Intercept 4 – palestras de Deltan financiavam movimentos de rua

A reportagem do The Intercept mostra que o MUDE (Instituto MUDE – Chega de Corrupção) foi criado e, na prática, era dirigido por Dallagnoll, além de ser constituído por membros da Igreja Batista frequentada por ele.

A última reportagem do The Intercept sobre a Lava Jato confirma suspeitas antigas e mostra coincidências curiosas em relação ao modo de operação dos financiamentos da indústria da anticorrupção.  O político recebe pelo caixa 2 para financiar sua campanha, e parte do dinheiro vai para enriquecimento pessoal.

A reportagem do The Intercept mostra que o MUDE (Instituto MUDE – Chega de Corrupção) foi criado e, na prática, era dirigido por Dallagnoll, além de ser constituído por membros da Igreja Batista frequentada por ele.

Dallagnol nunca escondeu sua proximidade com o grupo. Ele costumava ceder a líderes do Mude espaço em suas palestras sobre as dez medidas, especialmente as realizadas em igrejas. Os integrantes, porém, eram apresentados publicamente apenas como membros da sociedade civil que haviam abraçado o projeto. Mas as conversas mantidas entre eles no Telegram deixam claro que o procurador coordenava o grupo e acompanhava todos os seus passos, ainda que desse a eles autonomia para decisões administrativas de menor porte.

‘próxima manchete será “o instituto que o dr Deltan criou como fachada pra fazer pressão nos deputados”’, preocupou-se uma voluntária.

Autor de várias iniciativas de divulgação das dez medidas, tais como um “ônibus outdoor” destinado a divulgar as propostas pela região de Curitiba, o Mude passou a ter CNPJ próprio em setembro de 2016. O objetivo era facilitar, entre outras coisas, a captação de recursos para suas ações. Em julho daquele ano, quando o grupo estava às voltas com as últimas burocracias para se formalizar, um dos líderes fez um pedido a uma colega em um grupo de Telegram composto apenas pela cúpula do movimento. “coloca aqui como seria a composição da diretoria estatutária e do conselho que conversamos ? Deltan precisa ver e indicar nomes”.

A nota oficial do MPF do Paraná, em resposta à reportagem, revela que Deltan usou parcela das palestras para financiar o MUDE.

“O procurador Deltan Dallagnol não lidera nem integra o Mude, mas apoia o instituto que é apartidário; conhece seus integrantes e seu compromisso com a causa pública e fez doações, que permitiram o desenvolvimento de um curso online de cidadania. O procurador jamais recebeu recursos do Mude. O procurador sugeriu a algumas pessoas interessadas no trabalho anticorrupção que conhecessem o Mude.

Suponha que setores interessados em derrubar o governo quisessem financiar ações pró-impeachment, mas sem se comprometer. Bastaria contratar uma palestra de Dallagnol, que repassaria parte das palestras ao Instituto. E pode explicar também o fato de o procurador Diogo Castor ter bancado um cartaz em Curitiba em favor da Operação.

Leia também:  Licenciamento ambiental: Observatório desmonta mentiras de Kataguiri

Segundo o The Intercept:

Em 18 de novembro de 2016, a coluna Painel, da Folha de S.Paulo, noticiou que Dallagnol havia visitado a redação do jornal, na capital paulista, acompanhado de Tiago Stachon, vice-presidente de Planejamento da Opus Múltipla. A agência de publicidade, sediada em Curitiba, fazia campanha publicitária contratada pelo Mude para divulgar as dez medidas.

Blogs de esquerda exploraram a ligação de Dallagnol com a empresa a partir dessa nota, o que preocupou a cúpula do Mude. Em um chat privado com o procurador, Patricia Fehrmann, do Mude, disse que a diretoria da Opus Múltipla não havia gostado da repercussão do caso e temia que a agência abandonasse a parceria com o instituto.

Dois dias depois, ela disse a Dallagnol que a crise com a Opus Múltipla ainda não havia sido resolvida e explicou seu temor de futuras repercussões: “próxima manchete será “o instituto que o dr Deltan criou como fachada pra fazer pressão nos deputados” – vão chegar no Mude por causa da ligação com a Opus, vão procurar o CNPJ, estatuto, vao ver os nomes e chegam aqui na igreja facil. todos da igreja do Deltan”.

Dallagnol procurou tranquilizá-la. “Concordo com providências, mas calma rsrs… segura a ansiedade. Se forem fazer isso, vão fazer de qq modo, fale eu ou não… é o endereço que ficou o da igreja, não.?”, perguntou. A líder do Mude confirmou. “Já pedimos pra alterar o endereço. Vai mudar essa semana. Mas o original ficou da igreja”.

O cachorrinho e o cachorrão

As páginas do MUDE, no Facebook, são carregadas de posts atacando Ministros do Supremo e elogiando Dallagnol. Como a nota de 20 de abril passado:

Leia também:  Queimadas podem ser culpa de ONGs contrárias ao governo, diz Bolsonaro

“A Lava Jato é a a briga de um cachorrão contra um cachorrinho. E a gente é aquele cachorrinho bem bravo. E sabe porque ele não é esmagado? Porque não é um só, são 10, 20, 50 cachorrinhos. A nossa força é a força da sociedade, de um consenso social que vem se fortalecendo contra a corrupção e contra a impunidade no nosso país”

 

 

 

 

 

Intercept  – a incrível cobertura da Lava Jato

Incrível como as ações de um grupo de deslumbrados, que revelavam todas suas estratégias pelo Telegram, que arrotavam esperteza com os colegas, tenham passado totalmente em branco pela cobertura dos setoristas. Eles não faziam cobertura: davam cobertura.

Leia também

Intercept 1 – a Lava Jato coordenava as milícias digitais

Intercept 2 – Dallagnol articulava com Luis Roberto Barroso

Intercept 3 – a procuradora que quis ser a Dallagnol paulista

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

11 comentários

  1. Não que já não fosse meio corrompido, as igrejas como vemos através da bancada da bíblia, mas esta turma do lado negro do MPF fez um trabalho muito grande em levar para a latrina até as “casas do Senhor”. Mal aventurados sejam os jejuadores do atraso de vida nacional.

  2. “A nota oficial do MPF do Paraná, em resposta à reportagem, revela que Deltan usou parcela das palestras para financiar o MUDE”

    Quantas das “palestras” eram em empresas delatadas e chantageadas????

    No mais o envolvimento de evangelicos em corrupcao grossa nao me surpreende: evangelicos sao perigosissimos e sempre foram.

  3. Como grande festeiro que já fui…bons tempos!!!……………..ai que saudade
    hoje, e com tudo que está sendo divulgado do procurador de todos os procuradores sagrados, concluo que os inferninhos que frequentei eram instituições de gente inteiramente se que não representavam perigo algum para a sociedade

    imaginem todos eles(as) endeusando Bolsonaro, que perigo

  4. Começo a desconfiar de que as empreiteiras foram injustamente acusadas de corrupção.Tudo isto não seria um complô americano? Vamos investigar, sempre desconfiei desta história de que o Brasil é um dos país mais corruptos.Afinal de contas a nossa cordialidade , conforme o conceito elaborado por Sérgio Buarque, não admitiria tanta sujeira, tanta malandragem.

  5. ONDE VAMOS PARAR? Não vai parar meu caro Izaias Vaz … Não vai parar! estes caras têm uma força descomunal. Dinheiro para torrar com doidivanos como o Mito. Justiça rebocada de cocô. Na mão deles. Por isso o Mito não para de pensar em cocô.. Mídia totalmente partidária, louca por uma piscadinha do Mito. Se não fosse a Globo, Moro já teria caído. O Dalaninho, o mais ‘mané’ de todos, já estaria torcendo o lenço de tanto chorar. Mas eles têm a Globo e outras Porcarias que imitam mídia que os fortalece. Não vejo o Moro caindo. Sério! Vão afastar o Dalaninho e mandá-lo passar uma temporada na Disney com a família. Com muita grana nos bolsos. Seis meses por lá, claro recebendo salários e outros benefícios pagos por nós, já é suficiente para Globo e outras Porcarias abafarem o escândalo. O trabalho deste cara foi precioso para eles. De qq forma, temos que agradecer muito esta turma do Intercept. O trabalho deles servirá pra gente não morrer sem saber quem são os grandes FDPs deste país. Agora sabemos. Já é um consolo

  6. mais uma excelente matéria para
    a série-dicionário
    das infamias pastorai milicianas…
    deveria ser formado um grupo mais
    amplo de pessoas que aprofundassem essas
    relações das denúncias do intercept com
    os fatos corridos no tempo em que foram abordadas
    pelo partido da imprensa golpista – píg , de um lado,
    e pela midia alternativa, de outro….
    isto é, rememorar o que de fato
    ocorreu nesssa epoca infame…

  7. Dallagnol deve ser exonerado e preso pois com seu egocentrismo fundamentalista junto com moro outro fanático enlouquecido por poder transformaram o Brasil com ajuda do judiciário em terra arrasada, esses atuais procurados estao contaminados por arrogância, e espírito de nazistas metidos a poderosos para prender quem eles odeiam, defendo a exoneração deles todos o Brasil precisa ser passado a limpo e virar essa página negra da PGR e seus comandados inúteis e traidores da pátria, além disso as regras para ser procurador devem ser mais rigorosas para se evitar novas lavas jatos no Brasil, o povo merece respeito, com esses corruptos o povo se viu roubado na eleição passada e eles devem responder por isso diante das leis

  8. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome