Guedes afirma que BC pode emitir moeda sem impacto inflacionário

Em audiência no Senado Federal, ministro da Economia diz que compra de títulos também são afetadas, e insistiu em reformas estruturantes pós pandemia

Foto: Alan Santos/PR

Jornal GGN – O Banco Central pode realizar a emissão de moeda sem impacto inflacionário, segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes. O mesmo também ocorre com a compra de títulos.

“O Banco Central pode, sim, emitir moeda e pode, sim, comprar título e aí você pode monetizar a economia, sem que haja impacto inflacionário.” Isso pode ser feito em situações em que a inflação é zero, os juros “colapsam” e existe a chamada “armadilha da liquidez”, afirmou, segundo informações do jornal Valor Econômico.

O pronunciamento de Guedes foi dado durante audiência da Comissão Mista de Acompanhamento das Medidas Relacionadas ao Coronavírus.  Segundo a Agência Senado, Guedes também falou de medidas tomadas pelo governo desde que foi constatado que a covid-19 era uma pandemia, como a transferência de recursos para estados e municípios, a criação do auxílio emergencial, a inclusão de mais de 1,5 milhão de pessoas no Bolsa Família, ajuda a empresários com a suplementação de salários de funcionários e aumento do crédito.

Segundo Guedes, o Brasil pode gastar o correspondente a até 15% do Produto Interno Bruto (PIB) com ações de enfrentamento à covid-19, levando em conta a esperada queda da atividade econômica e o déficit financeiro.

Por outro lado, o ministro insistiu na necessidade de se fazer reformas estruturantes após a pandemia, e pediu o apoio dos parlamentares para isso. “Temos que ter consciência que, uma vez combatido isso, temos que continuar as reformas por uma razão muito simples. São as reformas que vão tirar o Brasil do buraco”, disse.

 

Leia Também
Está na hora de abrir as discussões sobre emissão de moeda, por Luis Nassif
Como tornar virtuosa a política de emissão de moeda em lugar de dívida, por Luis Nassif
O desafio de montar cenários e projeções econômicas, por Luis Nassif

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora