O Índice de Preços ao Produtor continua pressionado, por Luis Nassif

A queda no mês foi de Bens Intermediários (-0,27%). Mas, em 12 meses, foi o grupo que mais cresceu (19,41%).

O Índice de Preços ao Produtor (IPP), do IBGE, mede a variação de preços pagos pela indústria. É um bom indicador de antecedentes do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

No mês, a alta foi de 0,1%. Em 12 meses, 18,78%,

Consiste de levantamento em três grupos distintos: Indústria de Transformação em Geral (com 26 setores), Grupos Industriais Selecionados (23 setores) e Grandes Categorias Econômicas (6 setores).

Comecemos pelas Grandes Categorias Econômicas. No mês, houve alta em 5 setores e queda em 1. Em 12 meses, alta nos 6 setores,

A queda no mês foi de Bens Intermediários (-0,27%). Mas, em 12 meses, foi o grupo que mais cresceu (19,41%).

Em Grupos Industriais Selecionados, dos 23 setores, no mês houve 16 altas e 7 quedas; em 12 meses, 20 altas e 3 quedas.

Do mesmo modo, a maior queda do mês, Fabricação de Produtos Químicos (-5,04%) também foi a maior alta em 12 meses (+69,28%).

Finalmente, no grupo Indústria de Transformação em Geral, no mês houve 17 setores em alta e 9 em queda; em 12 meses, 25 em alta e apenas 1 em queda.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador