Google tira do ar dossiê com dados de antifascistas

Divulgação de informações violou termos de serviço; páginas contavam com dados pessoais e contas em redes sociais de três mil pessoas

Jornal GGN – O Google excluiu um arquivo divulgado na última quinta-feira com informações de três mil pessoas que aderiram, por meio das redes sociais, ao movimento contra o fascismo.

Segundo informações do jornal O Globo, o dossiê de 999 páginas continha dados como nome completo, foto e profissão dos ativistas, contas em redes sociais e até números de documentos e endereços pessoais e estava armazenado no Google Drive. A divulgação de tais informações violou os termos de serviço da empresa.

Os dados foram publicados por um usuário denominado “Silvia Senne”, e podia ser acessado por um link disseminado pelos grupos de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro. A maioria das pessoas expostas fez publicações ligando sua imagem ao símbolo da causa ou escreveram comentários a respeito do assunto.

A campanha contra o fascismo tem avançado nas redes sociais brasileiras, com ativistas evidenciando o viés autoritário no bolsonarismo e fazendo comparações com movimentos marcados por autocracias focadas em figuras ditatoriais, dentre elas Benito Mussolini.

 

Leia Também
Em defesa das manifestações públicas, por Leonardo Avritzer
Bolsonaro provoca “tragédia histórica” no Brasil, diz Drauzio Varella ao Guardian
Xadrez da guerra híbrida dos generais de Bolsonaro contra o país, por Luis Nassif
Consultoria dá 25% de chance para impeachment de Bolsonaro: “pandemia é a grande variável”
A vida pregressa de Sergio Moro: saiba como ajudar o projeto do GGN

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora