Controle do Orçamento será desafio para próximo presidente

Congresso controla mais de 50% dos investimentos – deputado aponta ‘guerra de vida ou morte’ pelo controle dos recursos

Agência Brasil

Jornal GGN – O próximo presidente eleito terá um ponto a mais para se preocupar: o chamado presidencialismo de coalizão foi seriamente comprometido durante o governo de Jair Bolsonaro.

Para especialistas ouvidos pelo jornal O Estado de S.Paulo, Bolsonaro acabou se rendendo ao chamado “presidencialismo de cooptação”, onde o Congresso passou a responder por mais da metade dos investimentos do Executivo, sem que se comprometesse com responsabilidade fiscal ou políticas públicas.

Tal cenário é apenas uma das consequências da crise do presidencialismo de coalizão, e deve trazer muita dor de cabeça para o próximo presidente, como aponta o líder da oposição na Câmara, deputado federal Alessandro Molon (PSB).

“Será uma batalha de vida ou morte para saber quem vai controlar a execução do orçamento”, disse Molon, ressaltando que a “guerra” também passa pelo fim do orçamento secreto.

Contudo, outros fatores também estão embutidos no chamado custo da governabilidade, como a divisão partidária do Parlamento – atualmente composto por 24 partidos – e a habilidade presidencial de se negociar a governabilidade. No caso de Bolsonaro, sua forma de agir explica muito o atual cenário político.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador