Paulo Guedes descarta renda básica aos brasileiros

Ministro diz que governo vai promover empregos, e que apenas 6 milhões serão favorecidos por programa que vai substituir Bolsa Família

O ministro da Economia, Paulo Guedes. Foto: Alan Santos/PR

Jornal GGN – Dentre os 38 milhões de brasileiros em situação de vulnerabilidade, e que só foram vistos por meio do programa de auxílio emergencial, apenas seis milhões devem ser atendidos pelo programa que vai substituir o Bolsa Família, o que vai aumentar o número de beneficiários para 26 milhões.

A declaração foi feita pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, que também descartou a implantação de um programa de renda básica universal. “Estamos desenhando um novo programa, mas ele não será de renda básica universal”, afirmou. “Vamos tentar ajudar os outros 32 milhões a conseguirem empregos em um novo sistema trabalhista”, acrescentou, segundo informações do jornal Correio Braziliense.

Guedes falou com estrangeiros na manhã de ontem, durante videoconferência transmitida pela Fundação Internacional para a Liberdade (FIL). O ministro ainda criticou os encargos sobre folha de pagamento, classificando-os como “máquinas de destruição em massa de emprego”.

O ministro não deu valores sobre o novo benefício que será pago aos vulneráveis, e nem detalhou como o governo pretende criar medidas para promover emprego – mas atrelou essa iniciativa ao novo encargo que pretende criar para compensar a desoneração da folha de pagamentos.

 

 

Leia Também
Bolsonaro diz que ‘não dá’ para manter auxílio emergencial por muito tempo
Paulo Guedes: “quem tem poder econômico não paga imposto”
Brasil poderá ser o primeiro no mundo em taxação de grandes pobrezas
Bolsonaro admite nova CPMF, desde que sem aumento tributário

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora