Advogado ligado a Flávio Bolsonaro multiplica capital de chocolateria

Loja de Victor Granado Alves e sua esposa elevou capital por nove vezes em um período de dois anos; advogado é peça-chave em dois casos envolvendo o senador

Foto: Reprodução

Jornal GGN – Uma loja de chocolates do advogado Victor Granado Alves e sua mulher, a advogada Mariana Frassetto Granado, aumentou seu capital social por nove vezes em apenas dois anos. Granado Alves foi assessor de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro entre 2017 e 2019, e é investigado pelo Ministério Público no caso da “rachadinha” junto com o atual senador e o ex-assessor Fabrício Queiroz.

Segundo informações do jornal O Globo, Granado Alves e a esposa são donos da franquia da marca Kopenhagen que fica na Avenida Nilo Peçanha, no Centro do Rio de Janeiro. A empresa está registrada como “Damas do Chocolate” e foi aberta em 2007 no shopping Via Brasil, na Zona Norte, e posteriormente transferida para o Centro da cidade.

Em 2008, foi registrado o primeiro aumento de capital social da empresa, de R$ 50 mil para R$ 200 mil – “aumento este proveniente de recursos próprios dos sócios”, segundo documentação entregue por Granado e a mulher à Junta Comercial do Rio em 1º de junho de 2018.

Em 10 de fevereiro, quando transferiram a loja, o casal comunicou à Junta Comercial, por meio de ofícios, um novo aumento no capital: “246.146,00 já aportado na empresa em moeda corrente do país anteriormente”. Além disso, os dois informaram que irão aportar outros R$ 34,5 mil nos próximos 12 meses. Com isso, o novo capital se tornou de R$ 480.646, um aumento de 860% em dois anos. A loja da Rua Nilo Peçanha foi inaugurada antes dos decretos de restrição de mobilidade social no Rio de Janeiro.

Leia também:  Wassef diz guardar provas de relação com Bolsonaro

Granado Alves é apontado como peça-chave para duas investigações que envolvem o senador. Alves teve o sigilo bancário quebrado na apuração do Ministério Público do Rio (MP-RJ) sobre a “rachadinha” no gabinete de Flávio, e ainda pode ter testemunhado o vazamento de informações da Operação Furna da Onça para a equipe do parlamentar.

 

Leia Também
O “vídeo bomba” e a largada para 2022, por Eduardo Borges
Em outro vídeo, Bolsonaro admite interferência para se proteger
A vida pregressa de Moro: GGN investiga a trajetória do ex-juiz com ajuda de leitores

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

4 comentários

  1. Nassif: esse cara é totalmente incompetente. Onde já se viu, com respaldo da MilíciaDoTanque, da influência dos moradores do CondôminoDaBarra, do amparo dos Sabujos do PríncipeParisiense e dos VerdesSauva, em todo esse tempão só consegue abocanhar essa ninharia? Tem mais e que ser preso, por envergonhar a classe negocial em que se inseriu.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome