Policial envolvido na morte de Marielle recebeu depósito de R$ 100 mil, diz Coaf

Além da movimentação financeira suspeita, PF apreendeu uma lancha, automóveis (entre eles um Infinity avaliado em R$ 150 mil), e a casa em um condomínio de luxo, utilizadas por Ronnie Lessa. Todos esses bens são incompatíveis para um policial militar reformado, alerta o Ministério Público.

Imagem: Reprodução/TV Globo

Jornal GGN – O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) identificou um depósito de R$ 100 mil em dinheiro na conta de Ronnie Lessa. O policial reformado foi denunciado pelo assassinato de Marielle e Anderson.

Na terça-feira passada (12), Lessa e o ex-policial Élcio Queiroz foram presos durante a Operação Lume, realizada pela Polícia Civil e o Ministério Público do Rio de Janeiro para investigar os assassinatos da vereadora e do motorista, que completaram um ano nesta quinta-feira (14).

Segundo relatório do Coaf, citado pelo Ministério Público, o depósito de R$ 100 mil na conta de Lessa foi feito na boca do caixa, no dia 9 de outubro de 2018, sete meses depois do crime.

As prisões de Lessa e Queiroz foram decretadas pelo juiz Gustavo Kalil, da 4ª Vara Criminal, a pedido do MP. Ele também determinou o bloqueio de bens dos dois acusados para garantir a indenização por danos morais e materiais às famílias da vereadora e do motorista. Daí o pedido do relatório do Coaf.

Além do bloqueio nas contas dos acusados, a Justiça apreendeu uma lancha em Angra dos Reis, em nome de um amigo de Ronnie, que seria “laranja”, automóveis do PM (entre eles um Infinity avaliado em R$ 150 mil), e a casa dele no mesmo condomínio de luxo onde o presidente Jair Bolsonaro tem residência, na Barra da Tijuca.

O MP pondera que todos esses bens são incompatíveis para um policial militar reformado.

Ao todo, a Operação Lume cumpriu 50 mandatos de prisão, um deles na casa de um amigo de Ronnie onde foram encontrados 117 fuzis M-16 incompletos desmontados. Os investigadores também encontraram armas na casa do policial reformado e uma pistola em poder de Queiroz. Com as novas descoberta, a polícia abre investigação sobre o envolvimento de Lessa com o tráfico de armas.

Leia também:  Lewandowski aceita HC coletivo que beneficia Lula, mas caso irá ao plenário

Os dois devem prestar depoimento nesta sexta-feira (15) sobre o atentado de Marielle, em seguida serão levados a Bangu 1. Apesar de não terem resistido no momento em que foram detidos, eles negam participação no crime.

Leia também: As conexões entre os Bolsonaro e milicianos presos pelo assassinato de Marielle Franco

Como atirador foi identificado

A promotora de justiça e coordenadora da Coordenação de segurança e inteligência, Elisa Fraga, explicou à imprensa que a inteligência chegou até Ronnie Lessa a partir de três frentes de trabalho.

“Uma desenvolvida na divisão de inteligência, com agentes de campo. Uma outra que trabalhamos com a ação telemática, em conjunto com agentes do Gaeco: analisamos o conteúdo que recebemos dos provedores. A terceira é através da divisão de evidências digitais e tecnologia”.

Com a quebra do sigilo de dados, o Ministério Público conseguiu acessar o armazenamento das pesquisas que Ronnie Lessa fez pela internet do seu celular e descobriu que o PM monitorava a agenda de eventos de Marielle. Além disso, uma imagem, em especial, gerada por uma câmara de infravermelho foi fundamental para a identificação do biotipo do atirador. A partir dela, os investigadores traçaram um perfil físico que levou até Ronnie. Elisa conta ainda que a equipe usou uma técnica de luz e sombra para identificar que não havia nenhum passageiro no banco da frente do carro usado pelos criminosos.

“Nesta imagem obtida, havia um braço direito do atirador. Fizemos a análise e com a comparação de outras imagens do Ronnie Lessa, observamos uma compatibilidade do réu com o atirador”, disse Elisa.

Leia também:  Moro, a obscura face da maldade aos poucos é revelada, por Sergio Medeiros

Ainda, segundo os investigadores, por volta das 17h24 da noite do crime, câmeras filmaram o Cobalt prata utilizado no assassinato de Marielle e Anderson próximo ao Quebra-Mar, na Barra. O veículo foi novamente filmado por volta das 18h45 na Rua dos Inválidos, onde Lessa e Élcio aguardaram pela saída da vereadora de um evento na Casa das Pretas.

Por volta das 21h10, o carro onde estavam Anderson e Marielle foi fechado pelo Cobalt, na Rua Joaquim Palhares, no Estácio. Cerca de treze tiros foram disparados do carro prata executando a vereadora e o motorista.

Leia também: Um ano sem Marielle Franco: o que dizem as investigações sobre sua morte e um pouco de seu legado

*Com informações do G1

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. atenção nassif
    faça o cruzamento com o texto abaixo que saiu na cronologia da exoneração da família queiroz..
    08/10/2018 – termina o primeiro turno das eleições e o deputado estadual Flávio Bolsonaro é eleito senador. Pelo Twitter, recebe os cumprimentos piedosos do juiz Marcelo Bretas, titular da Operação Cadeia Velha. “Parabenizo os novos Senadores, ora eleitos para representar o Rio de Janeiro a partir de 2019, Flavio Bolsonaro e Andrade de Oliveira. Que Deus os abençoes!” Ao que responde o piedoso Flávio: “Obrigado, Dr. Bretas e que Deus nos dê muita sabedoria, todos os dias, para fazermos a Sua vontade!”.

  2. Há Coxinhas preocupados com o Andérson, motorista da Marielle, assassinado juntamente com ela pelas milícias bolsonarianas. Alguns Burrominions estão dizendo que só se fala do assassinato da Marielle, não se falando no assassinato do Andérson.
    Esses Burrominions estão advogando a causa do Andérson não por amor a ele, mas por ódio à Marielle.

    PS. Um Eleitor do Bolsonaro no segundo turno e do Ciro no primeiro turno diz que tá arrependido de ter votado no Bolsolixo e diz que é muito provável que tenha sido o Flávio Bolsonaro o mandante do assassinato da Marielle. Outro eleitor arrependido do Bolsonaro questiona que o Bolsonaro falava com todos os moradores do seu condominio e agora nega conhecer o Ronnie Lessa.

  3. prestem atenção ás camisetas que os 2 assassinos estão usando.
    na do atirador está escrito “i will protect this house” (eu protegerei esta casa) e a do motorista “home of the brave” (terra dos bravos)
    ambas são da “under armour” (sob armadura ou protegido por armadura) empresa americana amplamente usada por alt-right, white supremacy e tudo o mais de lixo tóxico fascista. o dono da empresa é um ardoroso defensor do trump e tem que ficar dia sim, dia também, se defendo nos jornais…

    tem algo mais miliciano que isso?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome