Delegada da PF tentou adiar operação contra aliados de Bolsonaro

Ela também esboçou preocupação com a demora da PF em analisar os dados, provocando um "risco desnecessário" para as vítimas

Reprodução/O Globo

Jornal GGN – A delegada da Polícia Federal Denisse Dias Rosas Ribeiro tentou prorrogar a fase ostensiva do inquérito dos atos antidemocráticos que tramita na Suprema Corte, argumentando que o volume de provas que seria gerado poderia prejudicar os trabalhos de investigação.

Segundo ela, as novas diligências – executadas contra blogueiros bolsonaristas no dia 16 de junho – provocariam “perda de energia” e tornariam a investigação “menos objetiva, menos transparente e mais onerosa”.

Ela também esboçou preocupação com eventual demora da PF em analisar todos os dados, provocando um “risco desnecessário” para as vítimas e para a “estabilidade das instituições.” As informações foram reveladas pelo jornal O Globo nesta sexta (19).

Leia mais:

Allan dos Santos diz que ouviu “desculpas em nome da PF” durante busca e apreensão

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora