Tóquio deve entrar em estado de emergência, anuncia primeiro-ministro do Japão

O primeiro-ministro do Japão, Yoshihide Suga, anunciou nesta segunda-feira (04) que o país "contempla" decretar novamente o estado de emergência em Tóquio

O primeiro-ministro japonês Yoshihide Suga - Foto: Nicolas Datiche/Pool via REUTERS

Jornal GGN – O primeiro-ministro do Japão, Yoshihide Suga, anunciou nesta segunda-feira (04) que o país “contempla” decretar novamente o estado de emergência em Tóquio, após o aumento do número de contágios por Covid-19.

Em seu comunicado, o chefe do governo japonês apoiou a campanha de vacinação, que tem expectativa de começar em fevereiro no país, e apelou à população que mantenhas as regras de distanciamento e sanitárias e que evite as saídas não indispensáveis.

Ainda, o Japão se prepara para modificar a lei para punir estabelecimentos que não respeitem restrições de horários de funcionamentos e fechamentos temporários.

O Japão teve poucos casos de contágios desde que a pandemia teve início – 240 mil infectados e menos de 3.600 mortos, segundo as estatísticas oficiais, mas vem sofrendo um aumento nos números desde novembro. No último dia do ano, a marca de 4 mil novos casos em 24 horas foi superada pela primeira vez no país.

Também houve recorde no número de pacientes hospitalizados em situação grave, com necessidade de respiração artificial: mais 108 nas últimas 24 horas em Tóquio. O pedido para que o país decrete estado de emergência foi feito pelos governadores de Tóquio de 3 departamentos próximos.

“O governo contempla decretar estado de emergência com medidas que permitirão reduzir os contágios em bares e restaurantes”, anunciou o primeiro-ministro, nesta segunda.

O país sediará os Jogos Olímpicos que ocorreriam no ano passado e foram adiados para o final deste ano, devido à pandemia. Yoshihide Suga reiterou o compromisso de Tóquio realizar os jogos como “prova de que a humanidade venceu o vírus”.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora