Lava Jato: MP da Suíça faz busca e apreensão na Trafigura e Vitol

Nova fase da Lava Jato investiga corrupção na compra e venda de petróleo e derivados

Jornal GGN – A pedido da Lava Jato em Curitiba, o Ministério Público da Suíça deflagrou uma operação de busca e apreensão em endereços ligados à Vitol e à Trafigura, grandes empresas do mercado de commodities de petróleo e derivados, investigadas por suposto pagamento de propina no esquema envolvendo a Petrobras.

De acordo com o procurador de Curitiba Athayde Ribeiro Costa, “as principais revelações na Lava Jato até o momento eram voltadas a crimes relacionados à construção de refinarias, área-meio da Petrobras. Agora, as investigações indicam que esquemas de corrupção de valores milionários também se instalaram nos negócios relativos à área-fim da estatal, compreendendo atividades rotineiras, como a comercialização de petróleo e derivados.”

Ainda segundo o procurador, há evidências de responsabilização de integrantes da cúpula da Trafigura e da Vitol, de seus intermediários e de funcionários públicos lotados em diferentes gerências da área de comercialização da Petrobras.

No Brasil, os procuradores afirmam que possuem documentos, acordos de delação premiada, dados extraídos de quebra de sigilo telemático, bancário e fiscal, e outras evidências que sustentam as suspeitas contra a Vitol e Trafigura no pagamento de propinas a funcionários da Petrobras.

A contrapartida à propina paga seria a obtenção de facilidades na estatal brasileira, como preços mais vantajosos e contratos com maior frequência.

Os negócios dizem respeito à compra e venda (trading) no mercado internacional de combustíveis (produtos utilizados para geração de energia térmica em fornos e caldeiras), gasóleo de vácuo (produto intermediário utilizado na produção de gasolina e diesel), bunker (combustível utilizado nos motores de navio), petróleo cru e asfalto.

Segundo a assessoria do MP brasileiro, a “Vitol e Trafigura realizam transações de modo maciço e recorrente com a estatal brasileira no mercado internacional. A Vitol, entre 2004 e 2015, fez negócios com a Petrobras, sobretudo operações de compra e venda de petróleo e derivados, em valor total superior a US$ 14 bilhões. Por sua vez, a Trafigura, no mesmo período, realizou negócios com a Petrobras, em valor superior a US$ 9 bilhões, também com foco em operações de compra e venda de petróleo e derivados.”

Leia também:  Lewandowski reafirma direito de Lula aos documentos retidos pela Lava Jato

Em dezembro de 2018, ex-executivos da Trafigura foram denunciados por corrupção e lavagem de ativos. Somente neste caso, a acusação envolve o pagamento de propinas de aproximadamente US$ 1,5 milhão.

Por sua vez, em 20 de dezembro de 2018, o MPF ofereceu denúncia contra agentes intermediários da Vitol que atuavam nos pagamentos de propina a funcionários da Petrobras em contratos do interesse da trading company. Neste caso, o pagamento de propinas denunciado foi de aproximadamente US$ 2,85 milhões.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome