Poema (útil) da mulher enluarada, por Romério Rômulo

Os lobos que a comem são direitos e mordem sempre à beira da estrada.

Salvador Dali

Poema (útil) da mulher enluarada

por Romério Rômulo

Perfeita. Imperfeita por um nada.
Deixo à visão de todos os Senhores
o poema da mulher enluarada.

Os lobos que a comem são direitos
e mordem sempre à beira da estrada.
Os lobos, estes sim, são imperfeitos.

A lua e o mundo a deixam destravada
com os atávicos sonos dos cavalos
que a trafegam, duros como nada.

Os sonos por aqui foram desfeitos.

Romério Rômulo

Leia também:

Poema da inesquecível mulher, por Romério Rômulo

O poema me diz que é infeliz, por Romério Rômulo

Poema da mulher da minha rua, por Romério Rômulo

“Democracia é coisa frágil. Defendê-la requer um jornalismo corajoso e contundente. Junte-se a nós: www.catarse.me/jornalggn

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador