Queda do presidente da Petrobras não vai mudar preço dos combustíveis, afirma oposição

Políticos da oposição defendem que preços só cairão quando Bolsonaro deixar o comando do País

José Mauro Ferreira Coelho deixou o cargo de presidente da Petrobras – Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

José Mauro Coelho renunciou na manhã desta segunda-feira, 20, ao cargo de presidente da Petrobras. O pedido de demissão vem na esteira da crise forjada no governo Bolsonaro, por conta do novo reajuste nos preços do combustíveis anunciado pela estatal na semana passada.

Após pouco mais de um mês na presidência, Coelho foi o terceiro nome indicado à posição pelo Governo Bolsonaro. O chefe do Executivo está desesperado para se descolar do aumento dos preços da gasolina e diesel ao consumidor interno, com medo de impacto nas eleições de outubro. Na sexta, ele chegou a sugerir uma CPI para investigar a Petrobras.

A Petrobras anunciou que o Diretor Executivo de Exploração e Produção, Fernando Borges, foi nomeado presidente interino até a eleição e posse de novo presidente. 

Nada muda

Porém, para políticos da oposição, as bombas de gasolina só ficarão mais baixas quando Jair Bolsonaro deixar de comandar o Brasil. Isto porque é o governo Bolsonaro quem patrocina a atual política de paridade internacional de preços praticada pela Petrobras.

Ciro Gomes, pré-candidato à presidência pelo PDT, utilizou o Twitter para comentar sobre o assunto.

Maria do Rosário, deputada federal (PT), seguiu linha semelhante à de Ciro.

O mesmo vale para Elika Takamoto, professora, escritora, pesquisadora e política filiada ao PT.

“Ver a revolução que o PT fez na Educação me fez entrar para a política”, diz Elika Takimoto à TVGGN

Próximos passos

Com a demissão de Coelho, o governo deve correr para colocar no cargo um nome que satisfaça os desejos eleitorais de Bolsonaro: baixar os preços dos combustíveis e dar fôlego ao Presidente nas pesquisas.

O Planalto ainda deve pressionar os diretores da Petrobras, que aprovaram o novo reajuste de forma unânime na última sexta-feira (17). Bolsonaro chegou a dizer que a estatal perderia R$ 30 bilhões com CPI que seria instaurada nesta segunda-feira.

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Guga - o não registrado

- 2022-06-20 12:51:08

Boa tarde, Nassif! Depois, quando tiver um tempinho, dá uma olhadinha no seu perfil do Twitter - ele indica "luisnassif.com.br" como seu website, mas esse endereço parece estar inativo. Grande abraço!

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador