Assassinato de palestino amputado é símbolo do horror contra flagelados, por Tiago Barbosa

Assassinato de palestino amputado é símbolo do horror contra flagelados

por Tiago Barbosa

Esse homem da foto tem duas pernas amputadas, está sobre uma cadeira de rodas e usa um instrumento rudimentar para atirar pedras. Para tropas israelenses, é um terrorista.

Fadi Abul Selmi, de 30 anos, é um dos mais de 60 palestinos massacrados por protestar na Grande Marcha do Retorno contra a instalação da embaixada norte-americana em Jerusalém. Foi abatido por um sniper – atirador especializado em matar – de um exército abastecido pelos EUA com mais de três bilhões de dólares anualmente.

O palestino havia perdido as pernas em 2008, justamente em decorrência de um bombardeio israelense na Faixa de Gaza. O corte nos membros se tornou única saída para a sobrevivência.

O premiê israelense, Benjamin Netanyahu, e a Casa Branca repetiram o mantra de sempre para encobrir a força desproporcional e culparam, novamente, a insurgência palestina pela carnificina. Enquanto isso, a mudança da sede da embaixada satisfez o capricho eleitoral de Donald Trump, à revelia da comunidade internacional.

É até aviltante falar em violência do outro lado do mundo quando a gente descarta, todos os dias, milhares de vidas jovens, negras e pobres sob o céu de um Brasil maculado por desigualdade e criminalidade.

Mas a morte desse palestino é simbólica por representar em tudo o desprezo absoluto dos poderosos pela vida dos flagelados: tanques contra cadeira de rodas, bombas contra pedras, militares contra gente. É o expediente de qualquer estado covarde para calar, à força, a voz dos oprimidos.

Leia também:  A elite americana prevê o fim do neoliberalismo, por Andre Motta Araujo

O horror não faz distinção geográfica.

P.S.: A foto foi extraída do perfil de Alex Kane non Twitter.

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

7 comentários

  1. Está cada vez mais claro que

    Está cada vez mais claro que não são os EUA que abastecem Israel e sim o contrário.

    Israel é,hoje,sede do governo americano e este,desta forma,age em conformidade com as diretrizes da matriz.

  2. O “terrorista” utilizou a
    O “terrorista” utilizou a mesmas armar que Davi usou para matar Golias. Uma atiradeira giratória com pedra.

    Essa briga dos descendentes de Isaac e Ismael começou em Gênesis. Só vai terminar no Armagedom .

    Bem simbolicamente está cena.

  3. Não há como encarcerar tanta gente, diz o porta-voz

    Reprodução de http://www.público.es, acesso em 16/5/2018:

    “¿Por qué las fuerzas israelíes disparan a matar a los manifestantes en Gaza?” “Bueno, no podemos meter a tanta gente en la cárcel”. Esa es la respuesta que Michal Maayan, portavoz del Gobierno de Israel, daba a un periodista irlandés de la cadena RTÉ. 

  4. Não é à revelia da comunidade

    Não é à revelia da comunidade internacional.

    França da legião estrangeira e da indústria de armas pesadas se atirou numa nova colonização africana, diversas intromissões, derrubadas de regime, além de apoio incondicional aos EUA.

    Alemanha, motor industrial da Europa, nada pode fazer para controlar os milhares de militares americanos que aconselham a Alemanha para tudo. Apesar da força econômica a Alemanha nada mais é que força de trabalhao altamente tecnificada que aceita ganhar menos pelo desejo de dominação. Domina, mas quem leva são os banqueiros. Veja o exemplo da Grécia.

    UK desempenha papel fundamental nisso tudo. É o cérebro americano, centro de inteligência, de influência do Oriente ao Ocidente. Uk foi idealizador do Estado de Israel, assim como seu maior patrocinador político.

    E dando guarida a tudo isso, o cidadão de bem ocidental. Que se finge de inocente, de desentendido, mas sabe que seu luxo depende da miséria alheia.

    O povo Palestino merece todo nosso respeito.

    O povo israelense apenas devolve aos palestinos o genocídio que sofreu no passado. Conheci uns judeus, NADA mais fanático no mundo que esse povo predatório e cínico.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome