Lava Jato em Curitiba consegue congelar recursos do PSB e MDB

TRF-4 bloqueou R$ 3,6 bilhões dos dois partidos, políticos e empresas acusadas de participar de esquema de corrupção na Petrobras e de pagamento de propina em torno da CPI da Petrobras, de 2009

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – PSB e MDB são os primeiros partidos a terem recursos congelados por uma ação da Lava Jato em Curitiba. A operação que prendeu e retirou Lula da disputa presidencial de 2018 conseguiu autorização do TRF-4 para bloquear mais de R$ 3,6 bilhões dos dois partidos, políticos e empresas acusadas de participar de esquema de corrupção na Petrobras e de pagamento de propina em torno da CPI da Petrobras, de 2009.

Até Eduardo Campo (PSB) e Sergio Guerra (PSDB), já falecidos, entraram na lista de afetados pelo bloqueio. O espólio de Campos, ex-governador de Pernambuco, sofreu pedido de congelamento de até R$ 258 milhões, solidariamente em relação ao patrimônio de Fernando Bezerra. O espólio de Guerra tem bloqueio de R$ 107 milhões.

A juíza federal Vivian Josete Pantaleão Caminha, relatora do processo no TRF-4, disse que basta “a indicação” de vinculação dos suspeitos com “irregularidades apontadas” pelo MPF para autorizar os bloqueios.

Também são atingidos na ação Valdir Raupp (MDB-RO), Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE, ex-PSB, atual líder do governo no Senado), Eduardo da Fonte (PP-PE).

Segundo informações da Folha, o MDB tem pedido de bloqueio autorizado até R$ 1,8 bilhão. O valor foi calculado assim: “cerca de R$ 108 milhões são referentes a danos causados a Petrobras. Sobre essa quantia, foi aplicada uma multa de três vezes desse valor. Há outros R$ 487 milhões sobre lucro conquistado de maneira ilícita em contratos da Petrobras. Houve uma multa equivalente a duas vezes essa última quantia.”

Leia também:  Marcelo Odebrecht: Moro tem traços de ditador e Lava Jato favoreceu Bolsonaro

Respondem solidariamente ao valor aplicado ao MDB Valdir Raupp, da Vita Engenharia Ambiental, André Gustavo de Farias Ferreira, Augusto Amorim, Othon Zanoide de Moraes Filho, Petrônio Braz Junior e o espólio de Ildefonso Colares Filho.

O PSB teve bloqueio de até R$ 816 milhões. Fernando Bezerra Coelho e espólio de Eduardo Campos, R$ 258 milhões. R$ 107 são do espólio de Sérgio Guerra. Outros R$ 333 milhões de Eduardo da Fonte, mais R$ 200 mil de Maria Cleia Santos de Oliveira e Pedro Roberto Rocha. Mias R$ 162 milhões de Aldo Guedes Álvaro e, por fim, 3% do faturamento da Queiroz Galvão.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

3 comentários

  1. carilha! que medo…
    3 anos atrás fui presenteado com 3 kits completíssimos, bar, churrasqueira e praia, da Queiroz Galvão

    sinto muito amigo, agradeço o presentão, mas vou tacar fogo em tudo

    Bem que tentei te alertar de que o luxo exagerado geralmente corresponde aos custos ocultos

  2. Mantra da “justissa” de CURITIBA:
    “Preciso arrumar R$2,5bi, Preciso arrumar R$2,5bi, Preciso arrumar R$2,5bi, Preciso arrumar R$2,5bi, Preciso arrumar R$2,5bi, Preciso arrumar R$2,5bi, Preciso, preciso, 2,5..2.5..bi…bi..
    O Ideafix no mundo de asterix…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome