“Mediocridade extrema”, diz general Santos Cruz sobre boicote à vacina por Bolsonaro

"Se vai comprar a vacina A, B ou C, não sei, mas é uma questão de saúde pública que deve ser discutida tecnicamente, não politicamente assim”, disse

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O ministro-chefe da Secretaria de Governo, general Santos Cruz, disse ao Estadão que foi de uma “mediocridade extrema” o tratamento dispensado por Jair Bolsonaro contra a vacina da Sinovac para o novo coronavírus.

“É um nível de mediocridade extrema o jeito como isso está sendo tratado. Se vai comprar a vacina A, B ou C, não sei, mas é uma questão de saúde pública que deve ser discutida tecnicamente, não politicamente assim”, disse.

Na terça (20), o Ministério da Saúde, assim como fez em agosto com a vacina de Oxford, anunciou a intenção de comprar 46 milhões de doses da vacina desenvolvida pela chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. O governo previu gastar R$ 1,9 bilhões com a aquisição e mais R$ 80 milhões para ajudar o Butantan a expandir sua produção no Brasil.

O governador de São Paulo, João Doria, celebrou o acordo e agradeceu o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Menos de 24 horas depois, Bolsonaro mandou cancelar o acordo por causa de seu problema pessoal com Doria.

O presidente argumentou que nenhuma vacina será comprada sem aprovação da Anvisa.

Leia mais:

Bolsonaro solta um “vachina” em entrevista e diz que Doria “distorceu” acordo

Governadores não querem “guerra na Federação”, mas vão garantir a vacina, reage Flávio Dino

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Total de congressistas eleitos em eleições municipais é 60% menor

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome