Início Tags Poesia

Tag: poesia

Uns idiotas me pararam, por Romério Rômulo

só eles sabem e eu nem sou a revelação de um segredo.

Não consigo me livrar desse poema, por Romério Rômulo

o medo que me promete a explosão da carne é o medo da pele que me come e eu não vejo.

A musa te arquiva entre os devassos, por Romério Rômulo

a musa é a dura madrugada que te consome a carne numa espada

Por todos os vilões que me abatem, por Romério Rômulo

O vento que tempera seus cabelos por muito menos rende-me os amores

Caravaggio, 1, por Romério Rômulo

o meu suor é um extrato de serpente rasgado pela noite mal dormida

Livros de Amanda Gorman, que recitou na posse de Biden, lideram vendas

Amanda Gorman conquistou a admiração dos americanos e seus livros ainda inéditos foram parar no topo da lista de reservas da Amazon

Carta a Caravaggio, 4. Por Romério Rômulo

sobra ser um amante calejado de amores e estradas carcomidas

Trago meu cavalo doido, por Romério Rômulo

pro cariri vou agora, me declaro a essa senhora e caso no mesmo dia.

Fazendeiro do ar, por Romério Rômulo

fazendeiro de fazendas, mistura de pano e rendas, de bois, jumentos e éguas.

Só a estirpe dos canalhas me ama, por Romério Rômulo

As águas que me lavam são um pedaço do escuro.

Procuro deuses que me bebam/E sambem, por Romério Rômulo

Sou a amargada visão de um calafrio / Num corpo ancestral e delinquente.

Joaquinas&Anas&Alices, avós, por Romério Rômulo

As avós só me deixaram / Os atos dos seus segredos

Eu não vi Clarice/E deixo aqui minha paixão, por Romério Rômulo

Clarice entregou seu rosto / A Carlos Scliar: / Ele a deduziu em amarelo.

Maradona/Nas abas do coração, por Romério Rômulo

Chegava ao campo de cena / Mijava logo na grama / Que a vida só vale a pena / Se tiver alguma lama.

Assim perdi a luz dos meus domínios, por Romério Rômulo

Você foi agonia / Eu fui açoite.

Serei belo e infeliz, poeta e cão, por Romério Rômulo

Vou ser plural e singular, muito mais belo / Que os cavalos febris de Salomão

Te dizer minha manhã incendiada, por Romério Rômulo

Quanto sobra de brilho em cada / Corpo revelado noite?

O amor sempre foi fera q me habita/Byron é a minha surpresa, por Romério...

Seu amor seguiu o rastro / Todo rasgado na lua

Me falta tempo pra morrer agora, por Romério Rômulo

Quanto de ti eu bebo nestes sais / De lamas e amores que não mais?

A vida por aqui é só um traço, por Romério Rômulo

Carrega a lassidão, feita u'a imagem / Armada nas carcaças do degredo.

Leia também

Últimas notícias

GGN