O grão de ferrugem que me deita, por Romério Rômulo

Se a vida te prende na desfeita / há um duelo do mundo que te mata

Alice Pasquini

O grão de ferrugem que me deita

por Romério Rômulo

1.
O grão de ferrugem que me deita
tem a força da luz que me amarra
2.
Se a vida te prende na desfeita
há um duelo do mundo que te mata
3.
Cabe à fêmea guardada de insuspeita
sobre o macho prosaico que te castra
4.
Pelo grão de uma forma insatisfeita
numa estrada venal que te maltrata
5.
O instante, por belo e rarefeito
Sempre vinga, distorce e arremata.

Romério Rômulo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora