O Estado Nacional acima de tudo, por André Araújo

O Estado Nacional acima de tudo

Por André Araújo

O Estado é um barco onde estão todos os habitantes do País, bons e maus, puros e  corruptos, idealistas e gananciosos. Se o barco afunda, todos afundam juntos, por isso a preservação do Estado está acima dos ideais de justiça e das causas virtuosas.

Nas guerras os Estados praticam atos ignominiosos em nome de sua defesa. O Exército americano fez acordo com a Máfia para a invasão da Sicília. Não há limite moral ou ético para um Estado na preservação de sua existência e do povo que ele abriga e protege.

No Brasil de hoje perdeu-se a noção de Estado e alçou-se em valor acima dele um ativismo pretensamente ético-moral que sob esse pretexto está destruindo os fundamentos do Estado brasileiro.  

O Brasil precisa colocar de pé no mínimo mil projetos de infraestrutura nos próximos  anos. Projetos já desenhados, essenciais. Mas para isso é preciso gente experiente e audaciosa. Montar um projeto é algo extremamente complexo, é a visão da necessidade, da lógica, de engenharia, de finanças, de análise de risco.

Quem serão os empreendedores que executarão essa tarefa de gigantes? Não eram muitos nos anos de crescimento de 1946 a 1980, rebrotaram de 1996 a 2012, hoje praticamente não existem. Presos, acuados, perseguidos, os que sobraram se transferem para o exterior ou mudam de profissão. Novas privatizações, novas concessões?  Onde está o parceiro nacional para o fundo estrangeiro? Este não entra sozinho, precisa de sócio local, onde estará?  

A “polinização” de grandes obras, hidroelétricas, ferrovias, portos, captação de água, transportes públicos exige aventureiros no sentido mais puro do termo, gente  que vai lá fora procurar investidores para dividir riscos. Estes não caem de paraquedas no Brasil. Vai achar fontes de financiamento, seguradores de credito, é uma montagem complicada, tem que gastar dinheiro na frente sem saber se vai recuperar, precisa ter cara de pau e audácia.

Nomes lendários que fizeram o Brasil ter o maior parque hidroelétrico do mundo pegando financiamento na França (usinas do Rios Grande e Paranapanema) na Inglaterra (Ferrovia do Aço e Ponte Rio Niteroi),  na Alemanha (Itaipu). Foram lobistas sonhadores, alguns chamados de visionários.

Se fosse hoje estariam na capa de VEJA como picaretas, sem eles as grandes obras não existiriam porque alguém precisa plantar a semente da ideia antes do projeto e esse é sempre um tipo não convencional, um personagem que enxerga através da bruma, com alma de perdigueiro e não de amanuense de gabinete.

O Brasil cometeu um suicídio econômico ao eliminar duas ou três gerações de empreendedores que farão falta para um novo ciclo de crescimento baseado em obras públicas, concessões, parcerias público privadas. A partir do apelo popular e  politcamente correto de combate à corrupção formou-se uno Brasil uma “Santa Aliança” com considerável peso na opinião pública, juntando no mesmo conjunto o Poder Judiciário de 1ª instancia, o Ministério Público Federal e a Polícia Federal  e que contra todo modelo institucional do Estado democrático de Direito operam em coalizão de propósitos e não em um sistema de pesos e contrapesos institucionalmente separados.

O conjunto agregou outro componente fundamental, a Rede Globo de comunicações, partícipe e colaboradora do mesmo projeto de poder operando como um só partido. O PT e Lula NÃO são o alvo final. São apenas o  alvo mais fácil, mais à mão, mais vulnerável. O inimigo a vencer é a CLASSE POLÍTICA brasileira como grupo tradicional no controle do Estado a ser substituída por homens virtuosos com mandato divino.

O PT vê encerrado seu ciclo de poder iniciado em 2003, teve seus dias de glória no primeiro mandato do Governo Lula, ganhou importantes governos de Estado e Prefeituras que deverá perder em massa nas próximas eleições municipais tal o desgaste do partido. A hipótese de Lula em 2018 é politicamente remota, portanto essa não é a razão máxima de operação tão ampla contra um partido e seus quadros, é apenas a parte inicial da investida. 

A Santa Aliança não opera para tucanos ou para outros partidos, opera para si, para o grupo que almeja controlar o Poder de um dos mais importantes países do mundo, através da eliminação da classe política como operadora do Estado substituindo-a em nome da ética. 

A Rede Globo tem protagonismo de poder no Brasil há muito tempo, mas não na escala de hoje. Na crise que levou Getulio ao suicídio em 1954, o jornal O GLOBO estava atrás em protagonismo do Correio da Manhã, de maior influência política, do Diário Carioca e do O ESTADO DE S.PAULO.

A tradição política do grupo GLOBO tinha sua âncora ideológica no seu líder Roberto Marinho, um cérebro basicamente equilibrado e nunca radical, temperado pela colaboração do eclético Jorge Serpa nos editoriais. O grupo GLOBO foi muito influente no governo militar de 1964-1985, mas sempre de forma discreta, um protagonismo atrás das cortinas do poder, evitando a agressividade do Correio da Manhã, que valeu seu fechamento, e do O ESTADO DE S.PAULO, que valeu estar sob censura direta após o AI-5.

O papel da Rede Globo, especialmente da GLOBONEWS tem duas armas: espicaçar e animar a força tarefa dando o máximo espaço às “operações” e sempre avalizando as prisões através da extrapolação das malfeitorias e da omissão dos excessos na ação persecutória. Faz parte da missão-Globo a exibição de casas, quadros, automóveis, prisões-shows. Tudo aquilo que um FBI jamais faz porque suas operações são para cumprir a lei e não por ativismo político-judicial. 

Leia também:  Decotelli, ministro da Educação, não tem pós-doc da Alemanha

O grupo GLOBO cresceu exponencialmente nos anos 60 e 70 por uma aliança tácita com o regime militar de 1964 que lhe deu abrangência nacional por concessões de uma rede de repetidoras até hoje inigualada por outros concorrentes menos patrocinados. A base dessa cobertura nacional foi portanto uma aliança política, do mesmo tipo daquele que a Globo condena em outras empresas brasileiras que usam a política para crescer.

Nas atividades de cobertura de eventos esportivos a rede GLOBO movimentou centenas de milhões de dólares em operações financeiras via off shores em paraísos fiscais, atos que no mínimo seriam profundamente investigados se a operação Lava Jato fosse neutra politicamente.

Uma dessas operações mereceu pesada autuação da Receita Federal e esta no momento em tramitação no CARF, depois do processo ter misteriosamente desaparecido. Apesar desses registros, o porta voz político da Rede, Merval Pereira, diariamente deita lição de moral para os brasileiros, com prédicas para que sejam honestos e louvando condenações extraordinárias, como os 43 anos do Almirante Othon. Essas lições dão a impressão que a Globo é virgem de ações político-financeiras suspeitas e, portanto, tem a pureza ética para ensinar aos brasileiros como devem se comportar. 

A cobertura pró-Lava Jato do Sistema Globo é um tiro no pé nas receitas da Rede, o escracho de empresas prejudicou de forma destrutiva a imagem do Brasil no exterior, afastando investimentos, queimando o rating e a cotação de papéis brasileiros nas bolsas internacionais, abrindo processos contra companhias brasileiras em Nova York, gerando um dos elementos centrais da atual recessão, o que impacta o faturamento do Sistema Globo.

A luta contra a corrupção empresarial precisa medir cuidadosamente custos e benefícios para não causar mais danos que resultados, como bem definiu o ex-Presidente da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) no programa Roda Viva da Tv Cultura, Harvey Pitt. https://www.youtube.com/watch?v=q9zPLn0Nxf8

Mas o ativismo da “tropa de choque” da Globo é tão avassalador que nada disso arrefece seu ânimo contra as empresas brasileiras e contra a classe política em geral. O clássico tiro no pé onde o autor do dispara em tal animação não percebe que o tiro vai antingi-lo.

Que foi a cobertura em si e não a própria corrupção a causa da destruição da imagem do País no exterior está claro. O México é um País notoriamente mais corrupto que o Brasil e sua imagem internacional é excelente porque a corrupção não é exibida na janela da sala de visitas.

Mostrar a corrupção ao mundo é na “realpolitik” um ato de suicídio econômico para um País que necessita de investimentos e integração com a economia mundial. A corrupção é coisa ruim, mas não precisa ser colocada no jardim que dá para ver da rua.

Após a morte de Roberto Marinho o grupo GLOBO perdeu a bússola da política fina atrás do pano e se expõe de forma descarada com uma tropa de choque debochada e agressiva nos vocalistas Renata Lo Prete, Gerson Camarotti e Merval Pereira, coadjuvados pelo iniciante Donny de Nuccio, coro que sem qualquer recato se alinha com a divisão blindada de Curitiba como batedores e animadores de autos-de-fé, estimulando procuradores e juízes através de frenética bateção de palmas sem nunca contextualizar ou dar um outro ângulo de visão.

Comentaristas de direita como Reynaldo Azevedo são mais centrados do que a vanguarda miliciana da equipe Lo Prete na arena onde são destruídas pessoas e reputações além de empresas que em qualquer País são consideradas ativos nacionais que se deve preservar.  

O papel do grupo Globo é fundamental na “Santa Aliança” porque é pelo medo da opinião da tropa de choque da mídia que as instancias superiores do Poder Judiciário avalisam pelo não conhecimento de recursos contra as arbitrariedades da República de Curitiba. Esta, sem o apoio fundamental do grupo Globo, maior beneficiário dos vazamentos seletivos, jamais teria o poder de emparedar as instâncias superiores que se mostram paralisadas pelo medo da opinião “globalizada” e com isso aceitam instrumentos de puro arbítrio operados pela Santa Aliança como as prisões preventivas sem fim, vazamentos de processos sigilosos, constrangimentos de toda ordem às defesas. 

O nível de protagonismo da Santa Aliança se mostra agora sem nenhuma necessidade de manter as aparências em uma manifestação às portas do Fórum de Curitiba contra o projeto de lei de Abuso de Autoridade em tramitação no Senado.  Antes o Ministério Público articulou um projeto de lei anti-corrupção com recolhimento de assinaturas na população para submeter sob pressão à votação do Congresso. Por qualquer angulo que se analise, não cabe ao Ministério Público tal papel. A prerrogativa de apresentação de projetos de lei no modelo do Estado Democratico de Direito é dos partidos políticos.

Leia também:  Governo Bolsonaro omite efeitos da covid-19 e nega crise à ONU, diz Jamil Chade

Se for de iniciativa popular não cabe ao Ministério Publico articular tal movimento porque é antagônico ao seu papel institucional que a Constituição lhe confere, a autonomia foi estabelecida exatamente para que o MPF seja neutro em relação à política. No momento em que elabora um projeto de lei e faz uma campanha para recolher assinaturas o Ministério Público Federal se transforma claramente em um Partido Político de fato, o que destrói sua isenção, neutralidade, independência e postura de fiscal da lei.

Como tem o poder de denunciar qualquer cidadão, o MPF tem também o poder de pressionar o Congresso para que aprove seus projetos de lei e tem o poder de lutar contra os projetos quem não lhe convém. Um partido político normal pode tentar convencer os eleitores para suas causas, mas ele não tem poder institucional de denunciar alguém a um juiz. Sua única arma é o poder do convencimento. Já o Ministério Público tem um imenso poder legal e por isso mesmo esse poder não pode ser usado fora de seu campo constitucional sob pena de desequilibrar a construção do Estado que opera na democracia. A Democracia é um sistema delicado de pesos e balanças, qualquer desequilíbrio arruina o sistema e pode fazê-lo ruir. Nenhuma instituição pode sair fora de seu estrito leito natural. 

Nada desse processo terminará na era pós-PT porque os objetivos da Santa Aliança não são apenas liquidar com o PT, como ingênuos petistas alardeiam. O PT já está fora do jogo, os objetivos são maiores e de mais longo alcance, miram o pós-PT e a Santa Aliança almeja o poder real, de fato e de direito, através da neutralização da classe política. 

Não há grande Estado Nacional governável em semelhante quadro. No Estado Democrático a PRIMAZIA é do Poder Executivo, este não pode ser tutelado nem pelo Congresso e nem pelo Poder Judiciário porque seria IMPOSSÍVEL a governabilidade. É o Poder Executivo quem representa o Estado fora do País, o Executivo é o único poder de representação do Estado, os demais são apenas mecanismos para tomada de decisões dentro do País.

Quem governa o País é o Poder Executivo, os dois outros poderes são COADJUVANTES, não têm o papel principal a não ser em circunstancias excepcionais, mas não é a regra. O Poder Executivo não pode ser pautado por juízes e promotores porque isso seria paralisar o Governo. No entanto, é exatamente isso o que hoje acontece no Brasil, quem dá a pauta, sob aplausos da Rede Globo, é o Poder Judiciário, aliado ao Ministério Público e à Policia esta para efeitos práticos desgarrada do comando do Poder Executivo e operando autonomamente, aquilo que Napoleão dizia que jamais um governante deveria permitir. 

São portanto cinco os poderes no Brasil. País algum do planeta é governável nessa arquitetura institucional, um Estado assim está perdido sem centro de poder. A corrupção existe e deve ser combatida como principio mas NÃO se pode sob a capa de combater a corrupção intimidar o Poder Executivo, em NENHUMA CIRCUNSTÂNCIA, nem que a corrupção fosse dez vezes maior. Há um limite operacional além do qual a ação do Judiciário deve se conter, sob o risco de sobrar como único remédio o Poder arbitrário de um regime de exceção, porque a governabilidade do Estado está acima de causas éticas e morais, estas não podem servir de desculpa para impedir a governabilidade. 

Sobre a Globo pergunta-se:  Não há hoje um “maestro” político da casa, como era o dr. Roberto Marinho? Lo Prete-Merval,Camarotti estão colocando em risco a própria existência da Globo ao perder completamente a noção de equilíbrio, que é fundamental em um  veículo de comunicação. Mostrar erros e acertos, dois lados, ângulos de visão controversos.

Leia também:  São Paulo multará cidadão sem máscara em R$ 500, em todo o Estado

Há sim abusos nas ações da Lava Jato e o trio é incapaz de apontar um sequer. O projeto de lei de Abuso de Autoridade tem  artigos em que o Judiciário tem razão de discordar, MAS há outros artigos muito razoáveis e necessários. Cabe aos jornalistas ver uma coisa e outra e não só um lado, desprezando os demais, não há questão no mundo com um só lado. 

Ao contrário da cartilha marxista, a questão desse processo não é ideológica. Não existe nessa luta de poder Direita e Esquerda. Os protagonistas da Santa Aliança jogam com o arbítrio do Estado, suas maiores vítimas são empresas privadas, não fazem o jogo da Direita, mas estão também estraçalhando a esquerda representada pelo PT.

Por definição as corporações de concursados são dependências do Estado e não  podem prejudicar a economia produtiva que sustenta o Estado, que é quem mantém as folhas de salários das corporações. O Estado tem interesse direto na sobrevivência das empresas que pagam impostos. As corporações agem por vezes como radicais de esquerda, mas não são ideológicos por elaboração intelectual e por visão de mundo, tanto que criminalizam o PT e seus anéis de esquerda a ponto de destruí-los.

As corporações são entes acima das ideologias e sua bandeira é a sua visão de Estado como fim e não como meio. Se essa questão não for enfrentada o Brasil se tornará um País ingovernável. É preciso definir quem manda no País, nem que seja por um regime autoritário que pilote o Estado. Um navio não pode ter cinco lemes e vários comandantes a dar ordens, pois correrá o risco de bater na primeira pedra no oceano. 

O mundo está entrando em um período complicado e nos quais questões de GOVERNABILIDADE vão dominar os grandes debates. O BREXIT é uma questão de governabilidade, a luta pelo poder na Turquia é uma questão de governabilidade, o terrível embate das próximas eleições americanas são uma luta pela governabilidade. 

O futuro governo do Brasil depende de se resolver uma questão de governabilidade: quem vai mandar no Brasil? O Presidente, o Poder Judiciário, o Congresso ou o Ministério Público? Ou quem sabe a Polícia?

Se o poder for emparedado sistematicamente por juízes e procuradores  aliados à Polícia como hoje o Pais acaba em um interminável caos político. A fraqueza do Poder Executivo é preocupante. Não há um verdadeiro polo de Poder central no País, há acovardamento e perplexidade, a mesma situação nos EUA que criou a atmosfera para a existência de um Trump. Seus apoiadores querem alguém que mande com equilíbrio e sabedoria. Obama dividiu o poder com os politicamente corretos e deixou os EUA fracos até para operar internacionalmente como se vê na crise da Síria. 

O ativismo anti-corrupçao é um movimento politicamente correto que também deixa o Pais acéfalo pela intimidação de todos os políticos pelo ativismo ético, assim percebido. A intimidação é tão eficiente que os intimidados não contrapõem aos éticos suas razões de preservação das empresas e setores, que seriam argumentos perfeitamente defensáveis dentro da lógica de Estado e nem chamam a Rede Globo às razões. Há limites claros contra ativismo político de concessionários de rádio e TV inscritos em todas as leis de concessão de frequências desde a antiga Comissão Técnica de Rádio de 1933. 

Se a História ensina alguma coisa, a reação de Juscelino Kubtscheck ao clima de aliança contra sua posse  e governo no rescaldo do suicídio de Vargas dá uma aula de como enfrentar a crise de governabilidade herdada do drama getulista que fez o Brasil ter três Presidentes em dois meses, na chamada “crise de Novembro” em 1955. Emparedado pela mídia e pelas forças “éticas” que viam no varguismo a corrupção erigida em sistema, JK teve dificuldades desde o primeiro dia de governo. Agiu rápido e com força, fez um acordo fundamental com o Exército. Usou o Ministério da Justiça como arma e durante seu governo teve atos de ousadia como lacrar por três dias a TV Tupi, usando o Código de Comunicações. Manejou com sabedoria e força o Congresso e em nenhum momento foi intimidado pelo Ministério Público ou pelo Judiciário, embora seu governo fosse tisnado pelas continuadas denúncias de corrupção na construção de Brasília. 

O Pais está colocado perante as grandes questões da governabilidade, estas estão acima de todas a demais questões, a pergunta ao Poder desde César: quem manda em Roma? 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

98 comentários

  1. O texto ultrapassa as 300

    O texto ultrapassa as 300 linhas.Isso é da competência exclusiva do editor do blog,apesar de crer que artigos tão longos,não estão em sintonia com a objetividade das redes sociais.Pouquissimas pessoas se aventuram a ler textos desta longevidade.Esse não é o busílis da questão,como gosta o editor do blog.Voce enfeitar seu artigo com o plenário da Câmara de Deputados,a logomarca da Reede Globo,seu patrono Roberto Marinho,um farsante chamado Sérgio Moro,e a Polícia Federal,perdoe-me meu caro,aí não tem tatu que aguente.

    • Junior Sertanejo, talvez não esteja acostumado a ler artigos….

      Junior Sertanejo, talvez não esteja acostumado a ler artigos longos, porém se pegares algum jornal ou revista internacional que pretende e consegue influenciar a política nos países centrais, todos os textos são longos e descritivos, o caso não é tuitar, mas sim construir do início ao fim uma argumentação consistente sobre a situação atual. Podemos concordar ou não, mas para refutá-la qualquer um terá que escrever outro texto longo, se desejas isto comece…

  2. É isso… André Araújo em

    É isso… André Araújo em análise preciosa. A corrupção não teria o poder de acabar com o Brasil. O país é maior do que os corruptos. Mas o modo como os irracionais de Curitiba estão conduzindo a luta contra a corrupção, sem medir as consequências, sem preservar os interesses do Estado, já nos fez retroceder décadas em termos econômicos e pode conduzir o Brasil a uma situação de miséria jamais vista. Porém, ao contrário de André Araújo, não creio que Curitiba esteja acertando um tiro no pé, que pressuporia intenção equivocada. Nessa história não há equívoco, há prestação de serviços. Para quem? Siga o dinheiro, estúpido!

    • Vejo muitos falando a

      Vejo muitos falando a respeito dos beneficiários da quebra da economia e da privatização das empresas públicas, e isso está mais do que claro.
      O outro lado da moeda, que está no campo exclusivamente geopolítico, é o retorno do Brasil ao “seu lugar”: Brasil pequeno – economia, diplomacia, defesa – e submisso.
      A partir do momento que você retira do país a sua maior fonte de financiamento da sua história para a saúde e a educação, abate-se logo no nascedouro a inevitável e tão esperada melhoria substancial nessas duas áreas.
      E a Petrobras e o Pré-Sal são apenas uma parte. O conjunto engloba todas as áreas estratégicas e lucrativas.

      Concordo plenamente com a “prestação de serviço”. Não é que estão agindo de boa-fé, mas de forma atabalhoada e ingênua. Sabem muito bem o que fazem e aonde querem chegar.

  3. André, o vazamento de hoje

    André, o vazamento de hoje contra Temer, vai nessa linha. 

    A Santa Aliança quer emparedar a todos. 

    Aonde isso vai terminar ? Ninguem sabe. 

    Voce é dos poucos que podem ficar com a conciencia tranquila, pois previu isso há mais de um ano, com artigos aqui contra todo esse processo absurdo da lava jato. 

    Parabens por mais um artigo. 

  4. Pai rico, filho nobre, neto pobre

    Perfeito, Andre.

    Não há hoje um “maestro” político da casa, como era o dr. Roberto Marinho? Lo Prete-Merval,Camarotti estão colocando em risco a própria existência da Globo

    Nao, parece nao haver.

    A Globo claramente tem focado em (supostos) interesses politicos de curto prazo – mostrar força, mostrar que faz e acontece no Brasil! – ignorando completamente as consequencias para si nao apenas no longo, mas ate no medio prazo.

    Nao ha paralelo no mundo para a destruiçao das expectativas com a sua campanha negativa. Desde pelo menos o “nao eh pelos 20 centavos”, passando pelo “nao vai ter Copa”, pela eleiçao e chegando ao lockout economico-juridico-parlamentar de 2015 com as “pautas bombas” + “Lavajato”.

    Isso foi bom para a Globo?

    As suas receitas estao melhores ou piores do que em 2012?

    Certamente a verba da Secom aumentou muito no ultimo mes.

    Mas e a privada?

    Compensou?

    Nassif sempre fala em perda de figuras referenciais no Brasil atual.

    Isso é claro!

    Em todas as dimensoes.

    Nos emburrecemos enquanto naçao absurdamente. Nao é “saudosismo de gente velha” porque nem teria idade para isso.

    É de facil constatação e inclui, tambem, a imprensa.

    O velho Frias levaria a Folha/Datafolha à desmoralizaçao de hoje por bater nos fatos e até na estatistica?

    Roberto Marinho, como vc bem aponta, daria esses tiros no proprio pé?

    Ja falamos muito da questao da midia ser familiar… vc apontou veiculos importantes de outros paises que tambem pertencem a familias.

    O problema com familia é que a titularidade de açoes e quotas passa por sucessão sem problemas. Mas aptidoes e intelecto nao necessariamente.

    Dai o ditado:

    Pai rico, filho nobre, neto pobre. 

    • pai….

      Amém. O Brasil acima de tudo, porque o país somos todos nós. Não somos o país mais corrupto do mundo nem de perto. Talvez a corrupção pela primeira vez esteja sendo mostrada. Isto não dá desculpas contra desmandos. Contra a corrupção, a lei. Mas para todo o resto temos que continuar com a nação. E destruir um país por causa da incompetência de quem o governa, só revela uma verdade. Temos que mudar quem nos governa. Ou a forma pela qual somos governados. Não souberam administrar o Estado e nossas empresas. Expurguemos os incompetentes e não o país e suas riquezas. Estamos jogando a água do batismo com a criança junto. Acordemos.

  5. André.
    Suas palavras são

    André.

    Suas palavras são sabias, mas você sõ soube dizer onde estão os problemas sem apresentar sequer uma única solução.

    Você chora pelas empreiteirasmas como é que novas empreiteiras vão florescer se as mais antigas matam a concorrência com seus esquemas de propina?

    Sei que é doloroso ver grandes empresas nacionais irem pro buraco mas devemos saber que outras empresas tomarão o lugar dessas que estão aí.

    Vejam o setor aéreo. Antigamente tinhamos Varig, Vasp, Cruzeiro e Transbrasil. Hoje é Azul, LATAM, Gol, Avianca.

    O mesmo com as redes de varejo. Sumiram o Mappin, G Aronson, Casa Centro, Arapuã e outras tomaram o seu lugar.

    O que não se pode admitir é que o sistema escolha as empresas que vão vencer por serem apadrinhados por políticos e lobbies como foi no Brasil de poucos anos atrás, ao se elegerem os “campeões nacionais” e esses receberam generosas subvenções dos poderes públicos.

    Se quiser que o país cresça a primeira providência é limpar a economia dessas empresas, filhas da propina e compadrio e oferecer um ambiente saudável de competição e de boas práticas comerciais.

     

    • Voce fala bobagem porque nao

      Voce fala bobagem porque nao tem noção do que diz. 

      Como comparar empresas de varejo ou aviação com empreiteiras de grandes obras?

      Voce pensa o que, que para se contruir uma hidrelétrica de 40 bi ou uma refinaria de 30bi vão aparecer dezenas de empresas ? Em nenhum lugar do mundo isso ocorrre. O sistema é cartelizado por natureza. Sempre haverão poucas empresas com capacidade para brigar por esse tipo de obra. O que tem que haver é um sistema de preço-base razoável. Mesmo assim pode haver comissões, quase impossivel de se impedir. 

      Essa propina que voce alardeia era coisa de 1 a 3 por cento. Como se fosse uma comissão de vendedor de loja de varejo. 

      Voce defende o absurdo, que acabemos com as empresas que nao andaram na linha para as menores tomarem se lugar. Se demorar 20, 30 anos, não tem problema é apenas uma geração que ficará sem bons empregos. Isso para voce deve ser apenas um detalhe. 

    • Meu caro, L para se criar uma

      Meu caro, L para se criar uma LINHA AEREA basta capital, os leasings de avião e os recursos humanos são imediatamente disponiveis para quem tem capital, são na linguagem economica COMMODITIES.

      Lojas de geladeiras e televisores podem ser montadas em uma semana, não há nenhuma dificuldade ou segredo.

      Já empreiteira de hidroeletrica com vasto curriculo de obras realizadas tem duas dezenas no mundo, leva 30 anos para formar um capital tecnologico respeitado, cada grande pais tem tres ou quatro empresas com essa experiencia, se muito.

      • O principal das empreiteiras é o time de engenheiros que reunem.

        Vi muitas dessas equipes aruinadas, especialmente o time de engenheiros das estatais privatizadas; lembro somente de testemunhar uma, que o novo controlador cuidou de preservar a equipe estatal que adiquiria.

  6. Santa Ingenuidade, Batman!

    Eu, com toda a minha insignificância de cidadão comum, fico perplexo com a ingenuidade de tanta gente inteligente e bem intencionada do Brasil. Como alguem pode realmente acreditar que a Globo está sendo afetada financeiramente neste país de trevas que emerge desde a reeleição de Dilma? 

  7. Frase clichê de quando eu era

    Frase clichê de quando eu era criança pequena lá em….:”Lúcido, válido e inserido no contexto”. Mas foi o que me veio à mente tão logo ter terminado de ler o excepcional post do André Araujo, que além da citada frase, acrescento extremamente didático.

  8. Mais uma aula excepcional,

    Mais uma aula excepcional, não fosse o momento maldito de que forma conheceríamos tão brilhantes comentaristas como o dr. André, entre outros? Há sim esperança.

  9. Difícil aceitar o saque

    Difícil aceitar o saque bilionário aos cofres públicos perpetrados pelos governos de esquerda da Nova República (pmdb, tucanos e petistas) com a justificativa de “defesa do Estado”.

    Milhões nas mãos de Vacari, João Santana e Cerveró nos “salvaram” do quê  ?

    Também é difícil aceitar que o grande inimigo do empreendedorismo é a Lava-Jato e não os governos de esquerda com suas políticas estatizantes (petistas) ou entreguistas (tucanos).

    Que um grande projeto nacional de crescimento seria torpedeado pelos três grandes projetos globalistas atualmente existentes no mundo, disso não tenho dúvida, André. Mas não me parece que tenha sido necessário no nosso caso e muito menos que os governos recentes estivessem minimamente agindo no interesse nacional.

     

  10. Cá entre nós = um país onde

    Cá entre nós = um país onde uma emissora de tv chega a esse nível de poder que põem em xeque a mais elementar governabilidade é um paízeco que só tem tamanho.  André citou JK, que realmente foi de uma habilidade político de causar inveja até hoje. Mas o trágico é que, analisando a história, o período jk apenas evitou em uma década o golpe que queria ser dado em 54. 

  11. Li o texto ontem no fora de

    Li o texto ontem no fora de pauta, muito bom.

    Só não acredito que hoje, com a quantidade de informações e mídias alternativas, a ” santa aliança” consiga levar seu projeto de poder  a frente durante muito tempo. Tenho dúvidas nesse mundo globalizado, se um golpe militar também duraria por muito tempo.

    Outra coisa, muito dizem que o PT acabou, aliás, o PT vem “acabando” há trinta anos.

    A sigla PT pode até acabar, como quer o Gilmar. Mas o PT hoje é muito além de um partido, é um projeto de governo que tirou 40 milhões de pessoas da linha da pobreza, e outros tantos feito na área da saúde de educação. Isso não acaba jamais, é a marca deste tempo. As próximas gerações quando estudarem história, não tenho dúvidas, que este período de 13 anos de prosperidade do governo do PT será lembrado.

    Em relação ao PT partido será que acaba ?

    E quem sobreviveria ? O PMDB do Temer ? PSDB ? DEM ? PP ? PDT ?  Ou um outro Outsider do tipo   PJ ? que virou PRN e hoje muito nem sabem que existiu.

    E o PT está aí.

    ///

    Sem ironia, esse texto daria um excelente roteiro para um seriado de Netflix. Vende os direito AA, dá para ganhar uma grana legal, eh,eh

  12. Governo tem que governar,
     
    e

    Governo tem que governar,

     

    e não ter um monstrengo chamado “republicanismo”, impensavel uma policia prender, de surpresa, familiares de um presidente, como fizeram com os irmãos do Lula, ou fazer tiro ao alvo com a cara da Dilma, isso demandaria posições energicas de quem a comanda, no ultimo caso até demissão; foram fracos, aceitaram a tese dos “mal-feitos” e colaram no PT o estigma de corruptos,  ja imagina que se sofriam desse modo quando governo a perseguição que sofreriam fora dele, é o que estamos vendo, Lula recorrendo à ONU contra a policia que aparelhou e contra o MP que fortaleceu e abandonado pelos fraquissimos ministros do ridiculo stf que nomeou, igualmente Dilma, que numa tacada demitiu sete ministros na tal faxina e quando eleita foi fritar ovos com um de seus algozes. Sob certo ponto de vista é merecido e até previsivel…….

    Discordo sobre Lula não ter chance em 2018, se o golpista triunfar não haverá 2018, o medo maior dessa escumalhada é justamente Lula retornar e tocar fogo no país.

    • Acorda, o AA esta certo!

       

      O Lula não tem chance mesmo, como ele vai se eleger? Ele precisa dos votos de uma parte da classe média, a mesma que ele precisou para ganhar em 2002, 2006, e eleger a Sra. Competência em 2010 e só ganhou a eleição em 2014 por causa do João Santana e seu marketing de TV e da campanha do medo (fim do bolsa família, fim do MCMV, etc…) feita em relação ao Playboy do Leblon, bem!, claro!, isso se ele estiver fora da cadeia ou pelo menos sem condenação em 2ª instância (tem uma lei de iniciaitva popular sobre isso, lembra? Lembra quem patrocinou tal lei? Não? Então procure no Google!), fato que, é claro, já está consumado, antes mesmo da condenação em 1ª instância (esta com 110% de certeza).

      Mesmo sem que nada disso aí em cima aconteça, como ele vai fazer campanha, sem dinheiro e sem marqueteiro? Com poucos minutos de TV? Vendendo bótons de estrelinha???

      Se for eleito, como vai governar com um congresso mais reacionário do que este que esta aí, vale lembrar que o congresso, graças aos acordos do Sr. Lula e do PT ao longo destes anos, encontra-se num processo de diminuição da representação dos trabalhadores e dos movimentos sociais em seus gabinetes, sim!, meu amigo, vem coisa pior por aí, o PT vai encolher ainda mais (nas urnas e sem o apoio das municipalidades que irá perder ano que vem), os outros partidos de “esquerda”(?) e os de esquerda real vão ter de rebolar para não diminuir ou pelo menos manter o que já tem.

      Como serão aprovados os projetos que ele enviar para este novo Congresso?

      Além do mais, teremos o Gilmar Mendes relatando as contas de campanha dele, e aí?, pois, sabe como é né, a distribuição dos processos dentro dos tribunais é aleatória e transparente, né não?!?!?!? Pergunte ao Nassif, ele sabe como é!

      E o MPF ?, E os filhos do Roberto?? E as Vejas da vida??

      Então, voltemos para a realidade, por favor!

       

  13. O ESTADO

    Gostaria de saber do autor se o enunciado abaixo tem a ver com o pensamento de maquiavel:

    “Nas guerras os Estados praticam atos ignominiosos em nome de sua defesa. O Exército americano fez acordo com a Máfia para a invasão da Sicília. Não há limite moral ou ético para um Estado na preservação de sua existência e do povo que ele abriga e protege.

    No Brasil de hoje perdeu-se a noção de Estado e alçou-se em valor acima dele um ativismo pretensamente ético-moral que sob esse pretexto está destruindo os fundamentos do Estado brasileiro.  “

  14. Quantos postos de trabalho e

    Quantos postos de trabalho e empresas fechadas e queda na arrecadção fiscal por conta de 2 anos dessa lava-jato como estaleiros navais, empresas de sondas e na área de defesa como a Mectron vendida para a Elbit?

    Qual a relação custo x benefício?

  15. Nação sem Partidos

    Li duas vezes o recente post do André Araújo no Fora de Pauta de hoje (convido a todos a ler). Copiei o texto e guardei em arquivo. André diz tudo e disseca o golpe e a situação que hoje vivemos.

    Assim como a proposta de Escola sem Partido, que retira inclusive o interesse nacional dentro de uma educação enlatada e global, temos hoje no Brasil um grupo pretoriano e meritocrático (uma “aliança”, como define AA, de homens virtuosos e com mandato divino) pretendendo uma “Nação Sem Partidos”, subtraindo a Idea de nação autônoma, de Governo e de povo, para colocar na frente do Estado Brasileiro uma patrulha ideológica amparada em meros conceitos relativos à ética, moral ou anticorrupção, como valores universais exigidos da ovelha, que deve ser “honesta” perante o Lobo que a quer comer.

    Brasil cometeu o suicídio, para as próximas duas ou três gerações, das suas grandes empresas, dos empreendedores em infraestrutura, e das grandes empreiteiras nacionais.

    A Aliança descrita por AA não está aliada a partido algum (pois ataca a classe política como um todo, começando pelo mais fácil: O PT), e conta apenas com o apoio irrestrito da rede Globo (logo ela que fez sumir o processo inteiro do CARF na sua contra. Lembram-se daquela funcionária que saiu do prédio em dia feriado, com o dossiê da Globo embaixo do braço? Pois é, eu também lembro, mas isso vai para as gavetas do esquecimento). A rede Globo é mais do que uma empresa de mídia, pois simboliza todo o poder econômico global que está sempre por trás de qualquer brisa que percorre este País, na queda de uma folha, no movimento das marés, ou em qualquer sinal digital ou verbal dos seus habitantes. A rede Globo torna todos nós num Truman, como no filme “O Show do Truman”. Os meritocráticos são pautados assim, com medo da opinião “globalizada”, como diz o André.

    Os procuradores, não conformados apenas com o seu atropelo sobre os interesses da nação, geram também projetos com abaixo assinados, para pautar também a agenda do nosso legislativo, usurpando poderes e atribuições, chutando escanteio e correndo a dar a cabeçada, e ainda, correndo para o abraço no holofote da rede Globo.

    O Brasil não soube lidar nem sequer com os seus malfeitos, muito menos com o incentivo para aqueles que acreditam no seu potencial, sempre ignorados ou perseguidos. Uma grande reunião do STF e MPF com partidos, empresas e movimentos, teria bastado para estabelecer novas regras para o futuro, acabar com práticas tradicionais de financiamento de campanhas, fazer acordos de leniência e, apenas depois de estabelecidas essas regras, entraria o Juiz com cartão amarelo e, apenas finalmente, com o cartão vermelho. Hoje está tudo mudado, começando com o cartão vermelho já de cara.

    No último xadrez questionei ao Nassif pela falta de especificar o verdadeiro inimigo e a ordem correta das peças dentro do tabuleiro. No post do AA este o faz em forma esplendida e esclarecedora. Vivemos uma tentativa de “Nação sem Partidos”, que fará do Brasil um território informe, sem sabor, sem cor, um cachorro quente sem salsicha, um hambúrguer vegetariano, sem limites, sem erros nem acertos, sem sonhos, sem minorias nem maiorias, sem povo, mas apenas com bonecos meritocráticos guiados por regras franciscanas. Viveremos numa cúpula de vidro assim como a cidade do filme “Show de Truman”. Brasil, como nação, converte todos nós em formigas operarias, com regras de entrada e saída, no silêncio, com toque de recolher, na perfeição comportamental, que possuiria apenas quem não se mexe nem pensa, assim como os humanos incubados do filme MATRIX.

  16. Uma pequena crítica

    Ao meu ver, a culpa desse caos que estamos vivendo,  deve – se à  completa incompetência de Dilma, na condução e formação de uma equipe de governo. Vide seu ministro da justiça, que manteve até quando não tinha mais poder para governar. E LULA teve sua culpa por ter lavado as mãos quanto ao seu desgoverno, já que foi quem a indicou e a apoiou para  sua reeleição. Resultado : nos parece que ela teve a incubência de desconstruir todo o legado dos governos Lula, e deixar um juiz de primeira instância, quebrar o país. Ela mesma acabou com o  executivo, como poder. Sempre fui eleitor de Lula e dela, pelas posições progressistas e nacionalistas de suas linhas politicas, e sou contra toda postura lambe botas e entreguista da nossa direita. Mesmo assim : FORA TEMER!

     

  17. O país dos super heróis
    A miséria é tamanha que sequer se verifica um debate responsável e consequente sobre a situação do país. Os espaços estão interditados.
    Parece estarmos todos emparedados.
    O país dos idiotas prefere eleger super heróis como salvadores da pátria na crença de que Deus vai ungi-los para que nos levem ao paraíso.

  18. Crise de crescimento

    O que nos levou a esse caos foi a combinação de: Democracia + mercantil-capitalismo + desigualdade socioeconômica.

    A combinação de democracia com capitalismo tende a reduzir a desigualdade (vis a vis o sistema historicamente anterior a esse). Daí a reação impensada daqueles atores sociais que se veêm relativamente ameaçados, por um Estado democraticamente governado, que tende a igualar as oportunidades e com isso reduzir as desigualdades.

    Diante disso, querem criar uma jabuticada – desenvolver o Brasil através de uma democracia sem voto e um mercado capitalista sem consumo de massa.

    Qual a saída? Encarar o pobre da esquina como um igual, que vota (se educa, trabalha) e consome.

    Essa é a raiz do caos. O medo da parcela minoritária da sociedade (politica e economicamente influente e relativamente privilegiada) de competir de igual para igual com uma parcela majoritária e mais pobre. 

    Essa parcela poderosa quer estancar o desenvolvimento brasileiro – democrático e capitalista. Elas rejeitam esse sistema que cria insegurança para elas. E aí, apostam em qualquer coisa, gerando o caos.

    Desse caos se aproveitam os “homens virtuosos com mandato divino”, apoiados pela Globo que, através de seus funcionários/jornalistas, reverbera a crise de crescimento democrático-capitalista da sociedade brasileira, apostando no caos como saída. E apostam nele porque não há alternativa para o desenvolvimento moderno fora de um Estado Democrático de Direito sustentado por um sistema mercantil-capitalista.

    A dinâmica desse sistema político-econômico tende a gerar desequilíbrios, são eles que geram desenvolvimento. E isso não agrada quem está numa posição relativamente confortável. 

    Esperemos que a parte mais lúcida dos 20% mais ricos da população se dê conta de que sem voto e consumo de massa não há desenvolvimento – e isso só é possível de ser feito com regras claras e confiável válidas para todos(as).

  19. Uma boa análise, mas…
    Na

    Uma boa análise, mas…

    Na minha modesta visão, as “organizações” globo cumprem um papel mais abrangente do que este relatado no texto. Nunca devemos nos esquecer que o jornal era irrelevante antes da aportagem de dólares do grupo time-life nos anos 60, quando expandiram suas operações com a tv. Eles tem sim uma missão a cumprir,  e o fazem com a segurança de quem tem o apoio do império…

    • Para uma completa visão dessa

      Para uma completa visão dessa fase das Organizações Globo recomendo a leitura do surpreendente livro de Joe Wallach MEU CAPITULO NA TV CLOBO, Editora Top Books, 2011. Wallach era o representante do Grupo Time Life dentro da Globo, digo livro surpeendente porque Wallach conta com TODOS DETALHES a operação Time Life-Globo do começo ao fim.

  20. Está certo, mas…

    Sua visão está correta caro Araújo, porém,  a maioria do povo com excessão dos 30% da esquerda está iludida pela mídia, enão sabem disto. E mesmo que contássemos, eles não acreditariam.

    A visão dos 99% direitistas no país é ilusória e enganada pela mídia. Eles pensam que o Brasil está sem dinheiro por causa da “corrupção” do PT, e que tirando o partido do poder tudo se resolverá com o tempo. Só o 1% da midia que comanda este circo midiático sabe a verdade, mas esconde isto do povo, que a crise econômica é causada pelos juros, que consomem 45% do orçamento. E a Lava Jato só veio para agravar mais ainda a crise, e não para resolvê-la. Mas isto é escondido do povo, e nem acreditariam caso lhes fosse revelado.

    Não há muito o que fazer. Os emprendedores e empresários chave, fugiram todos, se esconderam, e com razão. Devem evitar ajudar um país que não os valoriza, nem os respeita, ou até os enjaulam na cadeia.

    A vida encontrará um caminho por si mesma. O sofrimento amadurece um povo. O alicerce para edificar um país não é material, mas sim a maturidade do povo; sem isto, e sem a confiança do povo, nada se edifica.

    O povo está achando que se derem tempo a Temer, a situação irá melhorar, por isto sugiro que seja dado este tempo, passarão anos, talvez décadas, aí alguns começarão a estranhar a crise que nunca passa, o PIB que cai sem parar. Mas aí a esquerda deve se fazer de rogada, para resolver a crise, pois na primeira melhora os crucificariam de novo.

    “Eis que o povo sentirá fome e sede, não de comida nem de água, mas de toda a Palavra que brota dos Lábios do Senhor, pois os Profetas enviados para trazer Sabedoria e auxílio, todos foram perseguidos sem exceção.”

    • É louvável que pessoas cultas

      É louvável que pessoas cultas descrevam claramente a situação de contradição dos grupos antagônicos que destroem as forças produtivas do país só de falar mal da economia – vindo das incertezas.

      Mas, como os golpistas que tentam fazer de tudo uma pilha de escombros; elas também tem a capacidade de moldar a cultura do navio afundando com a biografia de Lula e Dilma – sem ter nenhuma preocupação com a injusta desvalorização que causam em quem pode ser a nossa esperança.

      O país precisa que nós tenhamos equilíbrio próprio.

      • Esperança

        Sim, mas Lula e Dilma são a única “esperança” do país porque todas as outras foram destruidas e afastadas pela elite. Ou dito melhor, a elite “permitiu” que Lula e dilma se tornassem governo, porque são tão incompetentes, no republicanismo doentio, que sabiam de antemão ser fácil tirá-los do governo.

        Ciro Gomes seria um Líder talvez muito melhor do que Lula, porque ele nunca conseguiu chegar ao segundo turno? A elite sabe disto e o sabota.

        Nos tempos mais antigos, Brizola teria sido um Líder Nacional muitíssimo mais duro do que Lula, sua primeira meta era cassar a concessão da midia direitista. A mídia sabia disto e o sabotou já na eleição de 89, fazendo de tudo para que Lula chegasse ao segundo turno e Brizola não. Depois eliminou Lula, que perdeu para Collor.

        Lula e Dilma só voltam ao poder se for para apanhar mais, para nomear Joaquins Barbosa, para nomear Cardozos e Mercadantes, que sabemos muito bem o que fazem pelo país e destroem talvez mais do que a própria elite.

        ———

        O problema do nosso país é um problema de confiança. A desconfiança do povo é como uma doença contagiosa, que corroi os alicerces da nação. A mídia só consegue infectar o povo por que este tem cabeça fraca, porque já está enfraquecido. Em um organismo forte, nenhuma infecção encontra terreno para se propagar. Não é a mídia que molda o povo; o povo é que se deixa moldar, por preguiça de pensar.

        A confiança é ótima, mas precisa de ser alicerçada na verdade; campanhas eleitorais eivadas de mentiras, como Dilma fez em 2014, solapam mais ainda a já minguada confiança que nosso povo tem, na esquerda, ou no nacionalismo.

         

        • Acho que vc entra em

          Acho que vc entra em contradição ao dizer que a mídia foi suficiente no passado para sabotar os seus governantes preferidos e, quando se  trata de Lula e Dilma, diz que a mídia infecta o povo porque este é fraco. É como se o povo tivesse que ser mais forte do que uma arma como o dinheiro e a mentira dita repetitivamente na mídia.

          Em termos de resultados, que faz surgir os homens que buscam a verdade que ultapassa o intelecturalismo, Lula e Dilma elevaram a comunidade potencial simplesmente acima do comunicalismo.  

          Não temos outras comparações de aspectos presentes, temos que reverenciá-los e não desmoralizá-los.

          • Lula é apenas humano

            Caro Miguel. A mídia nunca será suficiente para enganar um povo vigilante, e que busque a verdade. Uma coisa foi a midia enganar o povo em 1989, quando só havia TV para assistir. Outra coisa é o povo ser enganado hoje, com internet, e a verdade ao alcance de todos. Por isto afirmo que o povo é fraco de cabeça, e sem opinião, mesmo que possa parecer contraditório.

            ————-

            Lula foi bom, mas o tempo dele acabou. Lula sabia governar a economia como ninguém, o problema dle era na hora de avaliar as pessoas, muito ingênuo, fraqueza incompatível com o nível do jogo que estamos jogando hoje.

            Veja bem, a elite passou anos estudando Lula, Dilma e o PT, e lendo Maquiavel, para saber como agiam e quais os seus pontos fracos. A fraqueza de Lula foram as nomeações quase todas erradas que ele fez. Não sabia avaliar ninguém e se enganou com todos. Isto estava bem no começo de mandato, pois a midia ainda o estava etudando, mas agora a direita sabe com exatidão como Lula e  o PT são, sabem o que fazer para derrubar o PT e o farão, sem compaixão.

            Ou seja, o jogo passou para uma fase mais difícil e precisamos de um jogador mais preparado e de nível grand master, superior ao Lula. Talvez o Ciro Gomes, muito mais sagaz, estudado e perspicaz. Somos muito agradecidos ao Lula pelo que fez pelo país, mas temos de admitir que ele é humano e tem limitações demais para vencer o jogo a partir de agora. Lula não tem mais a menor chance, se considerarmos esta fraqueza, junto com o republicanismo dele, outra tolice sem precedentes. Mesmo que Lula ganhe alguma coisa, a elite o massacrará, com facilidade, e ao país também; não queremos isto, sem dúvida.

             

             

          • Ok amigo, tenho que respeitar

            Ok amigo, tenho que respeitar seu modo de integrar à realidade seus períodos de mudanças, mas discordo de quase tudo do contexto temporal.

            Na internet, por exemplo, existe muita informação, porém, fragmentada e imprevisível é incompleta até para resolver seus estatutos; e nada pode ser preservado quanto ao país, seja lá quem for o governo.

            A TV ainda é o meio que pode dar todo crescimento futuro que o mercado quiser comer ou jogar fora.

            O problema é que não há no país quem lute contra o sistema de poder arbitrário, e, pelo contrário, as pessoas sustentam ideias sem profundidade que acabam por cristalizar a manipulação externa e a submissão de outros políticos, assim como virá a ser todo pensamento social.

            Exceto quando houver uma clara consciência da necessidade da teoria do valor para a prática do trabalho, não espere um novo grau de desenvolvimento da economia. 

            Ai nós voltaremos a falar a mesma lingua.

  21. Estou disposto a votar em um

    Estou disposto a votar em um líder forte e NACIONALISTA, comprometido com o Brassil e pronto a mandar pra vala Judiciário, MPF e PF e óbvio o cérebro de tudo, a Rede Globo.

  22. Excelente análise, realista e abrangente.

    Excelente análise, realista e abrangente, merecia ser lido na câmara dos deputados e no congresso nacional e ser estampada nos editoriais das principais revistas do Brasil. O judiciário brasileiro (República de Curitiba) e a Polícia Federal querem  ser mais realistas que o rei e consertar de uma só vez uma coisa que está no DNA do brasileiro que é o germe da corrupção, não adianta acabar só com a corrupção nas eleições federais (e só investigando e punindo o PT), a corrupção acontece em todos os níveis de governo, municipal, estadual e federal e não é o Circo de Curitiba que vai acabar com isso. Só décadas de investimento em estudo para formação de nossas crianças é que levará a isso. Isso sem falar na paradeira das empreiteiras que está quebrando o Brasil, como disse André Araújo.

  23. BRAVOS! Excelente artigo

    Acho que este artigo é extraordinário, pois nos dá, com muita precisão, a questão da soberania brasileira, a perda de nossa democracia e, inclusive, o início da ditadura corporativa, que irá fazer nosso País naufragar, máxime, nos projetos que iriam nos transformar, quando arruinamos nossas grandes empresas.

     Não é necessário acrescentar mais nada. O artigo é muito, mas muito bem feito.

  24. Corporações

        Fortes corporações de servidores de estado, são correntes em varias democracias, destaco duas, como o GAO nos Estados Unidos, e os “mandarins” do Serviço Civil britanico ( HMCS ), ambas muito bem formadas, muito bem pagas, imunes as movimentações de governo, no exemplo, um presidencialista e outro parlamentar, que não interferem nestes orgãos, mas o mais importante, são submetidos a um executivo forte, nos quais o “interesse nacional”, é passado a todos os orgãos de Estado, do Pres/1o Ministro, ao mais baixo funcionário da hierarquia.

        Estas corporações de estado, caso se agiornem – o caso italiano é interessante – exacerbando suas atuações, descontroladas em seu protagonismo, em um primeiro movimento agem enquanto “corporação”, um ente unido em suas demandas e objetivos, só que tem um problema, o “futuro” delas é conhecido, pois após suas “vitórias”, grupos internos começam a formarem-se, a agirem internamente, procurando a liderança corporativa para seu “grupo”, como resultado final: se autodestroem, o caos instala-se, já vimos isto ocorrer : Processos de Moscou, SS x SD x Abwer , ” Mãos Limpas” etc….

         Já o conluio destas corporações com os esquemas hegemonicos de midia, subsistem até certo momento, pois as corporações, em nosso caso MPs / DPF, acreditam, como outros já acreditaram, que estão no comando do processo, mas na realidade é a midia que os controla, e na maior parte das ocasiões, tangida por interesses próprios, de origem nacional ou mais frequentemente, de demandas externas, e a partir do momento – o critico – que estes “vestais” contrariem estes interesses, a midia, apenas um veiculo de primaria divulgação de seus feitos, mas tb. um ente politico ativo de grande capilaridade, os descartará.

  25. analise fraca

    Tudo muito bem mas falta conclusão. O poder poítico sairá lá na frente mais poderoso porque estes que agora dominam criminosamente o país nada entendem de política. Tal como os militares, no final entrarão em guerra interna ( quem manda: a globo, o mp, o jidiário. ou a polícia?)

    P PT quer queiram ou não sairá lá na frente como vencedor. Todo o esforço de tentar condená-lo agora, voltará como capital para o PT. É questão de tempo. O problema é que neste tempo eles, esta bandidagem aí, tentará fazer o maior estrago.

    ESta pressão atual sobre o falso-presidente temer é para que ele ajude a destruir o país o mais rápido possível.

    Espero que a justiça prevaleça e os bandidos de hoje vão para a cadeia.

  26. Belas reflexões André.

    Se alguns de nossos formadores de opinião tivessem a menor parte do seu conhecimento e de seu espírito publico com certeza não teríamos entrado nesta estúpida crise ” midiota ” que está nos levando para trevas. vamos pagar muito caro por tal incúria.

  27. nheco nheco!…

    Gastou muitas letras pra escrever um artigo bobo. A tarefa é defender o PT e o seu legado. O resto é nheco, nheco!…

  28. A Lava Jato teria poder hoje

    A Lava Jato teria poder hoje para destruir a Globo? Sim, mas nao fara.

    A rede Globo teria poder para destruir a Lava jato? Sim, mas nao fara

    Se o objetivo do poder e sempre a sua concentracao, porque ambos sao hoje os mais significativos e poderosos no pais? Porque se complementam e fazem parte do mesmo experimento de conquista do poder.

    Porque e como se chegou ao ponto chegado? Porque isso vem sendo orquestrado pelo exterior faz tempo, contando com o conluio de elite escravocrata nativa, alem de contar com o golpe de sorte de uma governanca do pais solitaria e a deriva que culminou no seu afastamento, substituida por outra governanca oportunista mas tambem a deriva.

    Antes do que se pensa o Brasil vivera um Estado policial, dirigido por corporacao estatal ou seja poder judicial associado ao poder privado midiatico e na condicao do maior e mais rico pais vassalo que os EUA um dia sonharam comandar conforme seus interesses imperiais.

    Essa e uma condicao nova, mas o experimento foi bem sucedido, e nao ha o que fazer senao estudar o que a ficcao nos conta sobre os Estados vassalos no século XXII, que, dependendo da inteligencia dos resistentes e rebeldes, podera ser um pouco antecipada. Na verdade, quando a realidade supera a ficcao, e melhor ler a ficcao para entender melhor a realidade e se organizar contra ela. Simples assim

  29. “O PT e Lula NÃO são o alvo

    “O PT e Lula NÃO são o alvo final. São apenas o  alvo mais fácil, mais à mão, mais vulnerável. O inimigo a vencer é a CLASSE POLÍTICA brasileira como grupo tradicional no controle do Estado a ser substituída por homens virtuosos com mandato divino.”

    Sem tirar nem por uma vírgula em todo o texto.

  30. Infraestrutura e parceiros

         A primeira vista, a BURRA, parece a massa obnubilada, que trata-se de algo simples, é só tirar as Odebrechts, OAS, AG, QGs, estas corruptoras unidades empresariais, que outras vão assumir , adquiri-las, ou que médias e pequenas empresas nacionais possam ser parceiras de empresas externas ( chinesas, européias, americanas…. ). MAS : 

         1. É uma ilusão de pessoas que não conhecem nada deste mercado, pois as empresas estrangeiras, solicitam, alem de financiamento interno ” out borders ” ou compartilhado, que legislações sejam modificadas, tanto as trabalhistas, como de remessas, de seguros e ambientais.

         2. Tem muito capital rolando pelo mundo, procurando oportunidades, operações em infraestrutura não proporcionam ganhos financeiros imediatos, mas são ótimas pela constancia de entradas, mas querem garantias de longo prazo, e como nossa estrutura encontra-se fragilizada, todas a beira da quebra, quem tem capital pode esperar até que elas batam no chão, a venda das operações em Guarulhos ( Aeroporto ), foi sintomatica, os canadenses da Brook, ganharam na primeira, não pagaram – acharam “caro” – e levaram na segunda com maior desagio.

         3. Os “chinas”, que possuem dinheiro, tecnologia e interesse geopolitico, e vc. os conhece, querem investir, mas tipo em condições “africanas”.

         4. Na BID ( base industrial de defesa ), area de tecnologia de ponta, só vou te dar um dado pessoal : Estou voltando a meu curso de hebraico moderno, fonético ( não religioso ).

          Estes servidores do Estado, não tem a minima idéia do que estão cometendo ao desorganizarem nossas industrias, e caro AA, lembrei em certos momentos, de Geisel, um militar direitista ( um “Pastor Alemão ), ditador, que ao reconhecer a independencia de Angola (1974), “abriu” para nossas empresas um “mercado” ( tipo Cuando Kubango ), provavelmente hj. seria tachado de um comunista, e investigado, tanto ele como Azeredo, ou talvez estes nobres procuradores, caso na década de ’80, ficariam histéricos, nos levariam as galés curitibanas, até para Haia, pois engenheiros brasileiros em Sadr City (Iraque ), estavam modificando misseis Scud, junto a alemães orientais e tchecos, para que eles tivessem maior alcance e a possivel carga binária quimica ( não deu tempo ).

           AA, este mundo perfeito, politicamente correto, ético de manual, NÃO Existe, nunca existiu, e é impossivel de prosperar, o interesse nacional, as razões de Estado, são superiores, definitivas para a própria sobrevivência destes conceitos, tanto do Estado como da Nação.

    • Junior, eu diria que a massa não continuará tanto tempo…..

      Junior, eu diria que a massa não continuará tanto tempo obnubilada. Eu procuro conversar com as pessoas que fazem parte desta referida massa, e vejo que rapidamente está se começando a desconfiar de tudo isto. Levará um ano ou talvez dois, mas este esquema mafioso e entreguista chegará aos ouvidos de grande parte da população.

      Inverter o que foi feito será penoso, mas não impossível, porém quanto mais tarde isto for revertido mais traumático será para todos.

      Antes de 1964, a população brasileira era outra, a informação também e nunca se havia falado a todos que haviam outras alternativas.

      Este mundo está mudando, e numa velocidade bem rápida, só que com a quantidade de informações que se tem nos dias atuais, paradoxalmente a quantidade excessiva de informações e a velocidade com que elas giram parece que tudo está parado!

  31. Discordo que as Corporações e a Globo sejam independentes

    A análise é razoável , mas contém um erro grave. A Globo e as Corporações (MP, PF, alta cúpula do Judiciário. Moro, STF) não são independentes e não fazem o que bem entendem só porque querem. Eles só fazem isso porque tem carta branca e autorização dos reais mandões, o 1%, o pessoal da alta grana.. Veja que o setor rentista, bancos, etc, vai nadar ainda mais de braçada, porque não vai ser atingido pela lava-jatos da vida. E o orçamento vai privilegiá-los ainda mais. Vai ser uma festa para o pessoal do papelório.  Se Moro e cia não tivessem o aval do pessoal da grana, não saíam de Curitiba……

  32. Complementando

    E para a subelite vagabunda, venal, escravocrata, que ferra o Brasil desde sempre, não existe pátria, ou nação. Eles nem se consideram  brasileiros. Para eles, o Brasil é só um território a ser saqueado como se fosse butim de guerra, Depois da destruição eles vão embora para as capitais do mundo e nós administraremos o caos e pagaremos a conta, como sempre. A direita brasileira sempre foi entreguista e antinacional. E repito: esses imbecis do MP, PF, Moro, STF, etc,.. não são independentes, estão a soldo dessa subelite mequetrefe que o Brasil tem a desgraça de ter.

  33. PODER DIVORCIADO DA ÉTICA É ABUSO

    O artigo apresenta uma série de dados relevantes sobre o modus operandi da construção do caos aliada à usurpação predatória, mas padece da defesa semi explícita do arbítrio e do abuso de poder em nome da defesa do Estado.

    E ainda pretende revogar por decreto absolutista a influência determinante da luta de classes na definição das normas vigentes, das práticas privadas e das políticas públicas.

    Exerce assim o papel de arauto do retrocesso antidemocrático, justificado como pseudo solução para a deterioração institucional – o que constitui contradição patente, visto que tal deterioração institucional e a decorrente desagregação do tecido social são tragédias que resultam exatamente do retrocesso antidemocrático.

    Desse modo, o artigo colide com a noção elementar e inexorável de que o exercício do poder, quando divorciado dos princípios da ética, caracteriza arbitrariedade e abuso.

    Esquece, portanto, que é da própria ética que deriva a essência da democracia enquanto modelo de exercício do poder do povo, pelo o povo e para o povo. Parece desconhecer o fato de que tal insígnia não é mera literatura, mas sim a referência objetiva para aferir a legitimidade ou ilegitimidade dos discursos e das práticas.

    Nesta medida, o artigo serve, lamentavelmente, de maneira deliberada ou não, aos abjetos objetivos que visam a lobotomia da consciência coletiva e a mumificação da democracia. E sugere uma realidade neoideológica, na qual a reunião de dois valores negativos resultaria, talvez por força da metafísica, em um insólito resultado positivo.

    Tal postura evidencia grave equívoco, dado que a solução da crise institucional e a restauração da governabilidade só pode ser construída com base no pleno resgate da legalidade e na efetiva vigência do Estado Democrático de Direito.

    Assim, ao invés de sugerir o uso de medidas de força – ilegítimas, mesmo que sejam impingidas pela sanha legisferante, e camufladas por laudatórias doutrinas positivistas, por violarem a lei maior –, melhor será propor que as instituições representativas da sociedade civil clamem pelo urgente resgate da legalidade democrática.

    Urge lembrar a todos que a democracia é o oposto do estado policial, e que o arbítrio costuma ser sempre instrumento da usurpação espoliadora e da dominação geopolítica, pois já está muito claro o sentido lesivo da cruzada anti Brasil encenada em nome de um canhestro simulacro de uma ameaçadora “ética” non sense.

      • REAL POLITIK DEPLORAVEL

        Na minha humilde opinião, um Estado Nacional que exerce o poder sem compromisso com a ética é o avesso do Estado Democrático, e constitui o caldo de cultura onde o fascismo comete atrocidades aterradoras em nome da hegemonia.

  34. Texto fascista.”
    O estado é o

    Texto fascista.”

    O estado é o comitê executivo da classe dominante” diz o comunista.

    Qual é o principal motivo do nosso país ser subdesenvolvido?

    As eltites brasileiras não tem projeto de nação, o projeto é de enriquecimento pessoal e familar,

    O estado não faz nada, quem faz algo é a sociedade, o estado apenas gerencia os recursos e os interesses coletivos de acordo com a orientação da sociedadem não o contrário.

    Como não existe futuro , não tem porque seguir regras morais

    A questão passa a ser como se eleger ano que vem e como saquear o tesouro.

    Rede Globo é efeito e não causa primária..

  35. Caro André, eu não ficaria tão desesperado! Porém diria que ….

    Caro André, eu não ficaria tão desesperado! Porém diria que a origem não está na rede Globo.

    André, vejo que estás realmente preocupado com o futuro assim como a maioria das pessoas que leram e respondem ao teu texto, porém tenho três grandes observações que agregaria ao teu comentário. Uma primeira que aumentaria a tua preocupação e mais duas outras que relativizariam a primeira.

    O teu diagnóstico restringe-se à desconstrução de todo um setor industrial restrito às empreiteiras, entretanto vejo claramente que o objetivo de tudo isto que estamos passando é bem pior do que a tua interpretação.

    A desconstrução do setor da grande construção é uma cunha para atingir objetivos bem mais amplos, a total e completa desconstrução do setor industrial brasileiro que não seja completamente vinculado ao capital estrangeiro. Veja, com a parada do setor da construção se para também o setor do aço para construção, o setor do cimento, e toda a indústria metal mecânica vinculada a estes setores. Se olhares bem tirando a capacidade de investimento das estatais como Petrobrás e outras, se retira também a preferência pela produção nacional para elas, e diversas empresas que produzem insumos para estas estatais serão suprimidas.

    O grande objetivo de todo este esquema é transformar todo o setor industrial num setor em que a gerência esteja fora do país, exatamente como a indústria automobilística. Por que isto, simplesmente porque este setor industrial não cria nada no país, simplesmente importa os projetos e constrói seus automóveis com insumos brasileiros.

    A retirada do mando de todo e qualquer setor industrial no país retira a capacidade de se criar algo e se criar qualquer geração de pesquisa e desenvolvimento no Brasil. Poderia se dizer que ainda existirão pessoas com capacidade de projetar e fazer algo em termos de tecnologia, porém eles sabem muito bem que por mais que tenhamos massa crítica para criar indústrias, como nos dias atuais há uma necessidade de uma mega escala para que se concorra no mercado não haverá fontes de financiamento para tanto.

    Agora vamos a segunda observação, que se resume a responder uma pergunta: Quem está por trás de todo este esquema de aumentar ainda mais a dependência tecnológica do país?

    Talvez a resposta desta pergunta que leve a forma de combater todo este esquema de destruição do Estado Nacional, que começas a descrever no teu texto e eu ainda aprofundo-o mais. A resposta é simples e várias pessoas de esquerda tem ela pronta nos lábios e setores de direita produtivos negam-se a aceitar. Todo este projeto é cuidadosamente gerado nos países centrais, principalmente nos Estados Unidos, pois uma rede Globo da vida não teria nem capacidade teórica de elaborá-lo.

    Agora vem a terceira observação mais conclusiva sobre todo este problema, que também é gerado por outra pergunta: Quem seria capaz de desmanchar todo este esquema de desconstrução do Estado Nacional?

    Respondesse parte da questão quando disseste que o PT está fora da solução, no que concordo contigo, mas não pelos motivos mencionados. O PT está fora da solução simplesmente porque assim como a Globo, não tem a mínima capacidade de diagnosticar este problema e mais ainda, mesmo se diagnosticá-lo não tem condições de resolvê-lo.

    Para resolver todo este problema, deverão ser tomadas atitudes verdadeiramente revolucionárias, revolucionárias de direita ou de esquerda, mas revolucionárias. Dentro do esquema constitucional é impossível desenredar toda esta trama, pois para fazê-la será necessário quebrar várias das estruturas institucionais de poder. Por exemplo, intervir diretamente no judiciário, ministério público, congresso e mais dezenas de outras estruturas do poder atual.

    Chamo a atenção que quando falo numa estrutura revolucionária de direita, não estou falando desta nossa direita dos dias atuais, nem de seus rebentos mais desqualificados que surgem a extrema direita do tipo Bolsonaros e outros, mas sim de um movimento estruturado de inspiração de nacionalista exaltado com um programa político claro de independência nacional e reconstituição de um Estado Nacional forte.

    Coloquei claramente que esta ação poderá ser levada por uma estrutura revolucionária tanto de direita como de esquerda, pois vejo que um desses dois caminhos será ser tomado num futuro próximo, e a grande pergunta é quem terá forças para agir nesta direção. Se a direita continuar associada ao projeto atual, claramente por mais truculento que seja os próximos governos a ela associados, as contradições que gerarão estes governos vinculados ao capital internacional, levarão certamente a um movimento revolucionário de esquerda.

    Quando falo de um governo revolucionário não estou falando que este assumirá através de um golpe puro e simples que estamos acostumados a ter na nossa história, estou falando de um governo de tendência de direita ou de esquerda que se eleja constitucionalmente e devido ao processo de tentar revitalizar o Estado Nacional, inexoravelmente terá que romper com as estruturas constitucionais.

    Qual o melhor caminho? Esta pergunta ninguém saberá responder sem que veja a eficiência da solução adotada, pois se ela se revelar ineficiente, automaticamente o pêndulo irá à direção contrária.

    Qual a última observação que faço, e que me dá esperança? É que este novo governo revolucionário acontecerá, com o efeito pêndulo em seu bojo, e que com este se reverterá a situação atual até que se recupere a capacidade produtiva do país, pois a maioria das pessoas com capacidade técnica de reverter o problema que estão criando, sempre estarão no país, independendo da direção política que ele tome. O grande Leonel de Moura Brizola tinha uma frase lapidar sobre isto, ele dizia que jamais a burguesia sairia do Brasil, simplesmente porque a burguesia brasileira é muito grande para se asilar em Miami.

    Só mais uma observação final, existem pessoas que poderão redirecionar o Estado brasileiro, eu diria que sim, e mais já as identifico na nossa política atual. Pessoas que penderão para a direita ou a esquerda conforme a conveniência de uma ou outra saída.

    .

    • Concordo em parte com sua

      Concordo em parte com sua análise. Já havia dito aqui que o que ocorre no país atualmente é fruto de seu próprio crescimento, que chegou a um limite crítico. É fruto de uma dificuldade imensa para subir a um patamar superior de desenvolvimento, já que está sendo puxado para trás por milhares de cordas institucionais ou informais. Estas cordas são tencionadas por aqueles que necessitam, para sua própria sobrevivência, que o país se mantenha nos paradigmas atrasados que de certo modo já foram ultrapassados na prática. Estas forças do atraso são muito capazes de, para sobreviverem, fazer alianças com inimigos externos do país, contrários a nosso crescimento e a nossos interesses internacionais.

      No meu entender, para passar ao patamar superior, o país necessita de um governo muito forte. O Brasil, ao passar para aquele patamar, irá ombrear e disputar com as maiores potências do planeta, e será uma delas. Necessita de uma constituição que contemple esta necessidade de um governo forte e que reveja aquelas leis que, patrocinadas por entreguistas, deixaram diversos flancos do país abertos ao ataque de fora de seus interesses. Necessita do fortalecimento e defesa de nossas identidades e de nossa cultura cívica e patriótica. Não pode ser um país que cultiva oficialmente o complexo de vira-latas e a desmoralização dos símbolos nacionais. Não pode ser um governo que se agache ao poder da mídia, uma mídia que sempre poderá ser comprada e servil aos interesses de potências que disputarão com o Brasil no cenário global. Não pode ser um governo que não disponha de um sistema de discriminação e defesa de interesses estratégicos e de segredos de Estado altamente desenvolvido e de um setor de informação e inteligência que se equipare aos melhores do mundo.

      Este governo forte necessita de Forças Armadas fortes e inacessíveis aos ataques sutis dos inimigos do país, que podem se concentrar em confundir e minar moralmente aquelas instituições.

      Como se vê, esta forma de governo pode ser de direita ou de esquerda, mas o que não pode deixar de ser é rigorosamente nacionalista.

       

  36. Para minar os ingênuos países

    Para minar os ingênuos países que deseja subjugar, o imperialismo conta, hoje mais que nunca, com um exército imbatível de louras e morenas. Atrás delas vem outro exército de fotógrafos para fazerem, ocultos, filmagens comprometedoras. Depois, com a posse de alentados dossiês e com o domínio dos meios de comunicação de massas, o imperialismo tem na palma da mão grande parte das autoridades daquele país, em todas as áreas: Militar, juridica, etc.. Esta é a guerra moderna de dominação, e custa um milionésimo do que custaria uma guerra de verdade. 

  37. E’ história

    O  falso ideológico tipo ”o governo dos EUA fez acordo com a máfia na invasão da Sicília para preservar sua existência e do povo que ele abriga protege”, esculhamba com a inteligência de qualquer pessoa honesta e decente, que leu um pouco sobre o assunto.

    E’ história. Como já foi recordado recentemente, os Estados Unidos insistem em manter sua hegemônia controlando canais internacionais de informação e canais regionais (mídia tradicional e alternativa de outros países), monitorando e abafando reações nacionalistas consideradas como obstáculos, agindo com determinação agressiva na defesa do acesso a recursos naturais e mercados internos de outros países para as suas empresas, criando parcerias com oligarquias regionais entreguistas, corruptas e mafiosas, intervindo militarmente nos países (fracos e vassalos) que caguem fora do pinico, e por aí vai.

    Um cientista politico estadunidense escreveu que a questão importante não é saber por que a Revolução industrial nasceu na Inglaterra, Escócia e Bélgica, mas conhecerem a razão de algumas regiões avançadas da economia mundial no século XVIII não terem adaptado sua manufatura às novas condições de produção e concorrência do século XIX. O mesmo cientista cita Marx, que gostava de recordar – sempre – aos ecunumistas e adjacentes, que a versão ”whig” da história cancela sacanagens e brutalidades.  Os telaios da India e da China não foram derrotados pela concorrência de mercado mas foram brutalmente desmantelados na base da porrada durissima, invasões, ópio e uma via tarifária de mão única imposta pelos ingleses (em 1850, a importação compulsória de ópio indiano tinha consumido 11% da liquidez chinesa e 13% das suas reservas de prata).

    Moral dessa história: de 1780 pra frente, toda e qualquer iniciativa séria da Asia, Africa ou América Latina de entrar na corrida do desenvolvimento e tentar melhorar-se autonomamente ou decidir os próprios termos de troca, encontrou resposta militar e  econômica da Inglaterra. Foi a chamada Pax Britanica: paulada no kengo, sôco na cara e rajada de metralhadora nas costas, tudo isso com intenção de ”fazer o bem” e criar uma economia mundial ”liberal.”

    Pensando nas nossa atual elite entreguista, corrupta e golpista, aliada do informador do governo dos EUA, M. Temer, faço uma parodia da pergunta vencedora em um congresso sobre vida sustentável:

    Todo mundo está pensando em deixar um Brasil melhor para seus filhos…
    Quando é que vão pensar em deixar filhos melhores para o Brasil?

    Quanto à Globo, pra quem não leu:  Uma breve história da luta da grande mídia contra os interesses nacionais
    http://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/Uma-breve-historia-da-luta-da-grande-midia-contra-os-interesses-nacionais/4/28103

    • https://searchworks.stanford.

      https://searchworks.stanford.edu/view/6302137

      Meu caro, vc acha que eu tenho leitura sobre a Segunda Guerra ? Pode ser, são 2.670 livros que tenho sobre esse tema e pelo vicio de leitura que não me abandona continuo comprando porque estão saindo continuamente novas e notaveis obras, com angulos de visão que renovam nossa ideia do contexto daueles tempos, que são os da minha geração, aquela dos nascidos durante os anos de 1939 a 1945. Minhas leituras tem alguma conistencia, meus livros estão a venda nas livrarias de 27 universidades americanas, inclusive na de Stanford, na California.

      Salvatore Lucania, conhecido como “Lucky” Luciano estava preso condenado a pena de 45 anos quando o Escritorio de Inteligencia Naval da Marinha dos EUA fez com ele um “acordo” secreto para solta-lo com a incumbencia de dar suporte através da mafia da Sicilia à invasão americana no verão de 1943. O Governador Thomas Dewey foi contra solta-lo mas a necessidade maior passou por cima de seus escrupulos legais. Luciano era o chefe de uma das cinco grandes familias da Mafia de Nova York, as demais eram as familias GAMBINO, COLOMBO, BONANNO e LUCCHESE.

      A soltura de Luciano teve consequencias no pós guerra. Lucky Luciano pelo acordo não deveria sair da Italia mas em 1946 foi para Havana através do Rio de Janeiro e Caracas e lá organizou o imperio de cassinos em sociedade com Mayer Lansky,

      Lucky morreu em Napoles e desde sua deportação jamais voltou aos Estados Unidos embora sempre se considerasse cidadão americano.  A colaboração de Luciano na invasão da Sicilia é fato amplamente documentado e registrado pela Historia, não vi onde se localiza sua duvida ou qual é a nova interpretação que nos oferece.

       

      • Suas palavras:”Nas guerras

        Suas palavras:
        ”Nas guerras os Estados praticam atos ignominiosos em nome de sua defesa. O Exército americano fez acordo com a Máfia para a invasão da Sicília. Não há limite moral ou ético para um Estado na preservação de sua existência e do povo que ele abriga e protege”.

        Minha interpretação:
        1.  Os negros, os nativos americanos e as minorias étnicas que o digam: os EUA (sempre) praticaram e continuam praticando atos ignominiosos que nada tinham ou têm a ver com a defesa deles nem dos povos que abrigam). Um dos exemplos mais clamorosos desses atos foram as duas bombas atomicas sobre as cidades japonesas (ontem, 6 de agosto [1945], foi lembrada a de Hiroshima). Qualquer pessoa com um mínimo de interesse, que tenha lido sobre isso no Wikipedia, sabe que instalara-se na Casa Branca, com Truman, um grupo de gangters temíveis, infinitamente mais sanguinários de Lucy Luciano. Até o ”testa di cazzo” do McNamara (que sua alma esteja penando nas quintas do inferno), reconheceu num video que as atomicas foram usadas apena pra assustar os russos. De fato, o Estado Maior ja tinha autorizado a renovação completa dos estoques de bombas (sobre o Japao) de olho nas novidades da coleção inverno/verão 1946.

        2. Acordo com a máfia  —  na verdade a incumbencia mais urgente fora descobrir espiões e sabotadores no porto de New York pra por fim aos repetidos atentados. O boss fez o serviço auxiliado por ”scagnozzi” ao serviço dele. Quanto à colaboração da máfia e a expertise do Luck Luciano, foi imposição do Churchill (para os EUA a Itália era país co-beligerante, de grande interesse estratégico; para a Inglaterra era país derrotado que não merecia coisa alguma e tinha de ser controlado por ela).
        O movimento antifascista partigiano, de base operária e camponesa, liderado pelo Partido Comunista Italiano, com luta heróica e dramática porque também fratricida, enfrentara seis divisões alemãs, liberando o Norte da Itália. Quando as forças anglo-americanas desembarcaram tirando fotografia e posando para o serviço de cinegrafistas, sabiam que o serviço já estava praticamente feito; imediatamente desarmaram e debandaram a resistência antifascista e restauraram a estrutura básica do regime fascista anterior à guerra: com o armistício de 8 de setembro de 1943, os anglo-americanos impuseram uma ditadura de direita liderada pelo fascista marechal ”malvadeza” Badóglio junto com o rei Vittorio ”meia foda” III (era alto 1 metro e meio).
        Imediatamente após o desembarque anglo-americano, os mafiosos passaram a ser administradores da força pública, alguns assumiram até prefeituras; o velho sonho de Cosa Nostra de ditar lei e possuir a própria milícia torna-se realidade sob proteção estadunidense. No comando da organização, verdadeiro exército mafioso de ocupação e sucursal da CIA na Sicilia, estava um estadunidense de 27 anos chamado James Angleton. Atribuição principal dos mafiosos: controlar a ordem e evitar que os sem terra invadam latifundios. Os EUA ja sabiam que a Sicilia era uma posição importante no controle do Mediterraneo e para a guerra que seria iniciada, contra o comunismo soviético.

        No tratado de paz de 1947, ainda em vigor, assinado pelo governo italiano da época, existe uma cláusula que obriga a autoridade política italiana garantir imunidade a todos os cidadãos italianos que colaboraram com a causa aliada a partir de 1943, ou seja, a partir do desembarque na Sicilia.  Esse tratado é diretamente responsável pela imobilidade, perene degrado moral das instituições italianas e cretinização daquela sociedade, até os dias de hoje.

        Recomendo a compra de mais dois livros que serão destaque absoluto entre os 2.670 da sua biblioteca sobre esse tema:

        — “Colonia Italia. Giornali, radio e tv: così gli inglesi ci controllano” e ”Le prove nei documenti top secret di Londra”,
        de Giovanni Fasanella e Mario José Cereghino, Chiarelettere editore, Milano, 2015, http://www.chiarelettere.it
        link:   https://www.amazon.it/gp/product/B016OR5STK/ref=as_li_ss_tl?ie=UTF8&camp=3370&creative=24114&creativeASIN=B016OR5STK&linkCode=as2&tag=byoblu-21

        — Il Patto (O Pacto) de Nicola Biondo e Sigfrido Ranucci, Chiarelettere editore
        link:  http://www.chiarelettere.it/libro/tascabili/il-patto-9788861905160.php

        Assista o video com Fasanella:
        Video:  http://www.dailymotion.com/video/x3diwqa_i-documenti-uk-che-fanno-gelare-il-sangue-da-aldo-moro-a-enrico-mattei_news

        ———————

        Aproveito a ocasião pra passar alguns dados aos leitores mais jovens que viram muitos filmes de guerra produzidos em Hollywood:

        a)   Os EUA enfrentaram os alemães somente em 1944, quando faltava menos de 1 ano ao término da guerra;
        b)   Quando os EUA desembarcaram na Europa (1943 na Itália e 1944 na França) os soviéticos ja tinham decidido – sozinhos –  a sorte da guerra, a favor dos aliados. Entre 1942 e 1943 os alemães foram desbaratados nas batalhas de Kursk e Stalingrado; em 1944 os soviéticos deram início à liberação de países europeus ocupados pelos nazistas; Berlin foi conquistada em 1945;
        c)    Mesmo depois do desembarque dos aliados na Normandia, em 1944, contra os soviéticos combatiam 181 divisões da Wehrmacht e contra os anglo-americanos somente 81.
        d)   Entre 1941 e 1945, os soviéticos, a carissimo preço, mandaram pra casa do chapéu, mais de 70% do potencial bélico do poderosissimo III Reich (mais de 70% dos recursos humanos da Wehrmacht, mais de 70 mil unidades da força aérea, cerca de 50 mil tanks e carros de assalto, 167 mil bocas de fogo, etc.).
        e)  Morreram cerca de 9 milhões de soldados soviéticos; cerca de 16 milhões de civis foram mortos pelos ocupantes.
        f)  As forças soviéticas eram compostas por forte presença de jovens mulheres que nada tinham a invejar dos homens em coragem e abnegação no combate. As mulheres civis de todas os paises em conflito na Europa, Asia, Africa e Oriente Medio, pagaram o preço mais alto (se for possivel estabelecer unidade de grandeza dessa tragédia humana).
         

      • Minha interpretação

        Suas palavras:
        ”Nas guerras os Estados praticam atos ignominiosos em nome de sua defesa. O Exército americano fez acordo com a Máfia para a invasão da Sicília. Não há limite moral ou ético para um Estado na preservação de sua existência e do povo que ele abriga e protege”.

        Minha interpretação:
        1.  Os negros, os nativos americanos e as minorias étnicas que o digam: os EUA (sempre) praticaram e continuam praticando atos ignominiosos que nada tinham ou têm a ver com a defesa deles nem dos povos que abrigam). Um dos exemplos mais clamorosos desses atos foram as duas bombas atomicas sobre as duas cidades japonesas (ontem, 6 de agosto [1945], foi lembrada a de Hiroshima). Qualquer pessoa com um mínimo de interesse, que tenha lido sobre isso no Wikipedia, sabe que instalara-se na Casa Branca, com Truman, um grupo de gangsters temíveis, infinitamente mais sanguinários de Lucy Luciano. Até o ”testa di cazzo” do McNamara (que sua alma esteja penando nas quintas do inferno junto com de seus cupinchas), reconheceu num video que as atomicas foram usadas apena pra assustar os russos. De fato, o Estado Maior ja tinha autorizado a queima completa dos estoques de bombas (sobre o Japão) de olho nas novidades da coleção inverno/verão 1946.

        2. Acordo com a máfia  —  na verdade a incumbencia mais urgente fora descobrir espiões e sabotadores no porto de New York pra por fim aos repetidos atentados. O boss fez o serviço auxiliado por ”scagnozzi” ao serviço dele. Quanto à colaboração da máfia e a expertise do Luck Luciano, foi imposição do Churchill (para os EUA a Itália era país co-beligerante, de grande interesse estratégico; para a Inglaterra era país derrotado que não merecia coisa alguma e tinha de ser controlado por ela).
        O movimento antifascista partigiano, de base operária e camponesa, liderado pelo Partido Comunista Italiano, com luta heróica e dramática porque também fratricida, enfrentara seis divisões alemãs, liberando o Norte da Itália. Quando as forças anglo-americanas desembarcaram tirando fotografia e posando para o serviço de cinegrafistas, sabiam que o serviço já estava praticamente feito; imediatamente desarmaram e debandaram a resistência antifascista e restauraram a estrutura básica do regime fascista anterior à guerra: com o armistício de 8 de setembro de 1943, os anglo-americanos impuseram uma ditadura de direita liderada pelo fascista marechal ”malvadeza” Badóglio junto com o rei Vittorio ”meia foda” III (era alto 1 metro e meio).
        Imediatamente após o desembarque anglo-americano, os mafiosos passaram a ser administradores da força pública, alguns assumiram até prefeituras; o velho sonho de Cosa Nostra de ditar lei e possuir a própria milícia torna-se realidade sob proteção estadunidense. No comando da organização, verdadeiro exército mafioso de ocupação e sucursal da CIA na Sicilia, estava um estadunidense de 27 anos chamado James Angleton. Atribuição principal dos mafiosos: controlar a ordem e evitar que os sem terra invadam latifundios. Os EUA ja sabiam que a Sicilia era uma posição importante no controle do Mediterraneo e para a guerra que seria iniciada, contra o comunismo soviético.

        No tratado de paz de 1947, ainda em vigor, assinado pelo governo italiano da época, existe uma cláusula que obriga a autoridade política italiana garantir imunidade a todos os cidadãos italianos que colaboraram com a causa aliada a partir de 1943, ou seja, a partir do desembarque na Sicilia.  Esse tratado é diretamente responsável pela imobilidade, perene degrado moral das instituições italianas e cretinização daquela sociedade, até hoje.

        Recomendo a compra de mais dois livros que serão destaque absoluto entre os 2.670 da sua biblioteca sobre esse tema:

        — “Colonia Italia. Giornali, radio e tv: così gli inglesi ci controllano” e ”Le prove nei documenti top secret di Londra”,
        de Giovanni Fasanella e Mario José Cereghino, Chiarelettere editore, Milano, 2015, http://www.chiarelettere.it
        link:   https://www.amazon.it/gp/product/B016OR5STK/ref=as_li_ss_tl?ie=UTF8&camp=3370&creative=24114&creativeASIN=B016OR5STK&linkCode=as2&tag=byoblu-21

        — Il Patto (O Pacto) de Nicola Biondo e Sigfrido Ranucci, Chiarelettere editore
        link:  http://www.chiarelettere.it/libro/tascabili/il-patto-9788861905160.php

        Assista ao video com Fasanella:
        Video:  http://www.dailymotion.com/video/x3diwqa_i-documenti-uk-che-fanno-gelare-il-sangue-da-aldo-moro-a-enrico-mattei_news

        ———————

        Aproveito a ocasião pra passar alguns dados aos leitores mais jovens que viram muitos filmes de guerra produzidos em Hollywood:

        a)   Os EUA enfrentaram os alemães somente em 1944, quando faltava menos de 1 ano ao término da guerra;
        b)   Quando os EUA desembarcaram na Europa (1943 na Itália e 1944 na França) os soviéticos ja tinham decidido – sozinhos –  a sorte da guerra, a favor dos aliados. Entre 1942 e 1943 os alemães foram desbaratados nas batalhas de Kursk e Stalingrado; em 1944 os soviéticos deram início à liberação de países europeus ocupados pelos nazistas; Berlin foi conquistada em 1945;
        c)    Mesmo depois do desembarque dos aliados na Normandia, em 1944, contra os soviéticos combatiam 181 divisões da Wehrmacht e contra os anglo-americanos somente 81.
        d)   Entre 1941 e 1945, os soviéticos, a carissimo preço, mandaram pras cucuias mais de 70% do potencial bélico do poderosissimo III Reich (mais de 70% dos recursos humanos da Wehrmacht, mais de 70 mil unidades da força aérea, cerca de 50 mil tanks e carros de assalto, 167 mil bocas de fogo, etc.).
        e)  Morreram cerca de 9 milhões de soldados soviéticos; cerca de 16 milhões de civis foram mortos pelos ocupantes e pela ocupação.
        f)  As forças soviéticas eram compostas com forte presença de jovens mulheres que nada tinham a invejar dos homens em coragem e abnegação ao combate. As mulheres civis de todas os paises em conflito na Europa, Asia, Africa e Oriente Medio, pagaram o preço mais alto (se for possivel estabelecer unidade de grandeza dessa máxima tragédia humana).
        g)  O movimento partigiano italiano contou com grande presença feminina. As italianas conquistaram mais medalhas que os homens (ações de combate, heroismo, valor patriotico, atos de grande coragem, etc.). E ainda por cima eram as mais belas em número percentual.
         

  38. Capital tecnológico, de
    Capital tecnológico, de conhecimento e de inteligência não acaba. Pode ser pulverizado, fracionado e transferido, porém é impossível destrui-lo.

    Para onde ele vai, aí dependeria de um “estado forte”, tão criticado por TODOS aqueles que defendem o neoliberalismo.

    Se as empresas não tem ideologia, os estados deveriam tê-la à partir da população e por consequência os partidos que a representa.

    Liberalismo, “laisser faire”, globalização, exige a livre movimentação do capital.

    Se um dia a população defendeu com unhas e dentes a Petrobrás foi por ideologia nacionalista.

    Hoje poucos setores se movimentam para defendê-la.

    Entendeu a importância da ideologia?

    • A questão de grandes obras de

      A questão de grandes obras de infra estrutura não é só de conhecimento. è de ORGANIZAÇÃO do conhecimento, de montagem de incontaveis fatores que colocam um projeto de pé, isso não se improvisa. A Presidente Dilma por teimosia não queria as grandes empreitieras nas obras da usina de Belo Monte. Insistiu em montar um consorcio com empreiteiras medias, barrando as grandes. Fez tudo mas tiveram que subcontratar as grandes porque as medias nem o contaeiro de obras conseguiram montar naquelas condições de selva tropical.

      As grandes empreiteiras mundiais são todas antigas e tradicionais, não se vê novatas em grandes empreendimentos.

      As americnas Bechtel, Fluor, Parsos, Brown & Root,  (hoje HBR), Morrison Knudsen são veteranissimas.

      A francesa Bouiguy as espanholas Dragados y Construcciones,  FOmento de Construciones y Contratas (FCC), a italiana Impregilo são casas tradicionais com decadas de experiencia. A Odebrech era a 8ª empreiteira do mundo, destruida com requintes, quando o Brasil terá novamente uma empreiteira entre a 500 maiores do ranking da revista Engeneering News Record ?

        • Nada a ver. As licitações de

          Nada a ver. As licitações de grandes obras no mundo inteiro tem a barreira do curriculo da empreiteira. No Brasil em barragens tem tres ou quatro, assim é internacionalmente, não adianta reinventar a roda, a exigencia se faz pelo curriculo ee  r Camargoobras, em barragens a pioneira é a Mendes, depois Camargo, muito depois Andrade, em pontes CR Almeida.

          As brasileiras são as que mais tem experiencia em hidroeletricas no mundo, um capital precioso, destruido pela Lava Jato.

          • Você afirmou que Dilma não queira as grandes em Belo Monte
            ” O consórcio Norte Energia, que tem participação da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), subsidiária da Eletrobras, da Construtora Queiroz Galvão, da Galvão Engenharia e de outras seis empresas, arrematou, em leilão realizado nesta terça-feira (20), a usina de Belo Monte. A informação é da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).
            O outro consórcio que concorreu foi o Belo Monte Energia, formado pela construtora Andrade Gutierrez, pela Vale, pela Neoenergia. Nesse grupo, estavam ainda duas subsidiárias da Eletrobras: Furnas e Eletrosul.”

            http://g1.globo.com/economia-e-negocios/noticia/2010/04/consorcio-norte-energia-arremata-usina-de-belo-monte-em-leilao.html

            Se essas não são grandes…..

          • Você continua tangenciando o tema
            Quem construiu a hidrelétrica foram as grandes empreiteiras.

            Esse foi o tema do nosso embate.

            No mais o próprio link que você disponibilizou afirma que o outro grande consórcio permaneceu na licitação. E não foi nem na época do governo Dilma.

            “Em 2010, ainda no segundo mandato de Luiz Inácio Lula da Silva, pouco antes do leilão da hidrelétrica, duas gigantes do setor de construção, Odebrecht e Camargo Corrêa, anunciaram que haviam se retirado do processo, por falta de “condições econômico-financeiras que permitissem sua participação na disputa”. Dito de outro modo: o lucro não estava garantido. Às pressas, o governo formou o consórcio Norte Energia, para assegurar a disputa, já que só havia um outro consórcio candidato, o Belo Monte Energia, do qual participavam a Andrade Gutierrez, Vale, Eletrosul, Furnas, Companhia Brasileira de Alumínio e Neoenergia.”

          • AA, para encerrar, no mesmo link que vc disponibiliza…
            .. mostra s aversão, tão debatida aqui no blog, do empresário brasileiro assumir riscos.

            Houve por parte dos empresários chantagem para que se mudasse os ditames da licitação, aumentando o preço do KW/h. O governo não se dobrou. Mas, não ficaram de fora da própria construção usina. Conhecimento e tecnologia brasileira utilizados.

            Diz o texto que vc indicou:

            “Para construir a hidrelétrica, a Norte Energia contratou o terceiro elemento da arquitetura política e econômica da usina: o Consórcio Construtor Belo Monte. E, adivinhem quem faz parte dele? Sim, as gigantes do setor de construção, Odebrecht e Camargo Corrêa, que desistiram de participar do leilão por falta de “condições econômico-financeiras”

          • Meu caro Assis, o Brasil

            Meu caro Assis, o Brasil construiu alguma das maiores hidroeletricas do planeta como Itaipu, Tucurui, Sobradinho, Ilha Solteira, Rosana, Xingó alem do grande sistema mineiro de Tres Marias e Furnas. Em nenhuma dessa obras houve a CONFUSÃO absurda de concepção, projeto basico, projeto executivo, crises de licenciamento, organização do consorcio que houve em Belo Monte, tudo isso atrasou a obra em anos, aumentou enormemente os custos, não foi um projeto

            executado com a melhor economicidade, a propria concepção é discutivel,  um investimento para produzir 11.600 MW

            mas que vai gera potencia efetiva de 40% de capacidade instalada porque não vai ter agua em boa parte do ano.

          • AA, desde 1975 tenta-se
            AA, desde 1975 tenta-se construir uma usina na bacia hidrográfica do rio Xingu, e desde lá às reações foram intensas e os projetos foram estancadaos.

            Apenas no governo Lula consegui-se executar a licitação.

            Você, fora do contexto, atribuiu ao governo Dilma um direcionamento (que NÃO houve) para favorecer empreiteiras menores.

            A questão de modal Fio D’água ou por reservatório é outro debate, longo – não cabe neste post.

            Dá mesma forma a transposição São Francisco.

            Do mesma forma a ferrovia norte-sul.

            Para mim obras essenciais, complexas e que precisou muita coragem e determinação para realizá-las.

            Enquanto uns aplaudem tais obras, outros vaiam.

            Estou entre os que aplaudem.


        • Faça a lista das empresas capazes de realizar a obra de Angra 3 por exemplo.

          Por favor, cite algumas. Quantas são?

          Direcionamento é inteligência porque se perguntar pro engenheiro da ESQUINA, o que faz obras de troca de pastilha de fachada de prédios, diz que faz.

          E vc vai fixar tranquilo depois que o engenheiro de troca de pastilha construir uma usina nuclear?
          Vou repetir, se perguntar, ele diz que faz a que cobrá milhões a menos que a Odebrecht.
          Quem vc contrata?

          Diga aí.

          • Fala sério, Athos.Olhe no
            Fala sério, Athos.

            Olhe no meu comentário abaixo e veja quais as vencedoras de Belo Monte.

            Os dois primeiros consórcios colocados são excepcionais.

            Portanto, não houve direcionamento de Dilma para favorecer empresas menores como afirmou André Araujo.

            Você confundiu o edital licitatório fixar condições com direcionamento.

            É proibido por lei, edital direcionar.

        • Assis, tens noção como que a Coréia do Norte cresceu nos ….

          Assis, tens noção como que a Coréia do Norte cresceu nos últimos trinta anos. As Chaebols que são. Nunca precisaríamos copiar um sistema como o Coreano, pois temos já indústrias mais sólidas, porém não digo direcionar licitações mas simplesmente controlar melhor as mesmas.

    • Assis, parece que uma expressão deve dominar a política, …..

      Assis, parece que uma expressão deve dominar a política, um Estado Forte!

      E deixo bem claro, um Estado Forte não quer dizer um Estado Repressor, mas sim um Estado que dentro de uma ótica nacionalista que contrapõe a pseudo internacionalismo do Capital (neoliberal) e tenha estruturas que contraponha e defendam os interesses do Estado Nação contra o que se chamava nos tempos de antanho, os Quinta Colunas.

      Enquanto as forças nacionalistas, nacionalista num conceito bem mais amplo de criar um país em que os interesses da maioria sejam o objetivo final, a criação de um Estado em que todo o brasileiro seja um verdadeiro cidadão que seja protegido contra as artimanhas do capital “internacional” (internacional de alguns países, é claro!), não se poderá soltar as amaras que impedem o crescimento.

      Temos nos dias atuais uma nova geração de brasileiros prontos para o protagonismo, jovens que com condições atrozes trabalham 8 horas por dia e ainda estudam mais 4 para fazer parte deste país. Esta geração está querendo o seu protagonismo e devemos deixar claro que para eles que deve o Estado se voltar.

      • Parece
        A descrição de um Estado facista.

        Como eu sempre disse(não com todas as letras), a esquerda deveria ter procurado os facistas.

        Os verdadeiros e não todo aquele que discorda de vc de esquerda.

        • Athos, o Estasdo Fascista é bem mais que um Estado Forte.

          Roosevelt para combater a pobreza nos USA e posteriormente para combater os Fascistas montou um Estado Forte no seu país, e não podemos dizer que era um Estado Fascista.

          • Não estou dizendo para

            Não estou dizendo para virarmos fascistas.

            Mas com um pouco de imaginação eles poderiam ser USADOS para COMPOR um projeto de país que a esquerda provou ser incapaz de conduzir sozinha.

            Só isso.

            MAs…preferem os corruptos sem ideologia…que por acaso….podem ser comprados.

        • A esquerda Italiana, procurou no momento em que o fascismo …

          A esquerda Italiana, procurou no momento em que o fascismo italiano estava debilitado próximo ao fim da segunda guerra compor com a base fascista italiana, mas isto é outra história.

  39. André, gostaria de fazer

    André, gostaria de fazer algumas considerações:

    1. Parabéns pelo texto, finalmente alguém está enxergando o que está em jogo: não se trata de uma cruzada contra o PT apenas. É uma cruzada para enfraquecer/destruir o Estado-Nação. Este é o objetivo final. Os chineses e russos, ao proibirem as ONGs de atuarem em seus territórios logo se deram conta do que está em jogo;

    2. Finalmente alguém também enxergou o que está acontecendo: a Globo como partícipe ativa utilizou se poder para capturar o Poder Judiciário, ambos, juntos, capturaram o Poder Legislativo e os três unidos capturaram o Poder Executivo. Ou seja, o poder, com ajuda da Rede Globo, foi totalmente sequestrado;

    3. Por extensão a classe política está toda acuada. Não existem mocinhos nesta história, só bandidos. Mas como a cruzada simplória-moralista está introjetada na opinião pública, logo se vê o que a Globo precisa mostrar para colocar todos de joelhos;

    4. Discordo de você que seja um tiro no pé da Globo. Quero saber de onde vem o dinheiro para fazer isso tudo. Dúvido que os analistas citados por você não sejam financiados por dinheiro exterior. Dúvido que a Globo não tenha um conluio com bancos e empresas estrangeiras, dos quais precisa para obter equipamento. Neste caso a Globo não precisa de anunciantes internos, nem do Estado-Nação brasileiro. Ela está a mando de um poder superior, alienígena aos interesses do país;

    5. Não tenho dúvidas que Sérgio Moro e sua gang sejam agentes da NSA-CIA. Podem não estar cientes disso, mas são agentes externos sim;

    6. Não sei se teu ponto de vista de que é necessário recompor o Poder Executivo se sustenta. Acho que não. O objetivo final de toda essa cruzada é destroçar o governo para abrir caminho para o poder corporativo. Os tratados TPP, TiPP e TISA são indicações claras de para onde o poder real está se encaminhado: Estados capturados e sob controle político, econômico, ideológico das corporações. Se sustenta? Não sei. Vai depender da capacidade de penetração das corporações nos “corações e mentes” dos consumidores;

    7. Derivado da constatação 6. Um Estado-Nação pode se tornar um amalgama desconjuntado, sem objetivos, mas ainda assim vai precisar de um atvidade econômica mínima para sobreviver. Meu palpite é que o Brasil, em tendo suas principais empresas abatidas, não apenas será um concorrente a menos no mercado mundial, mas também vai se obrigar a ter nos commodities a única fonte geradora de renda. Mais ainda, mesmo estando no caos, uma sociedade precisa de uma fonte geradora de renda externa. Olhe o que acontece na Líbia: acéfala, caótica, mas mesmo assim a produção de petróleo continua, porque é sua fonte de renda. Acho que nos aguarda o mesmo destino;

    9. Estamos enfrentando mais do  que uma crise institucional ou golpe. Estamos em meio a uma nova modalidade de guerra, a dita “Guerra Híbrida”;

    10. Se tem alguma coisa de bom nisso tudo é que ao certo ninguém sabe como vai terminar. Como diria Maquiavel: “guerra: se sabe como começa. Não se sabe como termina”.

  40. O que pode melhorar o Brasil
    O que pode melhorar o Brasil é aperfeiçoar os mecanismos de
    controle sobre as Instituições brasileiras para se evitar esse”Quem
    pode mais chora menos”o Judiciário está sem freio, e este quer
    por freio nas outras Instituições (algumas vezes com razão) então
    tá bagunçado mesmo,falta alguém com liderança para aplicar isso
    e sinceramente SÓ VEJO ISSO EM LULA(apesar do jogo duplo q
    sempre praticou no Brasil) pronto falei! (Se cuida Globo!!)
    Obs:: Já ia me esquecendo,Ciro é essa liderança também e pior
    que o Lula,pois acredito que Ciro não fará jogo duplo!!

  41. Brilhante AA

    Em mais este post. 

    JK usou o ministério da Justiça. E o governo dilma nem  ministro teve nessa area. Uma pena a fraqueza do governo deposto. Terminamos nessa esbórnia institucional.

    • Nem tudo que brilha ou reluz é ouro

      Sem dúvida fica cada vez mais claro que o objtetivo é este mesmo.  O Brasil sempre teve uma quinta coluna entranhada na política e no estado. Sempre serviram a interesses. E foi exatamente contra a ascensão geopolítica, contra a influência economica das empresas brasilieiras, contra tecnologia brasileira, tanto na área do petroĺeo quanto na energia nuclear, que centraram e continuam centrando o foco. A arma agora é o judiciáirio, mas que não existe sem a pior imprensa que jamais existiu, sem a desfaçatez sem o cinismo que apenas defende interesses mais do que escusos. E muitos que aqui vinha defender o PSDB, mal se conscientizaram  que a volta ao poder foi apenas para fazer o que não fizeram em seus governos. A mesma sina privatista, que mais do que privatista é entreguista. O que querem é subjugar o pais a politica  nacional ao mesmo grupo que criou a crise a internacional. A crise é fruto não da incompetência, mas sim da propria essencia do que tentam transformar em divindade. A crise é fruto do mercado. È o mesmo grupo que num momento de guerras e conflitos e diminuição da produção internacional do petróleo, diminui os preços brutalmente, para liquidar qualquer possibilidade de autonomia. Para liquidar uma Venezuela ou liquidar o pré-sal. Foi capacidade tecnologica brasileira que fez do pré-sal e petrobras, mesmo nestas condições, um bastião contra  esta politica criminosa de preços. Liquidaram o shale oil até mesmo várias pequenas petrolíferas nos Estados Unidos.  pois são nacionalistas apenas quande se fala de exercitos e governo, mas não tem bandeira, tem apenas dinheiro.  Araujo, o objetivo é um só, destruir toda a chance de autonomia e independencia. Mas infelizemente esta elite ou classe empresarial  que temos aqui, vê uma crise apenas como um oportuinidade de se associar ou se vender a quem lhe der o maio preço.  Desde as colonias nossa classe tem saudades da Europa, e fala do Brasil, como se dele não fizesse parte. E embora tenha sido no governo do PT, quando tiveram as maiores oportundades de se autonomizarem, a parcela mais entreguista não titubeou até mesmo em entregar seus pares.  Todos sabemos do entramento nas relações políticas  desta imbricação entre interesses empresariais e  políticos. Todos sabemso de quanto isto existe desde de o Impéiro. Mas todos com o cinismo, apontaram o dedo para O PT. Moro janot e a justiça não tem vontade própria, pois se assim tivessem ou se a JUSTIÇA, fosse de fato um valor maior,  de há muito o páis, não seria mais assim. Com certeza se aplicassemos o tal DOMINIO do Fato para todos os nosso juizes e procuradores e policiais, todos seriam condenados.  Enquanto isto vamos destruindo o que foi feito, e não contente com o passado, vão destruir o nosso futuro. Com certeza o próximo foco será a universidade. que  junto com as estatais  são os unicos lugares onde se desenvolve conhecimento novo. onde se constroi o futuro.  Sob a eterna desculpa de que este país esta quebrado e nao tem dinheiro para  as tais políticas sociais, o tal mercado e o tal empresariado, que durante os ultimos anos teve grandes subsídios, querem mais, querem sempre mais .  E nossa elite que é extremamente mal intencionada e tem em seus quadros apenas fantoches, não se tem intelectuais nem pensadores, seus luminares são os Mervais.  Revendo o textos de Araujo, noto seu horror ao PT, e sua condescendência profunda com tantos como FHC e outros que agerm e agiram sempre contra o tal estado Nacional. Fico feliz que agora levante esta bandeira.

  42. Acho que o Ministério Público

    Acho que o Ministério Público está fazendo um bom trabalho em limpar o Brasil das más empresas abrindo o caminho para novas empresas tomarem o lugar.

    Vejam essas empreiteiras que estão aí.

    Já saiu que elas ajudaram, pagando o caixa 2, a Dilma, o Temer, o Aécio e até o Serra, mas nenhuma ajudou nas campanhas do Lula.

    Tem mais é que se ferrarem, desaparecerem da face da Terra.

    Esse boicote das empreiteiras ao Lula é absolutamente inaceitável.

  43. Ainda estamos longe de uma

    Ainda estamos longe de uma análise perfeita sobre o que foi e o que é lava jato. Quem será o jornalista que descortinará essa operação? Já que hoje está mais que evidente, que ela não foi fruto do acaso. A união  entre jusstiça, mpf e pf desafiando todas as outras estâncias judiciárias, inclusive o stf. O apoio maciço da grande imprensa, apoiando medidas ilegais, inconstituicionais, expondo ao mundo o seu não jornalismo. Sabemos que a globo não entra em bola furada, o que teria levado a globo a se expor tanto, praticamete renunciando ao jornalismo e deixando de lado  qualquer grau de parcialidade. A Santa aliança é apenas a ponto da lança, mas quem é a lança. A operação é parcial sim, avançou contra o pt, mas não avançou com mesma cede sobre os outros partidos. Os casos de Delcídio e Jucá foram exemplares da parcialidade da justiça. Por que a lava jato não avançou sobre as empresas estrangeiras, por exemplo SBM e Sansung,? Há uma evidente  carga ideológica na operação, basta ouvir as declarações de procurados e juizes nela envolvidos. Sem chegar ao poder central dessa operação, toda análise será comprometida. Thomas Cromwell avançou sobre a dissolução dos Monastérios, abadias, conventos e sobre  todo o mundo católico, mas tinha apoio do Rei.

  44. Pelo que eu entendi, o AA se

    Pelo que eu entendi, o AA se queixa de que o MPF está perseguindo as empresas ao inves de perseguir os políticos.

    Em parte ele está certo, isso porque a caça aos políticos está ainda na sua primeira fase.

    Lembrar que o Juiz Sérgio Moro, que tinha o processo do Banestado nas suas mãos, teve esse processo tirado de sua alçada justamente por causa do foro privilegiado dos políticos e ele viu esse caso morrer na inércia do foro privilegiado em punir os culpados.

    Dessa vez ele não errou.

    Ele separou os processos da justiça comum, com as do foro privilegiado e tocou a sua parte, aliás, muito bem tocado.

    Lembrar que dos 55 políticos o qual ele mandou, há mais de 1 ano atrás, ao Supremo Tribunal Federal, apenas o Eduardo Cunha foi pronunciado e reponde a processo.

    Então meu caro AA, melhor você reclamar com o Supremo e pedir explicações do porque apenas o EC está sendo processado. Cadê o resto?

     

  45. A questão é totalmente ideológica

    Ao contrário da cartilha marxista, a questão desse processo não é ideológica. Não existe nessa luta de poder Direita e Esquerda. Os protagonistas da Santa Aliança jogam com o arbítrio do Estado, suas maiores vítimas são empresas privadas, não fazem o jogo da Direita, mas estão também estraçalhando a esquerda representada pelo PT. (…)

    A questão é totalmente ideológica. A Rede Globo, instituição que com certeza é o maior câncer do país, se une a quaisquer amigos que a beneficiem momentaneamente para fazer valer sua ideologia neoliberal, rentista, de vínculos profundos com o rentismo. A Globo não se importa com empresas produtivas, muito menos com o setor agrário. A questão dela é o sacrossanto mercado financeiro. A galinha dos ovos de ouro esta aí, seu foco é este. Se lhe fosse dada a opção de sacrificar toda a economia produtiva em benefício dos bancos, não tenham dúvida do que ela faria. As causas de terem uma ideologia tão nociva aos seus próprios interesses é assunto para outro texto.

    Mas não pense que eles não sabem o que fazem. De bobos eles não têm nada. A Rede Globo e, especialmente, os interesses que ela representa (a voz da mídia é a voz de seus financiadores) sabe que a única instituição que teria capacidade de promover um maior ajustamento social no país, aumentar investimentos, tributar os mais ricos, realizar a reforma agrária, abaixar a taxa de juros para patamares internacionais, etc., é o Estado. Mas como sua pauta conservadora não tem absolutamente nenhuma convergência com a aqui citada, o que ela pode fazer para impedir tais feitos? Ela precisa manter toda a classe política nas cordas. E o consegue. Usando e abusando de acusações quando quer, silenciando quando quer, empoderando quem quer (nos últimos tempos, MP e judiciário, mas poderiam ser os militares, como fizeram em tempos idos), gerando clima de distensão ou tensão.

    A Globo, no fim das contas, leva o país de acordo com seus interesses e sua ideologia neoliberal.

    Apenas para fazer um paralelo sobre como não são os princípios que regem suas escolhas políticas como o texto aponta: a Copa do mundo de 2014 foi, em toda minha vida, a que vi o menor envolvimento das pessoas, com bandeiras nas ruas, pintura em muros, chão, etc. As pessoas tinham ódio da Copa. Por incrível que pareça, justamente a Copa que ocorreu no Brasil – e que por isto tinha toda a tendência de ser a maior celebração da alma nacional, que tanto vínculo possui com o futebol – foi pessimamente recebida. Por qual razão? Porque a Globo trabalhou contra o evento por anos. Faltando poucos dias, quis desligar a oposição que ela mesma criou. É claro que não conseguiria mais, a Copa foi em termos econômicos uma sombra em relação ao que poderia ser, as pessoas ao invés de irem ao estádio celebrar, iam para xingar, o ódio transbordando pelos poros. Horrível.

    A Globo se beneficiou com isto? Seus patrocinadores se beneficiaram com isto? É lógico que no curto prazo, não. Mas ela vê mais longe e esta disposta a sacrificar ganhos momentâneos para que no futuro sua ideologia seja implementada de maneira mais direta.

    Ajudar a Copa do mundo, agregar no evento, fazer propaganda positiva, em última instância, poderia beneficiar o grande responsável pelo evento que eram o Lula e o PT. Como não são as lideranças que ela possui maior apreço/convergência, nós sabemos o que ela faz para prejudicá-los.

    Agora, nas olimpíadas, de maneira mais orquestrada (estas coisas são concatenadas como não se imagina), fizeram o contrário, não atacaram o evento. Já não era mais o PT.

    Este é o foco que se deve ter, a orientação Global é sempre ideológica, o que norteia é (aquilo que ela julga ser) seu interesse, nunca princípios de quaisquer ordens.

    Outro exemplo, as pessoas talvez não se lembrem, mas havia críticas ferrenhas dos colunistas da Globo – como Mirian Leitão – sobre as investigações da CPI do Banestado. Eles fizeram de tudo para prejudicar a investigação. Como dizer que ela apoia a Lava-jato por uma questão de princípios? Ou, outro exemplo, a forma como esta mesma rede se portou no escândalo que fizeram com o delegado Protógenes – hoje um exilado político na Suíça, para nossa extrema vergonha (condenam o delegado que prendeu Hildebrando Pascoal, Law Kin Chong, Paulo Maluf, Daniel Dantas, etc.) à expulsão da PF e à prisão por vazamento de informações (para a própria Globo). Só que a Lava-jato vaza mais do que peneira (quando não é o seu próprio juiz quem o faz, despudoradamente) e não acontece nada.

    Mas voltando, não é em relação a questão corrupção em si que ela se apega, tanto que a Globo fez o possível para sabotar a CPI do Banestado, tanto que deu apoio velado ao sepultamento das operações Castelo de Areia, Satiagraha, Boi Barrica, tanto que jamais expôs Eduardo Cunha e sua ficha corrida como deveria enquanto ele era candidato a presidência da câmara, pois sabia que ele era a chave para o golpe, etc.

    Ou seja: não é uma questão de princípio, a Globo não possui princípios. A Globo possui interesses. E esta disposta a sacrificar qualquer princípio que supostamente deveria ter para poder atingi-los.

    No presente assunto, a questão é: qual específico caso de corrupção pode beneficiá-la? Pode mais ou menos prejudicar seus adversários políticos – os que mais se aproximam de ter ideologia convergente ou divergente com a sua? Agem dessa forma – totalmente ideológica.

    Se for prejudicar um aliado, ela esconde. Talvez até veiculem a denúncia, mas quase naquela velocidade acavalada, absurda, da frase final de propagandas de remédios (“Este medicamento é contra indicado em caso de suspeita de dengue”).

    Se for prejudicar um desafeto, ela dá o destaque mais espalhafatoso possível, chama pseudoespecialistas para comentarem, passa longos e longos minutos, por dias e dias subsequentes, conspirando, envilecendo, manipulando, que é o que sabe fazer de melhor.

    A coisa é tão catastrófica, que neste exato momento, a Globo faz o que quer com o país. Nenhuma emissora no mundo possui tal poder. A Fox pode lutar contra o Obama com unhas e dentes, ela não chega nem perto de ter o poder similar ao da Globo (justamente por conta das restrições legais de concentração de poder). A Globo esta no seu elemento. Não há absolutamente nenhum freio, nenhum contrapeso a atuação da emissora nos dias atuais. Ou você acha que um político fajuto, com uma história imunda como Michel Temer vai se opor a ela? Como? Ele cai em menos de um mês se se antagonizar a Globo.

    Estes mesmos membros do judiciário usados pela emissora para seus fins escusos, ela larga na estrada quando bem entender. Vai encontrar um juiz “garantista” (que piada), mostrar todos os equívocos das operações, chamar os tais especialistas para comentar e moldar a opinião pública a seu bel-prazer. E destrói a moral deles do dia para a noite. Basta que eles a desagradem minimamente.

    A Globo esta a cavaleiro, esta do jeito que quer. Tem a classe política na mão, manobra do jeito que bem deseja para atender a sua ideologia primária, tosca, antiBrasil.

    A coisa é tão patética que pessoas que se dizem patriotas, que foram às ruas de verde e amarelo não se dão conta do maior crime de lesa-pátria que é praticado agora contra o Brasil: a entrega do pré-sal à petrolíferas estrangeiras.

    Mas como a Globo concorda com o fim da exploração do pré-sal pela Petrobrás (aliás, a Globo odeia a Petrobrás desde antes do seu nascimento). O que acham que ocorrerá?

    E assim vai…

    É uma lástima.

    P.S.: A família Marinho e as organizações globo são inimigas do Brasil e dos brasileiros, e assim devem ser tratadas.

  46. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome