Desemprego: 67,3 milhões de pessoas estão fora do mercado

Total apurado pelo IBGE no primeiro trimestre bateu novo recorde desde 2012; desalentados somaram 4,8 milhões, resultado considerado estável

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Jornal GGN – O total de pessoas fora da força de trabalho no Brasil subiu para 67,3 milhões durante o primeiro trimestre de 2020, batendo novo recorde desde 2012, segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O grupo de pessoas fora da força de trabalho é composto por pessoas que não procuram trabalho, mas que não se enquadram no desalento. Em termos percentuais, o indicador subiu 2,8% (1,8 milhão de pessoas) em relação ao trimestre anterior e 3,1% (mais 2 milhões de pessoas) ante o mesmo trimestre de 2019.

A população desalentada, isto é, as pessoas que desistiram de procurar emprego, somou 4,8 milhões, resultado estatisticamente estável em ambas as comparações. O percentual de desalentados em relação à população na força de trabalho ou desalentada (4,3%) teve variação positiva de 0,2 ponto percentual em relação ao trimestre móvel anterior (4,2%) e permaneceu estável em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

“A população fora da força de trabalho já vinha crescendo, e é importante lembrar que no primeiro trimestre de cada ano, essa população costuma aumentar, porque é um período de férias e muita gente interrompe a procura por trabalho”, disse Adriana Beringuy, analista do IBGE responsável pela pesquisa.

A analista da pesquisa não garante que as medidas de isolamento social, provocadas pela pandemia da Covid-19, doença causa pelo novo coronavírus, refletiram na taxa de desemprego do trimestre fechado em março.

Já o rendimento médio real habitual (R$ 2.398) no trimestre encerrado em março ficou estável nas duas comparações. Já a massa de rendimento caiu para R$ 216,3 bilhões, quando comparada ao último trimestre de 2019, uma variação de -1,3%. Frente ao mesmo trimestre do ano anterior, houve estabilidade na massa de rendimentos.

 

Leia Também
Brasil registra 12,9 milhões de desempregados no primeiro trimestre
Guedes afirma que BC pode emitir moeda sem impacto inflacionário
Está na hora de abrir as discussões sobre emissão de moeda, por Luis Nassif

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome