A Justiça assume o poder, sem voto nem povo, por Rodrigo Vianna

dallagnol_-_marcelo_camargo_abr.jpg

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Da Revista Fórum

 
por Rodrigo Vianna
 
O sistema político implodiu. A República de 1988 chegou ao fim, mesmo que ainda tenha forças para se arrastar moribunda pelo chão.

O Poder Judiciário e o Ministério Público, numa aliança prolongada com a Globo e a mídia comercial, assumem o poder. Reparem: são 3 poderes que não se submetem à chancela do voto. MPF, STF e Globo. E se retroalimentam, absorvendo a legitimidade que tiraram do sistema político.

A cobertura da Globo sobre a lista de Facchin/Janot segue a lógica esperada: 10 minutos de bombardeio intenso contra Lula, e uma cobertura muito mais diluída quando os alvos são tucanos. Mas a novidade é essa: rompeu-se a blindagem tucana.

O PSDB deveria anotar essa data: 12 de abril de 2017. Desde hoje, o partido perdeu a utilidade como contraponto ao PT. Serra, Aécio, Alckmin e FHC (ah, o aluno de Florestan Fernandes não conhece a História brasileira?) cumpriram o destino de Lacerda: usaram o moralismo e a histeria das classes médias para tramar o golpe contra Dilma. E no fim acabaram tragados pela onda que ajudaram a fomentar.

Este blogueiro escreve sobre isso desde 2015 – como se pode ler aqui. Engana-se quem pensa que Moro e a Lava-Jato cumprem uma agenda tucana. A agenda do Partido da Justiça, em aliança com a Globo, segue ritmo próprio. A aliança com o PSDB era meramente tática. E se desfez.

O objetivo não era destruir o PT, mas implodir o Estado nacional. O que em parte já se conseguiu.

No sistema político, Lula é o único ainda com capacidade de liderança para enfrentar a direita togada. Aqui e ali, personagens de outros partidos parecem intuir que de Lula poderia vir alguma reação. Inclusive FHC (agora sob investigação da Justiça) já deu mostras de que seria preciso algum freio no moralismo togado. Parece pouco, e parece vir tarde demais.

Moro e a Lava-Jato ainda precisarão manter o bombardeio para destruir Lula.

A cobertura do escândalo no JN, neste dia 12 de abril, foi uma sucessão de “Facchin disse”, “o STF pediu”, “Moro recebeu os autos”. A Justiça no centro absoluto do poder. O Executivo e o Legislativo colocados de joelhos.

O clima agora é de salve-se quem puder.

A sina de 64 se repete. Os espertalhões do golpismo acharam que empunhariam o poder. Mas a derrubada do trabalhismo significa que o poder está agora nas mãos de uma corporação sem votos, associada à família mais rica do Brasil: a família Marinho. O verde oliva, nesse golpe do século XXI, foi substituído pelo tom negro das togas.

Se Moro mandar o camburão da PF parar na frente da casa de qualquer empresário/jornalista/operário/professor, a condenação já estará estabelecida. A Justiça pode tudo. Todos são suspeitos.

Caminhamos para um caos, num Estado que se desmonta.

Das ruas pode vir alguma resistência. Mas o fato é que vivemos numa espécie de 1968, sem AI-5 declarado.

Esse tipo de processo baseado na caça às bruxas e no denuncismo permanente tende a devorar inclusive seus filhos. A lógica é essa. E o caminho estará aberto para as falanges fascistas e histéricas que votavam no PSDB e agora tentarão conduzir ao poder algo muito pior. O caos será prolongado.

Assine

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

39 comentários

  1. Aqui, confinado no meu quarto

    Aqui, confinado no meu quarto 101 particular, com o pensamento no bravo desabafo do Nassif, ao falar com a clareza possível desse depravado que ocupa a Procuradoria Geral da República, e lendo a matéria anterior a essa, absurda, explicitamente pornográfica, sobre o Itaú, e tomando conhecimento, pois não assisto mais TV, dessa manipulação grosseira, baixa, rasteira, servil, dos jornalistas do PIG a respeito da delação do Odebrecht, confesso que começo a ceder ao desânimo.

    Começo a pensar que o nosso povo – que não é povo, porque não somos uma nação – tem mesmo vocação para o servilismo, para a beijação de mão, para se rebaixar, para dar a qualquer um o tratamento de Doutor, para manter-se obsequiosamente em silêncio, sem para isso precisar ser mandado, para ser boi manso.

    Nem a desculpa da ignorância parece caber mais. É tão explícita e selvagem a atividade criminosa desse autêntico Estado privado, tão na cara, tão sem pudor, que não é mais questão de o povo não ter capacidade crítica de absorver essa realidade, é vocação para não se envolver, conformismo fatalista. É tudo da vontade de Deus.

    Espero que o dia 3 me desminta. Aspiro, em verdade. Mas já não creio. Nossa vocação é para sermos um Haiti que se imagina Suíça, e isso já entranhou até mesmo na casca do pobre.

    1984 chegou. No lugar do Partido, o binômio Bancos/Grandes corporações. E seus henchman, seus áulicos, MP, Mídia, os moleques de recado – os políticos – que sobrarem, etc.

    Esse é o Poder.

  2. O Imperialismo

    O imperialismo por detrás.

    O Moro serve ao imperialismo, e em meu modo de ver, diretamente. Há um canal estabelecido entre quem operacionaliza as intervenções da “nova ordem mundial’, via cia, as “covert actions” da CIA, com pessoas do judiciario e políticos.

    Já ouvi boatos que Moro, aloysio, Freire SÃO agentes da cia, ou estão a serviço delas, pelo menos.

    Digo que são boatos, por que são boatos e não quero ser preso acusado de de ser comunista, maconheiro, petista, pobre ou mentiroso, não por favor!

     

  3. O caos será prolongado

    A única certeza é que isso durará muito tempo. O Golpe 2016 foi ridículo e absolutamente grave. PHA, Nassif e outras mentes brilhantes sendo processadas por esses delinquentes do Judiciário, MPF, PF.

    O povo está atordoado e assiste a Globo como se a Lava Jato fosse uma novela sem consequencias reais.

    Quando a justiça irá investigar os juizes delatados? Quando a justiça vai chegar na Globo sonegadora, manipuladora??????

    Curioso para saber se teremos eleições em 2018.

  4. A primeira providencia? Tirar

    A primeira providencia? Tirar o centro de poder de Brasilia,

    coloquem de volta ao Rio, ou São Paulo, ou qualquer outra capital, aquilo se transformou numa Babilonia, longe do povo, onde conchavos e transações tenebrosas se fazem na calada da noite ou não, a segunda: criar um tribunal penal popular, isso mesmo POPULAR, o povo deve julgar os crimes de politicos e juizes, e quem não quiser que não se atreva a se-lo, esse cnj virou um orgão mais de defesa dos interesses do que de fiscalização, haja vista a unificação das benesses e nenhuma ação concreta contra abusos, alias, o teto de salarios, virou isso mesmo, o céu é o limite………

  5. Análise brilhante de Rodrigo
    Análise brilhante de Rodrigo Vianna. Pena que não mantém mais o blog escrevinhador que era excelente. Acho que não teremos eleições para presidente em 2018. Já na meia idade nunca tive tanta vontade de emigrar.

  6. Justiça

    A verdade é que essa  pseudo justiça não é  justa.Denúncia não é prova, muito menos delação feita por alguém que está preso há dois anos.O PSDB não sabia o monstro que estava vindo atrás dele, ele abriu passagem para esta engrenagem perversa aparecer, mas ele é um partido político, não é possível que ele quisesse se auto destruir.Nem ele nem o próprio Temer.

  7. A diferença é que, ao

    A diferença é que, ao contrário das forças armadas, o Judiciário não tem poder em si.

    Eles precisam das polícias e, em última instância, das forças armadas.

    Eles não tem um projeto minimamente viável de país, ao contrário dos militares, concorde-se ou discorde-se deles.

    No dia em que forem derrubados (Pode levar décadas, o Brasil pode já estar totalmente inviabilizado como nação), perderão todos os privilégios. Sairão mais enfraquecidos que os militares no pós-ditadura.

    Ah não ser que os Estados Unidos intervenham diretamente como poder armado para defender a república dos togados.

  8. Mas combater os togados é

    Mas combater os togados é mais fácil que combater o exercito.

    Não precisamos entrar em detalhes, mas contra o exercito houve resistência.

    Agora a resistência será mais fácil.

    Com certeza que no primeiro stopim que explodir, esses togados recuam.

    Como o blog está monitorado, esse tipo de informação deve chegar aos seus ouvidos.

    Cuidado togados !! Não queriam brincar com a força do povo.

    Muitos de vocês tem rabo preso, são metidos em falcatruas, e acertos.

    Não queiram tomar o poder no grito.

    • Caro companheiro, eu vi

      Caro companheiro, eu vi policiais com salários atrasados atirando em senhoras e crianças que esperavam o ônibus e em trabalhadores que protestavam contra o governo caloteiro. Eu vi o PM com seu salário de três mil reais batendo na professora que ganhava dois mil reais.

      Não tenho medo da toga, tenho medo da farda. A toga pensa, a farda não. A toga manda e a farda obedece.

    • Os togados são e serão defendidos por tropas estrangeiras.

      Parece que ninguém entende, quem quer o poder não são os TOGADOS ou nada disso, são forças do Imperialismo que procuraram simplesmente manter o poder exatamente por quem não tem força nenhuma numa república.

      O judiciário tem uma força simbólica, as únicas forças reais são num segundo plano o Legislativo e num primeiríssimo plano o Executivo.

      Agora porque desmontar tanto o Executivo e o Legislativo e colocar o poder no Judiciário. Simplesmente porque este poder depende de outros para sobreviver, um juiz pode mandar prender, porém ele não prende ninguém, logo é um verdadeiro poder sem poder real nenhum. Porém o Judiciário que não tem a capacidade de fazer nada de concreto tem a capacidade de imobilizar todos os outros poderes e impedi-los de fazer algo em termos de realização física.

      O problema principal que que ninguém nota que o importante nos países de terceiro mundo é que estes não produzam nada assim como consumam o mínimo possível, a famosa e famigerada ideologia do DECRESCIMENTO é a chave de tudo, ou seja, os países emergentes NÃO PODEM EMERGIR!

  9. Como se sabe o combustível

    Como se sabe o combustível das revoluções é a miséria, não me parece que esta seja uma preocupação central dos golpistas concurseiros então…

  10. Multa ou pena de um a seis meses de prisão por existir.

    Uma justiça parcial e desalmada teve seu poder amplificado pelo excesso de leis. Ao criar o crime o governo também cria o criminoso e, da noite para o dia, pessoas honestas transformam-se em foras da lei pelas canetadas de doutores arrogantes em palácios de Brasília.

    Qualquer cidadão honesto forçado a respeitar as 100 mil normas legais que existem no Brasil acaba desistindo do desafio de forma consciente ou quebrando a lei por um pequeno deslize. Não raro são os casos de trabalhadores e empresas que estão fora da lei por puro desconhecimento, um documento vencido ou um pequeno valor não declarado transformam-se em vultuosas multas ou penas de 1 a 4 anos e a justiça não perdoa, exceto, talvez, meia dúzia de banqueiros e os ‘misters’.

  11. Não acredito num novo 1964 –

    Não acredito num novo 1964 – a cena e as atuações não devem se repetir. Há uma diferença pequena, mas bem significante:

    – em 1º de abril de 1964, alguns militares se insubordinaram (mas todos já tinham carteirinha de insubordinados há décadas) e, com a massa pseudo cristã conivente que propiciou a tomada do Poder por eles, somada ao silêncio da maioria dos militares e dos civis (que se calaram, a pedido do próprio Jango) levaram o País a um de seus mais vergonhosos períodos – ainda que com algum altruísmo e desenvolvimento;

    – agora, não se prevê insubordinação de militares (que até parecem estar atentos a muito possíveis tentativas “estrangeiras” de tirar proveito do que está sendo plantado) e a massa propícia ao entreguismo está ainda tentando curar-se da fria em que entraram no golpe de “tomada” do Poder pela ralé da política brasileira.

    Isto posto, não está fora da alça-de-mira a possibilidade de se estruturar um movimento muito forte e coeso, ainda de civis e de militares, que se transforme em “Basta!” e, talvez com auxílio destes patriotas que estão em silêncio, se comece a punição aos que se despiram de vergonha na cara, dos valores patrióticos e de suas funções no cenário da decência social e humana.

    E um movimento que nasça assim se transforma numa onda de ações que culminam com a punição dos calhordas que traem a Pátria e a expulsão dos que a querem subtrair.   

  12. Essa foto que ilustra este

    Essa foto que ilustra este post, do procurador do power point, me levou a refletir. Um jovem ambicioso, vaidoso, mas,  declaradamente, “um seguidor de Jesus”. Será que ele tem noção do pântano em que foi enfiado, a que forças serve a sua missão  “moralizadora”? Se sincero em sua crença religiosa, vai ser muito doloroso descobrir, já na condição de servo inútil, que serviu a outro senhor.

  13. O gran finale é o “Berlusconi”

    Concordo com o articulista, pois, hoje, é evidente que o país está à mercê do dispositivo midiático-judicial. Mais ainda: se tudo correr de acordo com essa toada, ou seja, se a população não acordar e lutar para ter a democracia de volta, muito brevemente, veremos instalado no poder um “Berlusconi” à brasileira sob os auspícios do dispositivo midiático-judicial. É claro que essa é a solução sonhada pela plutocracia que deu o golpe em 2016.  

  14. Eu diria que em parte está

    Eu diria que em parte está certo, muito aceitável, mas não tem como desconhecer a participação dos parlamentares (federais, estaduais e municipais) que fazem parte do processo, além das Forças Armadas e dos empresários associados ao capital multinacional. Na realidade, são forças internacionais atuando nos países, financiando pessoas e instituições,  no sentido de conduzirem e orientarem o processo político para atender os interesses do grande capital, ainda a maior parte capitaneado pelos Estados Unidos. Esse esquema, na imensa maioria dos países, que já perdura há quase um século, impõe a doutrinação e o financiamento de juízes, membros do Ministério Público (no caso do juiz Moro e alguns procuradores está às claras), políticos, estudantes, militares, economistas, jornalistas e profissionais de todas as áreas. Juízes, procuradores, militares do primeiro escalão, políticos com liderança nas casas legislativas, dificilmente alçam posições de destaque em suas corporações sem atender esses interesses (claro,que com direito a enriquecerem com porpinas que recebem), porque são escolhidos pelo sistema político para exatamente defenderem os interesses do capital multinacional. As Forças Armadas mais parecem tropas de ocupação no sentido de preservar não o interesse do Estado brasileiro, mas o de soberania não identificada. Em várias oportunidades, ficou mais do que claro que o Presidente da República não é seu comandante maior. Há até na constituição um artigo maroto para, no entender dos militares, lhes dar independência do poder político. Só o comunismo (hoje quase somente existente na doutrina) as preocupam de forma explícita, não interessando, por exemplo, a ocupação do território nacional por bandidos, que submetem aos interesses da economia das drogas populações pobres no país inteiro, que vivem em permanente estado de guerra civil; empresas e instituições estrangeiras que adquirem terras imensas em nosso território;  e, o mais grave, riquezas minerais como o petróleo sem efetiva defesa como ativos brasileiros inalienáveis. Dando forças a todos os escolhidos para defenderem esses interesses do capital estrangeiro, orientando e dando-lhe diretrizes e recursos (pagamento), repercutindo tudo a fazer para atender os interesses do capital multinacional no Brasil encontra-se a ,mídia. no caso, e no presente, liderada pelas Organizações Globo. Essa posição já foi da extinta Rede Tupy, nos idos da década de 50-60. Assim, diria: nada de novo. Quem contraria esses interesses a ponto de ameaçá-los é pau na moleira! É assim na maioria de todos os países capitalistas, inclusive e principalmente nos EUA. Desistiram ao que parece da Democracia representativa mesmo fajuta e estão tentando um modelo de controle através do Judiciário com o Legislativo e, claro, com as Forças Armadas na penumbra, como aconteceu agora no golpe contra a Dilma, mas parece que está difícil, não só no Brasil. Os militantes que estão a serviço desses interesses são muito corruptos, claro que desde quando  aceitam ser cooptados pelos interesses estrangeiros. Por mais que falem em honestidade, ou coisas do tipo, devemos prestar muita atenção no que defendem e a quem se aliam. Um bando de pulhas entreguistas e apátridas

    • eu….

      A esquerda capitaneada pelo PT vai seguir este caminho? Não enxergaram ainda o abismo ou o suícidio é a única opção? Cachorro atrás do rabo. Inocentes pensando serem espertos. O golpe do golpe. O que esperavam? Jogaram o governo Collor no buraco e deixaram o buraco aberto. Advinha onde cairam? Mediocridade. Bater na RGT? Companheira de Olimpiada e Copa? Bilhões em Elefantes Brancos. A culpa é da TV? De Estatuto do Desarmamento? De Toni Ramos morrendo numa fantasia no país de 100.000 assassinatos de verdade? A sociedade é que não entendeu a promessa e os resultados? Eleições obrigatórias em urnas eletrônicas de 250.000.000,00 de reais. De Fundo Partidário de mais de 1.000.000.000,00 de reais. Onde falta esparadrapo e merenda para uma criança? A Classe Média é que não etendeu a perspectiva? Neste país até as bactérias sabem que a corrupção assola a todos desde a porta das suas casas em municipios miseráveis como Bom Jardim, onde uma Prefeita consegue desviar 50.000.000,00 de reais até Palácios frequentados por Presidentes e Empreiteiros. A esquerda tentará sair por aí? Tentem ser menos mediocres….

      • O coxinha desenterrou o

        O coxinha desenterrou o Collor… coitado do Collor, depois do Aécio, é um dos mais denunciados por corrupção. Esse é um dos denunciados que só escapa da cadeia se morrer antes da condenação.

  15. A Mídia já tem seu candidato

     

    Dória a o nome da vez, ele não é bem PSDB é mais PFL moderado tipo ACM Neto. Como alguém que acusa a esquerda esta em um partido socialista? Mas a Globo já escolheu, e não quis saber a opinião de Alkim e Aécio muito menos do moribundo Serra, moribundo mas esperto, sumiu se escondeu, contra ele o Lula não consiguirá ser eleito, com essa forte propaganda da mídia e uma pessoa desconhecida, não dá para fazer comparações. Mas Lula pode dar um cheque mate na mídia e nos golpista ajudando a eleger Ciro, o único de esquerda com poder de fogo para essa empreitada ainda, todos os outros caíram.

    • Mais um oportunista que se

      Mais um oportunista que se alia a Paulo Henrique Amorim na campanha do Ciro. O Ciro de esquerda? Zé Simão pode aproveitar essa para fazer um deboche. Quais são os partidos que o Ciro não foi filiado? Só mesmo nos dois últimos criados.

  16. a justiça, a globo e os

    a justiça, a globo e os bancos assumem o poder. esqueceram dos banqueiros.e os empresarios que apoiaram foram abandonados no meio do caminho.

  17. Não precisa ter essa

    Não precisa ter essa preocupção. A lista é grande mas vão pegar somente alguns poucos senadores e deputados inexpresivos e de algum estado pequeno. Mas tambem isso não vai acontecer agora. Todos terão oportunidade de votar essas reformas tirando direitos sociais e reelegerem em 2018. Essa lista é apenas uma boa cortina para que o Congresso possa votar tudo o que quiser tirando direitos da classe média. Da classe media porque terceirização já é uma realidade para os pobres, Previdencia faz parte do mundo dos pobres porque eles se aposentam com salario total, isto é, um salario minimo, contribuindo ou não. CLT não faz parte de direitos dos pobres pois a maioria vive de bicos. Então essas reformas só prejudicarão a classe media. Enquanto ela goza com os escandalos, quando isso passar, vai cair na real mas aí já será tarde. Quanto ao sistema politico não será implodido.

  18. É a ditadura judiciária da

    É a ditadura judiciária da qual nos alertava Rui Barbosa. Só que agora com a parceria de uma poderosa corporação de mídia.

  19. A primeira colônia do século XXI.

    A análise do Rodrigo Vianna é taxativa, o país está à beira do abismo, como já apontou o Nassif. Mas só a globo e o judiciário não explicam o desmantelamento do estado nacional.  Qualquer economista com um mínimo de lucidez poderia antever o desastre econômico e social, considerando os interesses dos que promoveram o golpe. O que a família Marinho e a quadrilha do judiciário ganhariam com a destruição pura e simples do país ?   Os sócios ocultos, que dão sustentação ao processo em andamento, são as corporações financeiras, nacional e internacional e os órgãos de segurança dos EUA.  O patrimônio nacional está sendo transferido para essas corporações, junto com nossa soberania. O poder econômico dessas corporações associado ao poder dos órgãos de segurança dos EUA, que dirigem a maior máquina de guerra do planeta, são os pilares que sustentam a tomada do poder, sua manutenção por tempo indefinido e os ganhos da Globo e da quadrilha do judiciário. Parece inacreditável, mas os fatos e a lógica apontam para isso: a família do Big Brother Brazil ( é isso mesmo, o Grande Irmão do Brasil) ) e os Capas Pretas entregaram o Brasil ao Império Bélico-Financeiro, em troca do direito de administrarem a primeira colônia do século XXI.  

  20. Que tal vaticínio não se cumpra

    “…O caos será prolongado.”

    Que tal vaticínio não se cumpra, mas que o Post é a constatação sem retoques do pré-caos já instalado, isso é!

  21. Lembro que postei num

    Lembro que postei num comentário a mais de ano dizendo que  a Lava Jato era uma operação de guerra montada nos States e visava, com apoio da Globo, primeiro capturar o Poder Judiciário para juntos capturarem o Poder Legislativo e os três serem utilizados para capturar o Poder Executivo. Lembro também que disse com todas as letras quem era Sergio Moro, porque o sistema partidário tinha que ser destruído e qual era o objetivo final da Lava Jato.

    Portanto, não me espanta em nada o artigo do Rodrigo Vianna. Confirma-se o que escrevi. O que mais me espanta nisso tudo é que as afamadas raposas da política não se darem conta do que estava acontecendo. Estúpidos, ficaram tão afobados e estasiados com a perspectiva de apear o PT do poder que não conseguiam ver o tsunami que se aproximava. Na ânsia de destruir o PT aliaram-se a Globo e a Lava Jato sem se tocarem que estavam sendo usados…. Impressionante o primarismo dessa gente tão “esperta”…

    Deu no que deu…. E o caos, como ressaltou Rodrigo, será prolongado.

     

    • Sobre a República Lavajatense….
      Procuradores seletivos do MPF assumiram publicamente que estão usando o “petrolão”(o processo da Zelotes não serve, mesmo q signifique uns 200 “petrolões”) para refundar a República”. Sejamos francos:

      Uns caras que em termos politicos e de defesa do interesse nacional e da geopolitica são analfalbetos de pai e mãe….uns caras que não tiveram sequer um voto se dão ao direito de “refundar a república” e se deram bem na tera: a tal república refundada, a republica da delação, é uma confraria de ladrões: os verdadeiramente corruptos tomaram de assalto o poder

      “(…) A ira santa de Dallagnol contaminou Carlos Fernando dos Santos Lima, da força-tarefa do MPF. Ao Estadão, Lima disse que “o Brasil merece mais. Merece acreditar em quem trabalha duro e honestamente”.

      De acordo com ele, nada mudou aqui — até agora. “Vivemos ainda num capitalismo de compadrio, em uma falsa República”. Há esquemas criminosos no governo federal e nos partidos, declarou.

      É preciso montar o quebra cabeça das relações público-privadas. “Só assim”, diz ele, “a população poderá separar o joio do trigo e poderemos enfim refundar nossa República.”

      DCM: O promotor Carlos Fernando quer “refundar a Republica”: faz sentido…

      http://www.diariodocentrodomundo.com.br/quem-deu-mandato-aos-procuradores-da-lava-jato-para-refundar-a-republica-por-kiko-nogueira/

      Paulo Moreira Leite sobre procurador querer “refundar a república”

      https://jornalggn.com.br/noticia/republica-lava-jato-pode-quebrar-o-pais-por-paulo-moreira-leite

      Carlos Fernando, procurador da Lava Jato, quer “refundar a Repúblca”

      http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/185524

      Mauro Santayana:

      Ora, não consta na Constituição Federal, que o Ministério Público, tenha entre suas atribuições, refletir a opinião pessoal – e muito menos partidária, que lhes é vetada – de seus membros, ou a de “refundar a República”.

      A República, organizada enquanto Estado, fundamenta-se na Lei, e um de seus principais guardiões é, justamente, o Ministério Público, a quem cabe obedecer à Constituição Federal, até que esta, eventualmente, seja mudada em Assembleia Nacional Constituinte.

      Se alguns procuradores do Ministério Público querem “refundar” a República, que, do modo que está, parece não ser de seu feitio, o caminho, em nosso atual regime, é outro:

      Cabe-lhes lutar, como cidadãos, pela convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte.
       

      http://www.maurosantayana.com/2016/02/a-republica-dos-burocratas-e-o-poder.html

       

       

  22. Chutando o balde

    De tanto apertar o rabo do congresso acabaram soltando o rabo do corpo. Houve a tão temida “sangria”, mas esses caras do congresso são profissionais e vão contra-atacar. O MPF/Globo aposta agora em Dória.

    O congresso, sem o rabo preso, é uma força considerável, exatamente para deter o golpe que eles mesmos iniciaram. É só acompanhar as ações do Renan Calheiros…

    • O pseudo moralismo udenista

      Pois é, corruptos como Cunha e Serra deram o golpe. Coisas que quero entender: pq um Serra que fez uso de recursos publicos está de boa, enquanto Lula não cometeu ilegalidade nenhuma está sendo massacrado. O udenismo pseudo moralista está no ar. 

      Fernando Brito: porque não sou udenista

       

      A discussão sobre as intimidades de Lula com Emílio Odebrecht, estranhamente, remeteu-me a um  conversa, meses atrás, com meu filho de -agora – 12 anos.

      Versava sobre vilões e heróis, no mundo das fantasias em que ele ainda vive e nós, adultos, somos sempre tentados a viver.

      O bem e o mal. O certo e o errado.

      Quase aos 60, tenho uma vida que não é algo que deseje para qualquer pessoa, não pelo que ela é, mas pelo que ela foi.

      Trabalho extenuante, como ainda hoje é, dinheiro curto,embora menos do que sempre foi. Dedicação à política, como sempre será, mesmo que o corpo e a alma, cansados, desejem a folga, os feriados, as licenças que ela não dá.

      Nunca fui petista, creio que jamais serei, também.

      Mas tento, todos os dias, enxergar a história do meu povo, o que ele sente, o que ele pensa e, sobretudo, o que e quem incorpora seus sonhos de autonomia.

      Se algum dia eu o abandonasse, se deixasse de sofrer suas dores, se deixasse de me emocionar com seus sofrimentos, se fizesse pouco de suas carências, eu me consideraria corrompido, ainda que não recebesse um tostão, uma garrafa de vinho ou de uísque que fosse de “meus novos amigos”.

      Na conversa com meu filho, nos indagamos se os vilões eram demônios e os heróis eram deuses.

      E até uma pequena e inquieta mente alcançou que não, que eram seres humanos e vilão e herói não eram suas condições naturais, eram o que faziam.

      Meu avô, de quem falei aqui há tempos, era um pintor de paredes. Virou um cidadão por causa de um estancieiro, um “terrateniente” chamado Getúlio Vargas, que se embebeu de um projeto de nação, e um projeto de nação pressupõe a existência de um povo, não de uma legião de escravos.

      Os homens não são o que são, apenas, são aquilo que eles encarnam e representam.

      Minha vida adulta foi ao lado de quem, morando na Avenida Atlântica, com o mar de Copacabana diante dos seus olhos, nunca deixou de lado a infância miserável de Carazinho.

      Nela, jamais presenciei um ato indigno de traição – erros, certamente muitos – mas vi muitos que se eu conservasse o primarismo dos tolos, seriam o bastante para me afastar. Como entender, por exemplo, que um dos oligarcas brasileiros, Jorge Gerdau Johannpeter, estivesse sempre pronto a colaborar com a atividade política de um trabalhista que contradizia todo o discurso do Lide, de João Dória, onde hoje pontifica?

      Talvez, por tudo o que tenha visto passar diante dos meus olhos, a política para mim não tenha se convertido, apesar de ser a atividade de uma vida inteira, em algo semelhante a uma religião.

      Recordo da garrafa de  Romanée-Conti dos primeiros dias de Lula eleito.

      Eu não vivo no mundo dos Romanée Conti, como não vivia no dos Chateauneuf du Pape, que volta e meia Leonel Brizola ganhava.

      Não julgo alguém por sua vida pessoal, íntima.

      Na política, o julgamento que importa é aquele que se faz por sua vida pública, com governante, como representante de milhões que o sufragaram.

      Aprendi com o velho pintor de paredes de Realengo que o julgamento não é moral ou ideológico.

      É o que se faz pelo país e por seu povo, para somar ambos em Nação.

      Estou muito velho para me tornar udenista, porque sei o que o udenismo fez a este país.

      E estou muito jovem para ser udenista, porque ainda sou adepto da liberdade, do direito de cada um viver como quiser, ainda que muito diferente do que eu vivo.

      E, por velho e por jovem, aprendi que o que vale, na política, é o que se faz com  e para o país.

      É isso o que faz vilões e heróis.

      Ah, e a propósito, herói acaba sendo aquele que tem meios de nos salvar do desastre.

      Porque, como clamava Gláuber Rocha, quase sempre, se o deixam se expressar, “mais fortes são os poderes do povo”

      Encarná-los, quem há de?

       

      http://www.tijolaco.com.br/blog/por-que-nao-sou-udenista/

  23. Quando a defesa do interesse nacional não faz parte da ordem

    Quando a defesa do interesse nacional não faz parte da ordem do dia, pode-se deportar um renomado cientista que chega ao pais para contribuir com a ciência e o desenvolvimento nacionais…claro que há uma evidente descoordenação, paira no ar uma certa confusão, um conflito de competências, como dizem, há muitos caciques para poucos índios:  o caos está instalado.

    O governo brasileiro, diante dos ganhos que teria com a contribuição deste cientista, não poderia ter resolvido esta questão através do pagamento/anistia desta multa,..,…ao invés disso preferiram constranger/prender/humilhar….ah sim, isso ocorre num pais em que o Itaú acaba de se safar do pagamento de uma multa de 25 bilhões de reais..

    PF detém e deportará um dos maiores especialistas em meteoritos da NASA

      

    Júlio Ottoboni

    A Polícia Federal do Brasil deteve no final da manhã deste domingo (30) e deportará um dos maiores pesquisadores mundiais de meteoritos, o Dr. Klaus Keil, que vinha para uma série de palestras e eventos científicos no país.

    Aos 80 anos, o cientista desceu no aeroporto de Guarulhos (SP), de um voo da American Airlines, de onde tomaria uma conexão para o Rio de Janeiro, quando foi detido.

    Meteoritical Society Endowment Fund financiou a vinda do pesquisador para o Brasil, onde haverá um circuito de palestras, inclusive para a abertura do Encontro de Meteoritos e Vulcões do Museu Nacional (RJ), no próximo dia 03, e para palestras em Porto Alegre, Salvador, Inpe de São José dos Campos, e para o Encontro de Astronomia da FAB no começo de outubro.

    O motivo alegado é a falta o pagamento de uma taxa quando esteve no Brasil, em 2013, a convite do Museu Nacional, quando também efetuou uma série de palestras e encontros sobre o assunto.

    Diversos cientistas se mobilizaram para evitar a deportação, inclusive para entender o ocorrido. “Vai ser uma catástrofe no meio científico, se ele for embora não retornará mais, inclusive pela idade. É uma pessoa que tem publicações sobre os meteoritos brasileiros e ama o país. A situação é altamente constrangedora”, disse a professora e pesquisadora do Museu Nacional, Maria Elizabeth Zucolotto.

    Dr. Klaus Keil é professor de geologia na Universidade do Havaí e entre 1963 e 1968, ele chefiou o departamento de Cosmochemistry NASA, quando ocorriam os famosos eventos de análises das pedras da Lua. Desde 1990 ele tem sido professor de geologia e geofísica na Universidade do Havaí em Manoa.

      

    http://www.defesanet.com.br/space/noticia/20186/PF-detem-um-dos-maiores-especialistas-em-meteoritos-da-Nasa/

  24.  
    Lamentável o

     

    Lamentável o artigo…

    Desde Montesquieu, os Estados se organizam em torno de 3 poderes: executivo, legistativo e judiciario. Qual a organização de Estado que o autor propõe no lugar?

    Fala do Judiciario como um orgão unico, como se todos os juizes fizessem uma grande reunião e um grande acordo contra o Estado Nacional (sic). Em conluio com o MP….. Esquece-se o autor que a grande maioria está no cargo através de dificil concurso publico, estudaram muito para chegar lá. Fora os tribunais superiores e um quinto dos tribunais, não há indicação politica para favorecer A, B ou C. É dificil acreditar que pessoas de diferentes matizes, que chegaram ao cargo via concurso publico, de forma técnica, agora se aliam de forma organizada para ignorar as leis e o direito que estudaram, tudo com o objetivo de tirar o PT do poder e atingir o Lula. Defender tal teoria é nos chamar de idiotas.. É muita teoria da conspiração…

    Muito mais fácil aceitar que o PT e todos os demais partidos de fato tomaram de assalto o poder publico para fins privados, se locupletando insaciavelmente de recursos publicos que controlavam. Isso há décadas. E pela primeira vez na história desse pais, grandes empresários e politicos são processados e vão de fato para a cadeia. Não entendo os que se insurgem contra isso: querem que os mesmos grupos continuem a sangrar o pais impunemente?

    Para mim o mais triste é ver que um partido dito de esquerda, não só sucumbe a essas praticas nocivas, mas chega mesmo a liderá-las por tanto tempo…

    Claro que nessa luta excessos pdem ocorrer. O ativismo judicial se apresenta porque o legislativo cria um vácuo a não as criar leis necessárias. Sem essas leis, a população recorre à Justiça, e como alguma solução tem que ser dada, essa Justiça acaba agindo como legisladora positiva em muitos casos. Mas como Executivo e Legislativo estão tão corroídos (o e talvez o Judiciario  tambem esteja, mas acho que não no mesmo grau), não produzem as leis necessárias. E no fundo é culpa nossa, pois estão lá porque chegaram através do voto.. 

    Criticar os erros e muito fácil… O artigo fala que vivemos num caos, num Estado que se desmonta, e que espera alguma resistencia das ruas… Resistencia a que? Para colocar o que no lugar? Gostaria de ver qual a proposta concreta para enfrentar a situação que vivemos.. Espero que não seja acabar com os poderes de Estado existentes…

     

     

     

     

    • Parei aqui…

      “Qual a organização de Estado que o autor propõe no lugar?”

      O autor não está propondo nada. Está só constatando os acontecimentos.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome