Bolsonaro diz que acabou com ‘pacotes de maldades’ contra agronegócio

Em gesto à sua base eleitoral, presidente cita medidas de preservação cobradas por outros países, e que Ministério do Meio Ambiente 'não atrapalha' setor

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro deu mais um sinal de apoio ao agronegócio nesta sexta-feira (16/10) ao afirmar que os produtores não serão mais afetados pelo chamado “pacote de maldades”, referindo-se medidas ligadas à preservação do meio ambiente incentivadas por outros países.

Segundo o jornal O Estado de São Paulo, Bolsonaro citou em seu discurso um encontro que teve com um chefe de Estado europeu (que não citou), onde teria dito que o Brasil “havia mudado” e não mais aceitaria imposições que afetassem o homem do campo.

Além disso, o presidente ressaltou que sua gestão “não cria dificuldades” para o agronegócio e ele e os ministros são “um parceiro de peso” para o setor. “O nosso Ministério do Meio Ambiente, do Ricardo Salles, é um ministério que realmente não atrapalha a vida de vocês. Pelo contrário, ajuda e muito. Relembrem, há algum tempo, como Ibama e ICMBio tratavam vocês e como esse tratamento hoje em dia é dispensado. Nós não criamos dificuldade”, declarou.

Contudo, Bolsonaro não comentou sobre a prorrogação da cota de importação de 187,5 milhões de litros de etanol produzido nos Estados Unidos sem imposto por mais 90 dias – manobra criticada pelo setor brasileiro e comemorada pelo governo de Donald Trump, que tenta se reeleger presidente.

 

Leia Também
Como Bolsonaro provocou demissão no Facebook
Giro GGN Queimadas: Biomas brasileiros já perderam 226.485 km² para o fogo
EUA: Biden volta a defender Amazônia, em sabatina nesta quinta
Transparência Internacional denuncia retrocessos de combate à corrupção em governo Bolsonaro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Salvador é a capital brasileira que mais rejeita Bolsonaro, aponta Ibope

3 comentários

  1. Pois é, pessoas más impediam os fazendeiros de destruir florestas, biomas, de invadir terras indigenas, de usar agrotoxicos proibidos.
    Pura maldade contra estes bons brasileiros.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome