bem com todos era Marcelo Odebrecht. Muito formal, tinha uma compulsão por ginástica. Passava, em média, cerca de 8 horas por dia em sua cela.

 

25 comentários

  1. A emenda ficou muito pior do

    A emenda ficou muito pior do que o soneto. A minúscula e desimportante nota do Nassif hoje é um pequeno/grande enigma.

    Essa fonte que o jornalista usou para lhe dar informações não parece muito ciente dos fatos. Talvez tenha tido um sonho e não se apercebeu disso. 

    Por que o Nassif, com seu “espírito animal” de jornalista não daria o devido destaque a uma notícia dessa? Por que tentou, obviamente, camuflar o seu conteúdo com um título completamente fora do contexto? 

    Ouvi o relato do Romulus hoje cedo e acho que tem muito mais coisa nessa história do que sonha nossa vã filosofia. Afinal, quem no Brasil hoja acredita que Cunha esteja preso? Quem duvida da interferência dele no governo e nas ações de Moro?

    Corre atrás Nassif, ou a suposição do Romulus se confrmará, infelizmente. 

  2. Memórias do Cárcere de Curitiba

    também já estive com o fantástico Pai Uzeda. tive sorte, porque foi apenas uma vez. e ainda bem que eu estava acompanhado de uma amiga.

    muito esperta, assim que o Pai Uzeda nos pediu uma nota de R$ 50, ela rapidamente explicou: “Só tenho troco prá R$100”.

    Pai Uzeda no ato nos estendeu uma nota de R$ 100. ela abriu sua bolsa, pegou uma nota de R$ 50 e entregou ao Pai Uzeda. ele saiu rindo feliz da vida.

    esta minha amiga é meio vidente. falou que Pai Uzeda não tá com nada. disse também que Temer é um morto-vivo. e que Meirelles acha que é o Presidente, mas na verdade não manda nada.

    para minha estupefação, garantiu que Cunha organizava cultos no presídio, quase sempre com a presença de alguns dos procuradores da Lava Jato.

    também confirmou ser verdade que Cunha se encarregava de manter a higiene das celas, a qualidade da alimentação e um saudável ambiente fraternal.

    jurou que Cunha continua preso, tanto aos seus laços de famiglia quanto aos seus compromissos com os negócios.

    sei lá… entender vidente às vezes é muito complicado.

    • Memórias do Cárcere de Curitiba

      comentei com minha amiga sobre a repercussão provocada por este post do Nassif. fiquei de passar para elas todos os links. mas ela retrucou não ser preciso.

      revirou os olhos, entrando num transe, para em seguida, muito inesperadamente, incorporar o fantástico Pai Uzeda. iniciei o procedimento de exorcismo. mas Pai Uzeda não queria de jeito nenhum abandonar aquele corpo que não lhe pertencia. como um ransomware, exigiu resgate em Bitcoins.

      esta minha amiga é mesmo muito talentosa. possui também grande conhecimento hacker. de alguma forma já estava preparada para aquilo. tudo não passava de uma armadilha. quem acabou infectado com um trojan foi o próprio Pai Uzeda. agora gira o mundo por aí, sempre atrás das notas de R$50.

      sobre a pergunta de US$ 5 milhões, “Onde está Eduardo Cunha?”, ela sorriu enigmaticamente e apenas sugeriu o vídeo abaixo.

      vídeo: “INFERNO”, Yael Bartana

      [video: https://www.youtube.com/watch?v=nI0laxLcDkU%5D

      .

+ comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome