CPMI deve sugerir indiciamento de Bolsonaro

Relatório final será apresentado em 17 de outubro e contará com informações da PF e PGR; oposição terá relatório avulso para culpar o governo.

Crédito: Pedro França/Agência Senado

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) deve ser indiciado pela Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do 8 de janeiro, de acordo com a expectativa dos governistas e da relatora, a senadora Eliziane Gama (PSD-MA).

O relatório final dos trabalhos será apresentado no dia 17 de outubro. Eliziane já iniciou a redação do texto e, para sugerir o nome do ex-presidente como articulador dos atos, ela conta com a ajuda de um consultor legislatico para recomendar o indiciamento de todos os supostos crimes cometidos por Bolsonaro. Um deles seria a tentativa violenta de abolição do Estado Democrático de Direito.

“Infelizmente, nós não trouxemos Braga Netto e outros militares que tiveram envolvimento. Mas a nossa expectativa é de que essa CPMI indicie Jair Bolsonaro, que é o grande articulador de todo um movimento golpista que aconteceu ao longo de quatro anos e que desembocou em um ato terrorista contra a democracia no dia 8 de janeiro de 2023”, disse o senador Rogério Carvalho (PT-SE) em entrevista à CNN.

Além da colaboração das testemunhas ouvidas ao longo das sessões, o relatório contará ainda com informações da Polícia Federal e Procuradoria Geral da República, entre outros órgãos investigativos.

Oposição

Em contrapartida, os parlamentares de oposição devem apresentar um segundo relatório, em que tentarão responsabilizar as autoridades do atual governo, como ex-ministro do GSI, Gonçalves Dias, e o ministro da Justiça, Flávio Dino, por “omissão grotesca”.

LEIA TAMBÉM:

Camila Bezerra

Jornalista

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador