Prefeitura usa sacos para fechar comportas danificadas em Porto Alegre

Contenção nas comportas do Guaíba tem o objetivo de evitar que água invada novamente a cidade, em caso de aumento da cota de inundação

Crédito: Rafa Neddermeyer/ Agência Brasil

Prefeitura usa sacos para fechar comportas danificadas em Porto Alegre

Da Agência Brasil

Por Pedro Rafael Vilela – Enviado especial* – Porto Alegre

O Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) de Porto Alegre instalou, nos últimos dias, sacos de contenção na frente de parte das comportas do Lago Guaíba, para evitar que a água invada novamente a cidade, em caso de aumento da cota de inundação.

O nível do Guaíba, em Porto Alegre, baixou 16 centímetros (cm) no período das 19h dessa sexta-feira (25) até as 6h deste sábado (26). Dados divulgados pelo governo do Rio Grande do Sul indicam que, até as 8h de hoje, a medição de 4,16 m se mantinha. A cota de inundação no local é de 3 m.

Os bags, como são chamados, são grandes sacos confeccionados em ráfia (um material resistente utilizado na construção civil), com areia e cimento dentro. Os sacos “endurecem” na medida em que a água chega a eles. Até o momento, segundo o Dmae, quatro das 14 comportas foram fechadas com cerca de 50 a 80 bags cada uma. Os demais portões estão fechados e monitorados pelo órgão, com exceção da comporta 11, que segue aberta para que a água escoe em direção ao lago.

Após vários dias sem chuva, a capital gaúcha registrou, ao longo de toda a última quinta-feira (23), precipitação prolongada e intensa. Com isso, ruas e avenidas ficaram alagadas e alguns bairros, sobretudo no centro-sul e sul da cidade, que haviam secado após as enchentes do início do mês, voltaram a ficar inundados. Os moradores tiveram de ser retirados de suas casas.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o mês de maio de 2024 já acumula 486,7 milímetros (mm) de chuva, o maior volume da história da cidade desde 1916.

Apesar de ser considerado robusto, eficiente e fácil de operar, o sistema de proteção contra inundações de Porto Alegre falhou por não receber manutenções permanentes por parte da prefeitura e do Dmae. A avaliação é de 42 engenheiros, arquitetos e geólogos. Eles divulgaram manifesto sobre a maior enchente da história de Porto Alegre.

Um dos problemas apontados foi justamente a existência de avarias na estrutura das comportas, que não estavam vedadas adequadamente e não impediram o extravasamento da água do Guaíba, inundando inclusive as casas de bombas, que pararam de funcionar durante o auge das enchentes, há cerca de três semanas.

LEIA TAMBÉM:

Redação

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Band aid para estancar hemorragias.

    Grave, senhores, não é o cinismo da direita agro bolsobosta invertendo narrativas e escondendo suas responsabilidades.

    Grave é o silêncio da chamada esquerda (qual esquerda?).

    Sim, os que se omitem são muito piores.

    A despolitizada ação do governo Lula, dando ênfase em aspectos sentimentais rasteiros, buscando uma popularidade frágil e volátil (e também oportunista), é um desalento para qualquer um que tinha esperança em uma mudança de direção deste lastimável terceiro mandato.

    Desastre.

    Lula se transformou em uma caricatura de si mesmo.

    Uma pena.

    Mas de certa forma, é o resultado das escolhas que ele fez, e das tantas outras que ele se acovardou de fazer.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador