A volta do parafuso: cai a blindagem dos Bolsonaro na Justiça

O impeachment ainda é matéria difícil, por exigir 2/3 de votos na Câmara. Mas, no campo jurídico, a nova volta do parafuso vai destravar todas as investigações em curso, inclusive aquelas conduzidas pelo Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro.

Foto: Reprodução

A opinião pública, na mídia, mas especialmente nas corporações públicas são extremamente suscetíveis aos movimentos de manada. Cria-se o movimento em uma direção. A manada vai atrás, endossando.

Não sei a terminologia das boiadas autênticas. No caso da boiada da opinião pública, há um conjunto de personagens padrão.

Na frente, vai o boi condutor, liderando o estouro. Até que vai se aproximando de um precipício. Surgem os radares, sinalizando o perigo, mas não sendo ouvidos de cara. Até que os fatos vão ficando mais nítidos. O momento de inflexão ocorre quando o boi-de-ocasião, que só joga na certeza, endossa a mudança de rumo.

No Brasil, durante algum tempo o boi condutor da manada Bolsonaro foi a Lava Jato. Os bois radares eram aqueles que, sabendo como tudo iria terminar, alertavam para o perigo. E os bois-de-ocasião aqueles que aderiram oportunsticamente ao movimento, mas estavam prontos a pular do barco no primeiro sinal concreto de virada.

A melhor maneira de prever os movimentos de manada é acompanhar o boi-de-ocasião. A figura pública que, para mim, melhor representava esse tipo é o Ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Antes de ontem, quando ele se pronunciou no Twitter em defesa da democracia,  evocando Martin Luther King, mesmo com o cuidado de não focar a crítica diretamente a Bolsonaro, deu a prova definitiva da mudança dos ventos.

É verdade que, antes dele, houve um festival de manifestações de repúdio, de juízes da Afufe (Associação dos Juízes Federais) aos juízes da ABJD (Associação Brasileira dos Juristas pela Democracia), da AMB (Associação Brasileira dos Magistrados) ao Conamp (Conselho Nacional do Ministério Público). Ou seja, o público que ele politizou com suas catilinárias contra a corrupção e a favor da politização do Judiciário em busca do novo iluminismo. Um líder não pode ser atropelado pelos liderados.

Leia também:  Da Globo à Netflix, crise e transformação no mercado de mídia, com Samuel Possebon (TV GGN)

Os ventos sopraram tão velozmente que despertaram até grandes procuradores tuiteiros, como Deltan Dallgnol e Roberson Pozzobon que, em seus Twitters, depois de meses de silêncio antes os absurdos bolsonarianos, cometeram a suprema ousadia de… retuitar a nota do Conamp em defesa da democracia. Depois, a próprio Lava Jato – que se considera uma instituição, não meramente uma operação – soltou uma nota em defesa da democracia.

Dois episódios, finalmente, definiram com clareza mediana o novo posicionamento da Justiça ante os Bolsonaro e o seu rompimento com o bolsonarismo.

O primeiro, a manifestação do Ministro Felix Fischer, o lavajateiro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negando a suspensão das investigações sobre as rachadinhas de Flávio Bolsonaro, e afirmando – em sua sentença – haver sinais evidentes de ilícitos praticados pelos investigados.

O segundo, a decisão do Procurador Geral da República Augusto Aras de pedir ao STF investigações criminais contra os organizadores das marchas em defesa do AI5. Não é pouca coisa. Afinal, vai-se investigar, por suspeita de crime, os organizadores de uma manifestação apoiada explicitamente pelo presidente da República Jair Bolsonaro. E, com alta dose de probabilidade, organizada pelo seu entorno.

Some-se o pedido de afastamento de Bolsonaro pedido pelo PSOL e encaminhado pelo Ministro Marco Aurélio de Mello para a PGR.

O impeachment ainda é matéria difícil, por exigir 2/3 de votos na Câmara. Mas, no campo jurídico, a nova volta do parafuso vai destravar todas as investigações em curso, inclusive aquelas conduzidas pelo Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro.

Leia também:  Ministério não compra insumos, e Brasil tem mais testes armazenados do que feitos até agora

Rachadinha, ligações com milícias, morte de Marielle Franco, celulares de Adriano dia Nóbrega, perícia nos computadores do condomínio Vivendas da Barra, uso da Polícia Federal para intimidar o porteiro, tudo isso está na bala da agulha dos procuradores, podendo ser disparado a qualquer momento.

Some-se a isso o fato óbvio de que a família Bolsonaro, a mais perfeita tradução do filme “Amargo Pesadelo”, não irá parar em suas tentativas de fomentar rebeliões contra as instituições.

Haverá muito mais emoções pela frente.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

22 comentários

  1. Perfeitas palavras. Agora, cá entre nós, tirar Deliverance do fundo do baú para comparar os Bolsoloucos com os crazy and creepy yokels dos fundões da Georgia foi demais.
    Adjetivar essa turma e coloca-los no contexto certo é mesmo um desafio. Parabéns, você se saiu muito bem nessa.

  2. A pergunta que não quer calar: por que dependemos de criaturas tão ignóbeis pra que se processe o óbvio? Pior, por que depender da mesma chusma sem a qual nada disso estaria em efeito? E uma curiosidade quase mórbida, desculpem a ignorância, mas crime de responsabilidade só se aplica ao cargo máximo da República?

    11
  3. Nassif,Nassifeeee,é tudo propaganda tipo psicologia reversa,só para ganhar a simpatia do povo, estes são os responsáveis pela desgraça da ascensão ao poder deste GOVERNO MILITAR FINANCEIRO,até os militares agora são os defensores da democracia(muitos da época do “movimento”(ditadura)de 64,kkkkk,o Bolsonaro precisa ser DESESPERADAMENTE antisistema para motivar os seus fanáticos (via redes bondosas bolsonarianas zap/you/face)pq isso atrai simpatias,mas a realidade é q quem está sendo perseguido pelo sistema/Instituições/órgãos do governo é o povão,Nassif,nada de efetivo tá acontecendo e o governo Bolsonaro é puramente incompetente (de propósito?)bem melhor será deixar Bolso governar e os q o apoiam se desgastar/desmoralizar definitivamente, daí o desespero da mídia em geral,pq cada vez mais têm q mentir mais mais sobre a real situação do País,como um buraco sem fundo da mentira/manipulação,se o PT entrar nessa de PROTAGONISTA dança (acho)Quem sempre foi o espantalho maior? Reparem q Bolso FORÇA AS SITUAÇÕES,fiquem ligeiros e não caiam em provocações,ajam sei lá como!
    Obs: Muito bom ver artigos do Nassif com sua valorosa cabeça de menino criado no interior !!

    13
  4. Até o medo da esquerda, mais precisamente do PT, foi deixado de lado pela elite golpista do país na sua oportunística defesa da democracia.

    O que apavora essa gente é que o gado de balsonaro representa os bárbaros, incultos e sem educação, eles são como gafanhotos numa plantação.

    A elite conservadora quer manter seus privilégios de classe mas já valia que o preço a pagar é muito alto e que a turba fanatizada pode lá adiante chegar nela.

    12
  5. Que ótima análise. Concordo… também me surpreendeu a manifestação do ministro Barroso. Há de ser uma mudança nos rumos.

  6. Talvez o único jeito de tirar Bolsonaro sem que esse promova um banho de sangue – que aconteceria em um impeachment, pois o Boçal agitaria as PMS estaduais a se manifestar a favor dele e deixar claro que eles iriam para guerra em quem tentasse tirá-lo do poder – seja fazer uma chantagem usando os filhos, os únicos entes políticos que ele (talvez) não deixaria ferido pelo meio do caminho ou daria um tiro na nuca (como fez com Bebiano). O acordo seria Bolsonaro 00 renunciar (lembremos que o vice não é Roosevelt, mas o Mourão) e automaticamente isso dará uma anistia informal a todos os seus filhotes, principalmente o enrolado Flavio.

  7. Mudança de rumo?Que rumo?
    O sujeito que está na presidência da República está de tal forma encastelado lá que,para sua deposição seria necessário acabar com as forças armadas,notadamente, o exército brasileiro, tamanha a ocupação dessa gente na máquina pública, um aparelhamento sem igual na história do país.
    O sujeito se faz de sindicalista para a baixa oficialidade e de pai para os generais.
    Enfim,quem não queria que o Brasil virasse uma Venezuela, agora grita para que vire.
    Essa gente que parece que está mudando de opinião só servirá para ter a opinião unânime da sociedade contra eles.
    Aqueles que já os enxergavam como párias continuarão a fazê-lo mas agora associados aos que antes os idolatravam.

  8. Vamos ver qual vai ser a resposta do STF ao novo pedido de suspensão da CPI das Fake News. Fazer esse pedido praticamente no dia seguinte ao show de insanidade e a flagrante demonstração de submissão do Exército, ao permitir a deplorável baderna de incitação a inconstitução sinalizou como um debochado teste para tirar proveito de um possivel temor do STF. Ao mesmo tempo que essa cortinas de fumaça faz efeito, o governo tenta liberar a fiscalizar de armas e munição – tenta liberar dados pessoais da população e protegidos por lei e faz teatrinho para mídia quando um figurante pede mais fechamentos e leve uma bronca do super patriota e incansável defensor do STF, Jair Messias Bolsonaro. Qual o objetivo que está por trás de tudo isso?

  9. Nassif vc é um otimista incuráve.. Espero que esteja certo desta vez e que o país se livre desse clan abominável. Nos tornamos na própria nao da insensatez.

  10. Nassif vc é um otimista incuráve.. Espero que esteja certo desta vez e que o país se livre desse clan abominável.

  11. Concordo.
    Inclusive, podemos concluir q o fato de manter o rapaz no Planalto tb é uma jogada no sentido de passar a ideia de q as coisas estão acontecendo dentro da normalidade institucional.
    Assim, nossos engravatados e engravatados togados ensinam q as coisas não podem ser levadas na correria, uma vez q, segundo eles, legislativo e judiciáro não podem atropelar os ritos e os prazos.
    No fim das contas (lá bem lonjão no tempo e no espaço), o cidadão ainda vai sair fortalecido, pois, com base em uma ação mediana da pgr, feita sob medida pra não surtir maiores efeitos, poderá dizer q foi investigado e processado, mas nada se confirmou contra sua figura de verdadeiro patriota e humanista.
    Portanto, arquive-se…

  12. Espero que sim,mas, não acredito que as instituições esteja funcionando. Essas manifestações,parecem mais,jogo de cena que opinião acerca de qq coisa.

    Congresso e STF,já estão fechados,faz tempo. Obviamente, que enquanto houver interesse para aprovação de aberrações anti-trabalhistas e anti-Brasil, ficam”abertos” para simulação democrática. De resto, a inação das instituições não tem a ver com prevaricação, ideologia, covardia,etc… O regime já está fechado e,por isso, essas notas “imbecis e protocolares que os “presidentes” soltam manifestando-se contra as insanidades de Bozo & filhos,são tão superrficiaís. São redigidas pelo tal conselho militar que está governando para criar o sentimento de movimento e “normalidade política.
    Por outro lado, não se vê a oposição ao governo,em lugar nenhum, até nas redes sociais, os líderes de oposição são sabotados. Os institutos de pesquisa dão conta de uma “aprovação” a Bolsonaro ( suposto governo) que se traduz,em algumas centenas de motoristas,num país de 200 milhões de habitantes.Esses apoiadores agem sob proteção da polícia,pronta para agir quem não estiver de acordo com eles.

    Bozo e Filhos, ficam, oficialmente mantidos nos cargos, apenas como animadores de torcida, ora alimentando os seguidores,ora atacando desafetos para produzir material para o gabinete do ódio fornecer para disparos nas redes sociais.

    O regime já está fechado. Estamos num governo militar e, por isso, não sabemos e não saberemos o número de casos e óbitos por covid-19.

    como a pandemia está sendo usada, aqui e no mundo para “justificar” a derrocada,muito anterior do neoliberalismo, virou alvo da disputa política e enrolou um pouco a estratégia militar. Se, o mundo já enxerga governos militares sem qq respeito, devido Ao grau de autoritarismo e violência,com muito mais razão,isolaria, esse governo se lançasse mão de práticas genocidas.É nesse sentido que a figura de Bozo é cara ao militares. O governo é dos militares mas o genocida, vendido ao mundo é Bolsonaro. O governo é dos militares mas, quem acusa os médicos do AM de assassinato é o filho do Bozo. O governo é dos militares mas quem propõe as carreatas da morte são os apoiadores do Bozo. O governo é militar mas quem quer salvar a economia no lugar de vidas é o ministro do Bolsonaro.

    O mundo ocidental já estava quebrado, antes da pandemia. A pandemia colocou as pessoas dentro de casa. Enquanto estão em casa, preocupadas em não morrer, não podem se dar conta da quebradeira neoliberal e, seus efeitos e, sobretudo,reagir à ela,nas ruas.

    Isso vai passar e voltaremos ao mundo normal. Não podemos nos esquecer que no mundo “normal”,continuamos com milhões de desempregados, o país vilipendiado, instituições fechadas ( ou melhor, a serviço dos interesses políticos da junta que tomou o governo) e manteve Bozo fantoche.

    O covid-19,vai passar, o que já vem acontecendo no mundo, antes dele, ainda vai demorar muito pra mostrar seus efeitos.

    E, por aqui. Não tenho qq ilusão. O regime já está fechado. seguem as notinhas oficiais, até que a figura de Bozo não seja mais necessária na simulação de democracia.

  13. No domingo, as “vivandeiras de bivaques estavam alvoroçadas, bolindo com os granadeiros” (Pres. Castelo Branco, em agosto de 1964, na ECEME).

  14. Cunha foi libertado pra juntar sua turma pra puxar o Centrão pro Bozo. Exumaram Bob Jeff e Barroso pra colaborar com o chefe Cunha e ver o que conseguem comprar pra tirar Bozo da saia justa. Mais um pouco e Fux, tb vai aparecer.

  15. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome