Governo Bolsonaro é alvo de críticas da Anistia Internacional

Agentes da Abin foram enviados a Madrid para participar de Cúpula do Clima das Nações Unidas; objetivo era monitorar ONGs e ambientalistas

Foto: Reprodução (REUTERS/Adriano Machado)

Jornal GGN – O governo de Jair Bolsonaro foi alvo de críticas da Anistia Internacional, por ter enviado agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para monitorar a participação de ONGs e movimentos sociais na Conferência do Clima das Nações Unidas (COP-25) no ano passado.

A vigília foi admitida publicamente pelo ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, na última sexta-feira (16/10). Na ocasião, Heleno usou sua conta do Twitter para declarar que a agência deve acompanhar campanhas internacionais apoiadas por “maus brasileiros”.

“São graves as notícias veiculadas recentemente pela imprensa a respeito do monitoramento de movimentos sociais e organizações não governamentais que participaram da Cúpula do Clima das Nações Unidas (COP 25) realizada em Madrid, em dezembro do ano passado”, diz nota da Anistia Internacional.

“Técnicas de vigilância e monitoramento de opositores políticos foram práticas utilizadas de maneira sistemática durante o regime militar no Brasil e subsidiaram, por muitos anos, graves violações de direitos humanos”, segue o texto, que também criticou a Lei de Anistia. As informações são do jornal O Estado de São Paulo.

 

Leia Também
Heleno diz que ‘maus brasileiros’ foram monitorados pela Abin na COP25
Governo Bolsonaro omite ao Congresso vínculo de agentes da Abin enviados à COP 25
Governo Bolsonaro enviou agentes da Abin para evento da ONU

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Desemprego atinge 14 milhões de pessoas no fim de setembro

1 comentário

  1. É nisso que dá ser a testemunha ocular e o agressor ao mesmo…
    são tão abusados e confiantes em nossos tribunais que chegam a criar os critérios de veracidade que podem ser aplicados contra eles mesmos

    uma vez torturador e assassino, sempre torturadores e assassinos

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome