“Nada mudou” com ato: ministros do STF veem “elementos para condenação” de Bolsonaro, diz site

Bolsonaro é consciente dos riscos e há provas para a sua prisão, avaliaram ministros, segundo site

Foto: Reprodução

Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) avaliaram que o ato de Jair Bolsonaro na Avenida Paulista, em São Paulo, só mostrou que o próprio ex-presidente é consciente dos riscos e que há provas para a sua condenação.

A informação é de Guilherme Amado, do Metrópoles, que afirma ter conversado com “alguns ministros da ala majoritária” do Supremo, sem indicar quais deles teriam participado da conversa: Gilmar Mendes, Cármen Lúcia, Dias Toffoli, Luiz Fux, Luís Roberto Barroso, Edson Fachin, Alexandre de Moraes, Cristiano Zanin e Flávio Dino.

Segundo o colunista, a postura do ex-presidente no ato deste domingo revela que ele está “se sentindo emparedado”, consciente de que agora, a prova que o condena “é material” e, por isso, adotou um tom “mais contido”.

Cuidando de suas palavras, tratou de desaguar os ataques e efeitos na multidão dando o microfone ao pastor Silas Malafaia. E que o ato teve menos efeito sendo ex-presidente do que atos similares quando ele era o mandatário.

“Em resumo: na visão da maioria dos ministros do STF, nada mudou. Há elementos para condenar Bolsonaro. Era assim hoje de manhã. E segue assim”, escreveu.

Leia mais:

Redação

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Como assim, Gente? O Bostonaro não convocou os Conselhos da República e da Defesa. “Deixo claro que estado de sítio começa com o presidente da República convocando os conselhos da República e da defesa. Isso foi feito? Não”. Se ele se preparou cometer um crime e na hora “H” não consumou crime para o qual se preparou, que, aliás, está previsto na Constituição, na hipótese de determinado candidato não ser reeleito, porque ele está sendo acusado de golpe?

  2. Nada mudou? Ora, mudou sim, o homem confessou que a minuta decretando o estado de sítio caso ele perdesse as eleições, existiu mas o estado de sítio começa com o presidente da República convocando os conselhos da República e da defesa e isso foi feito”, logo, como a tentativa não se consumou, então não houve tentativa de golpe, até porque o estado de sítio está previsto na Constituição. Como algo que está previsto na Constituição pode ser crime? Kkkkkk

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador