Após ajuda de Fux, ação do powerpoint deve ser arquivada hoje

Punição que restava a Dallagnol era a demissão, mas precisaria de reincidência. Semana passada, Fux suspendeu a pena para efeito de reincidência em novos julgamentos contra o procurador

Jornal GGN – Depois de ser adiada por 44 vezes, a reclamação da defesa de Lula contra Deltan Dallagnol por causa do uso de um powerpoint na denúncia à imprensa do caso triplex deve retornar à pauta do Conselho Nacional do Ministério Público. Para, depois de anos de adiamentos consecutivos, ser arquivada. É o que informa a jornalista Mônica Bergamo nesta terça (25).

A única pena que a reclamação poderia render a Dallagnol é a demissão do cargo, que expira em setembro de 2020. Todas as demais advertências já prescreveram.

Segundo Bergamo, a pena de exoneração já não pode ser aplicada também, graças a uma movimentação do Supremo Tribunal Federal que blindou Dallagnol.

É que para ser demitido, “o procurador precisaria ser reincidente, ou seja, já ter outras punições em sua ficha.​ Dallagnol tinha – ele já sofreu advertência por ter dito que ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) aparentavam agir com leniência diante da corrupção. Na semana passada, no entanto, o ministro Luiz Fux, do próprio STF, suspendeu a pena para efeito de reincidência em novos julgamentos contra o procurador.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora