Valeixo diz que Bolsonaro queria ter “afinidade” com novo chefe da PF

A declaração de Valeixo confirma parte do depoimento que Sergio Moro deu em Curitiba na semana passada

Jornal GGN – O ex-diretor-geral da Polícia Federal Maurício Valeixo afirmou nesta segunda (11) que Jair Bolsonaro o demitiu alegando que não era “nada pessoal”, mas que queria ter “afinidade” com o próximo chefe da instituição. A informação é do Estadão.

A declaração de Valeixo confirma parte do depoimento que Sergio Moro deu em Curitiba na semana passada, quando foi ouvido no inquérito da PGR que apura se Bolsonaro cometeu crime fazendo “interferências políticas” em cargos estratégicos da Polícia Federal.

Moro alegou que Valeixo foi exonerado de ofício, sem seu conhecimento, motivo pelo qual teria desistido de ser Ministro da Justiça. O ex-juiz da Lava Jato saiu do governo Bolsonaro alegando ser “inadmissível” a troca efetuada pelo presidente com o intuito de ter mais controle sobre operações da PF.

Apesar das acusações, Moro negou que Bolsonaro tenha pedido a ele ou a Valeixo acesso a inquéritos em andamento.

Além de Valeixo, serão ouvidos nesta segunda (11) Ricardo Saadi, ex-chefe da PF do RIo, e diretor da Abin, Alexandre Ramagem.

Leia também:

Testemunhas em inquérito contra Bolsonaro serão ouvidas nesta semana

Leia, em 30 minutos, o depoimento de “8 horas” de Sergio Moro

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora