Coisa que não existe na burguesia é a noção de timing, por Rogério Maestri

Posso até estar enganado, mas se houver uma capitulação dos democratas perante Trump ficará claro que anos de chumbo virão para todo o mundo ocidental

Coisa que não existe na burguesia é a noção de timing

por Rogério Maestri

Desculpe os mais puristas, poderia utilizar tempo ou momento, porém a palavra timing é mais abrangente e se fosse substituir no título teria que escrever “momento certo em que algo deve ser feito”, porém mais importante do que isso é dizer que o risco que todo o sistema capitalista sofre começa acelerar sem condições de controle.

Estava assistindo na noite do dia de ontem uma emissão de uma hora na TV privada francesa, onde participavam da mesa de discussões um dos editorialistas do jornal conservador francês “Le Figaro”, sigo essa emissão pois ela é um indicador dos humores da direita francesa e pela primeira vez, depois de todos os incidentes com os coletes amarelos, com as greves esse senhor porta-voz de um jornal conservador falou claramente que o presidente Macron falhou. Isso pode parecer muito pouco, entretanto o ar de fim de festa pairava sobre a conversa geral e o mais interessante é que os franceses começaram a falar de eleições mesmo que ainda falte um ano e meio, ou seja, estão preocupados com a manutenção das válvulas de segurança da panela de pressão.

Posso até estar enganado, mas se houver uma capitulação dos democratas perante Trump ficará claro que anos de chumbo virão para todo o mundo ocidental, os movimentos de setores mais a esquerda na política sul americana estão aí, pois a pobreza e a miséria gerada pelas políticas liberais passaram do ponto e em determinado ponto do mundo alguém vai soar o berrante e a massa sairá atrás, porém o problema da burguesia internacional é se a massa começar a se mexer, não haverá espaço em Miami e também não haverá quem receba toda essa burguesia com seus iates e jatinhos executivos.

No início do ano passado, mais exatamente em  21/01/2019, no comentário de um outro artigo, dei uma explicação matemática do que significa em sistemas dinâmicos a perda de estabilidade dos mesmos (Quando a situação poderá se estabilizar?), ou seja, falei da instabilidade que estava sendo criada no Brasil especificamente, mas como na época nem se sabia da existência do Covid-19, não generalizei a conclusão, o que posso fazer agora, porém quando se vê que países como a China e Vietnam, que não devem ser caracterizados como países capitalistas conseguiram vencer o vírus enquanto USA, UK, França, Alemanha e mais outras joias do sistema imperial mundial lutam para se manter pelo menos respirando sobre aguas revoltas, falta pouco para que alguém toque o berrante.

Se alguém ficar desconfortável com a palavra CAOS e achar que exagero, leiam outro artigo que foi postado pela editoria do GGN onde o secretário geral da ONU diz com todas as palavras “Comunidade internacional deve se unir, ou será esmagada pelo caos, avisa chefe da ONU”, só que ele se refere preferencialmente a África e eu incluo no grupo todas as nações do “mundo civilizado e próspero”.

Em resumo, preparem-se, pois viveremos anos singulares, pois a burguesia internacional não perdeu seu apetite e acha que poderão seguir adiante.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

  1. Rogério, apesar de você ja ter dado um contexto em artigos anteriores sobre este “estouro do balão”, acho que seria bom complementar nos comentários com os fatores que causariam esta “perda da estabilidade”

  2. José, estou preparando uma resposta a tua pergunta, mas não quero escrever qualquer coisa, se ainda estiveres interessado, me avise que prosseguirei num trabalho bem concreto.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome