Lava Jato em Curitiba consegue congelar recursos do PSB e MDB

TRF-4 bloqueou R$ 3,6 bilhões dos dois partidos, políticos e empresas acusadas de participar de esquema de corrupção na Petrobras e de pagamento de propina em torno da CPI da Petrobras, de 2009

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – PSB e MDB são os primeiros partidos a terem recursos congelados por uma ação da Lava Jato em Curitiba. A operação que prendeu e retirou Lula da disputa presidencial de 2018 conseguiu autorização do TRF-4 para bloquear mais de R$ 3,6 bilhões dos dois partidos, políticos e empresas acusadas de participar de esquema de corrupção na Petrobras e de pagamento de propina em torno da CPI da Petrobras, de 2009.

Até Eduardo Campo (PSB) e Sergio Guerra (PSDB), já falecidos, entraram na lista de afetados pelo bloqueio. O espólio de Campos, ex-governador de Pernambuco, sofreu pedido de congelamento de até R$ 258 milhões, solidariamente em relação ao patrimônio de Fernando Bezerra. O espólio de Guerra tem bloqueio de R$ 107 milhões.

A juíza federal Vivian Josete Pantaleão Caminha, relatora do processo no TRF-4, disse que basta “a indicação” de vinculação dos suspeitos com “irregularidades apontadas” pelo MPF para autorizar os bloqueios.

Também são atingidos na ação Valdir Raupp (MDB-RO), Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE, ex-PSB, atual líder do governo no Senado), Eduardo da Fonte (PP-PE).

Segundo informações da Folha, o MDB tem pedido de bloqueio autorizado até R$ 1,8 bilhão. O valor foi calculado assim: “cerca de R$ 108 milhões são referentes a danos causados a Petrobras. Sobre essa quantia, foi aplicada uma multa de três vezes desse valor. Há outros R$ 487 milhões sobre lucro conquistado de maneira ilícita em contratos da Petrobras. Houve uma multa equivalente a duas vezes essa última quantia.”

Leia também:  Secretários de Saúde criticam gestão Pazuello/Bolsonaro

Respondem solidariamente ao valor aplicado ao MDB Valdir Raupp, da Vita Engenharia Ambiental, André Gustavo de Farias Ferreira, Augusto Amorim, Othon Zanoide de Moraes Filho, Petrônio Braz Junior e o espólio de Ildefonso Colares Filho.

O PSB teve bloqueio de até R$ 816 milhões. Fernando Bezerra Coelho e espólio de Eduardo Campos, R$ 258 milhões. R$ 107 são do espólio de Sérgio Guerra. Outros R$ 333 milhões de Eduardo da Fonte, mais R$ 200 mil de Maria Cleia Santos de Oliveira e Pedro Roberto Rocha. Mias R$ 162 milhões de Aldo Guedes Álvaro e, por fim, 3% do faturamento da Queiroz Galvão.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

3 comentários

  1. carilha! que medo…
    3 anos atrás fui presenteado com 3 kits completíssimos, bar, churrasqueira e praia, da Queiroz Galvão

    sinto muito amigo, agradeço o presentão, mas vou tacar fogo em tudo

    Bem que tentei te alertar de que o luxo exagerado geralmente corresponde aos custos ocultos

  2. Mantra da “justissa” de CURITIBA:
    “Preciso arrumar R$2,5bi, Preciso arrumar R$2,5bi, Preciso arrumar R$2,5bi, Preciso arrumar R$2,5bi, Preciso arrumar R$2,5bi, Preciso arrumar R$2,5bi, Preciso, preciso, 2,5..2.5..bi…bi..
    O Ideafix no mundo de asterix…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome