A Zelotes acaba, vítima de seus próprios abusos, por Luis Nassif

Passado o período em que o antilulismo convalidava tudo, a Operação morre sem apoio, sem bonecos inflados e sem passeatas, deixando uma marca pesada, que ajudou a desmoralizar a imagem do Ministério Público, facilitando a consolidação da máxima de Romero Jucá, com Supremo, com PGR, com tudo.

A reportagem do Estadão, mostrando que a Operação Zelotes foi desmontada, é significativa. Um tema relevante – as jogadas do CARF (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais), anulando multas da Receita – no qual a Zelotes cometeu toda sorte de abusos e não apurou as denúncias mais evidentes.

O Ministério Público do Distrito Federal sempre foi o mais ostensivamente partidário de todos. Seus procuradores foram ostensivamente participantes de passeatas pelo impeachment, com uma falta de pudor desrespeitosa em relação ao próprio Ministério Público, ajudando a alimentar a besta fera do fascismo que se personalizou em Bolsonaro.

Na pior fase da catarse persecutória, preparando o impeachment, agiam ostensivamente alimentando a imprensa de suspeitas vagas – em especial a revista Época, em seu período mais tenebroso – e, com base nos seus próprios vazamentos, faziam denúncias de ofício (isto é, sem serem provocados).

Foi assim na tentativa canhestra de denunciar Lula pela licitação FX da Força Aérea Brasileira, que resultou na vitória do sueco Gripen. Foi um processo transparente, cuja decisão coube à própria Aeronáutica. Para alcançar o objetivo, a Zelotes juntou o patrocínio a um campeonato esportivo, organizado por um filho de Lula, ao resultado final da operação, ignorando a desproporção de valores e o próprio processo licitatório, e não trazendo um elemento sequer que comprovasse a relação entre os dois episódios.

Bastou a mesma barganha da Lava Jato com o convalidador geral de denúncias, Antônio Palocci, O ex-Ministro declarou que Lula intercedeu pela Gripen e se livrou de uma denúncia concreta, suas interferências no CARF em favor do Banco Pactual de André Esteves. Meramente declarou, como declararia que a terra é plana, que a humanidade descende de Adão e Eva e o que mais lhe fosse solicitado.

Leia também:  Favorito ao cargo de PGR foi processado por falsa identidade, por Luis Nassif

A prepotência de jovens procuradores, e a falta de coordenação das chefias, levou à denúncia do presidente de um grande banco comercial meramente baseada na delação de um advogado suspeito que foi ao banco vender serviços de consultoria tributária e desceu no mesmo elevador do presidente.

Passado o período em que o antilulismo convalidava tudo, a Operação morre sem apoio, sem bonecos inflados e sem passeatas, deixando uma marca pesada, que ajudou a desmoralizar a imagem do Ministério Público, facilitando a consolidação da máxima de Romero Jucá, com Supremo, com PGR, com tudo.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Quem está rindo à toa é o João Augusto Nardes, aquele do TCU que criou a farsa das pedaladas fiscais para o impeachment da Dilma. Ele foi pego na Zelotes por receber do Grupo RBS/Globo 3 milhões em propinas para livrar a empresa das multas de quase 500 milhões estabelecidas pelo CARF. É bom lembrar que Nardes teve uma audiência estranha - para não dizer suspeita - com Bolsonaro nos primeiros dias de governo para falar de "governança pública" [sic]. https://jefersonmiola.wordpress.com/2019/01/09/bolsonaro-recebeu-o-encrencado-nardes-para-falar-de-governanca

jeferson miola

13 comentários

  1. ” facilitando a consolidação da máxima de Romero Jucá, com Supremo, com PGR, com tudo.”
    E alguém tinha alguma dúvida deste conluio?
    E agora os idiotas estão encurralados pela própria desgraça que provocaram.
    Estão obrigados a morrer abraçados defendendo todas as transgressões que promoveram e até elevando o nível delas para que não pareçam o que são: uma quadrilha de bandidos togados vendidos e traidores da pátria.

  2. Quem está rindo à toa é o João Augusto Nardes, aquele do TCU que criou a farsa das pedaladas fiscais para o impeachment da Dilma.
    Ele foi pego na Zelotes por receber do Grupo RBS/Globo 3 milhões em propinas para livrar a empresa das multas de quase 500 milhões estabelecidas pelo CARF.
    É bom lembrar que Nardes teve uma audiência estranha – para não dizer suspeita – com Bolsonaro nos primeiros dias de governo para falar de “governança pública” [sic].

    https://jefersonmiola.wordpress.com/2019/01/09/bolsonaro-recebeu-o-encrencado-nardes-para-falar-de-governanca

  3. Lula avisou o Moro. Quem conta uma mentira, terá que mentir a vida toda, para não ser desmoralizado. E o Glenn está provando que o Lula tinha razão. Quem tem ânsia para alcançar o estrelato (mesmo que seja por 15 minutos), esquece de uma coisa fundamental: o pensamento!

  4. Na Zelotes onde poderiam pegar o maior e pior câncer do Brasil, a sonegação dos grandes, a política dos 70/30 para não melindrar as quadrilhas corporativas, mostra de forma bem mais grave o comprometimento da injusta “justissa” em deixar tudo como é, com STF e com tudo.

  5. A Zelotes não acabou por conta dos abusos, mas porque tinha o potencial de atingir verdadeiramente os poderosos do país o mercado financeiro. Tudo indica que as jogadas no Carf são pesadíssimas e como pouco potencial de atingir o mundo político. Desse modo, não interessou ao consórcio do golpe.

    Depois da Zelotes, tivemos uma delação premiada feita pelo Presidente do Grupo CVC que envolvia o Carf. Uma verdadeira bomba atômica com valores astronômicos que não teve a devida cobertura pela imprensa.

  6. Quanto custou aos cofres publicos todo este processo e várias operações que sequer deveriam ter existido, e várias que existiram e forma propositadamente desvirtuadas.
    Zelotes abandonou os grandes sonegadores para se dedicar a destruir profissionalmente o filho de Lula. Uma operação que teve requintes de sadismo quando prenderam a Cristina Mautoni, na ocasião em cadeiras de rodas e forçaram uma delação. Bloquearam na epoca 24 milhões de Lula e seu filho. E fizeram parte de uma razia que visava eliminar todos os amigos e familiares de Lula. E a mídia participou disto tudo alimentando o sadismo e em campanha para não deixar amigo ou familiar de Lula incolume. Usaram os bloqueios para tentar destruir a possibilidade de defesa e atacaram até seus advogados . E o pior de tudo é que fomos nós, isto é o nosso dinheiro que pagou para tudo isto. Mas jamais esqueçamos o cinismo dos jornalistas e comentaristas televisivos que em manchetes sucessivas foram alimentando o caso dos Grippen. O país passou uma grande vergonha inquirindo até a casa real da Suécia, Sarkozy etc… apenas porque procuradores e juizes queriam além do holofote, destruir Lula “as usual”.

  7. ESPERA AÍ COMPADRE !!!!! vc quer dizer que a Zelotes acabou porque se cometeram ilícitos de parte do MP????Por favor !!!!A ZELOTES ACABOU OU ESTÁ MORRENDO A MINGUA PORQUE PEGAVA OS PODEROSOS ,OS SIROTSZKI DA RBS,BANCOS ETC,SÓ LADRÃO GRAÚDO!!!
    Este tipo de enfoque é de estranhar para quem diz que está deste lado.
    Estamos calejados de saber que quando o pau pega pro lado dos poderosos,logo todo morre.Satiagraha e o Daniel Dantas são um belo exemplo dos muitos que temos na nossa história.
    Nos 70 tinhamos a JUSTIÇA POPULAR,agora faltam culhões para leva-la adiante,É A ÚNICA JUSTIÇA QUE ELES TEMEM.

  8. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome