tua mão que endurece, por romério rômulo

tua mão que endurece

por romério rômulo

 

teu grito mutilado, um elo solto

da substância vil que sempre morre

teu osso atormentado, aço e esgoto

tua mão que endurece e não socorre

 

escondem visgos de vida decantada

nas sobras da tua carne que escorre.

 

romério rômulo 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora