Bolsonaro cogita Noronha, do STJ, para vaga de Celso de Mello

Noronha foi quem concedeu prisão domiciliar a Fabrício Queiroz e, sobre o ministro, Bolsonaro já disse que foi "amor à primeira vista"

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio de Noronha, recebe o presidente eleito Jair Bolsonaro. Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – Jair Bolsonaro tem sentido “resistência” entre ministros do Supremo Tribunal Federal a respeito da indicação do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Jorge Oliveira, para a vaga de Celso de Mello, que adiantou a aposentadoria na Corte para 13 de outubro.

Segundo a Folha de S. Paulo desta terça (29), o nome do governo Bolsonaro que mais agrada os ministros do STF é André Mendonça, ministro da Justiça, pelo notável saber jurídico. Oliveira não atende a este critério e, por isso, Bolsonaro já estuda convidar o ministro do Superior Tribunal de Justiça, João Otávio Noronha, para o cargo.

Além de trajetória consolidada no Judiciário, Noronha tem a simpatia de Bolsonaro. Na posse de Mendonça, Bolsonaro disse que sentiu “amor à primeira vista” em relação a Noronha. O ministro foi quem, no plantão do STJ, concedeu a prisão domiciliar a Fabrício Queiroz, amigo dos Bolsonaro e pivô do escândalo das rachadinhas.

Bolsonaro pensou em alojar Oliveira no STJ para ganhar experiência, mas isso independe de seu desejo. “Uma nomeação ao STJ envolve variáveis que não estão sob o controle do presidente. A lista de nomes, por exemplo, é definida pela OAB (Ordem dos Advogados do Brasil)”, lembrou a Folha.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora