Após escândalo, Bachelet pede para imprensa deixar sua filha em paz

Michelle Bachelet
 
Jornal GGN – Michelle Bachelet, presidente do Chile, pediu para que jornalistas deixassem sua filha em paz após a divulgação de um escândalo imobiliário em sua família estaria envolvida. No último domingo, o jornal “La Tercera” afirmou que Sofía Henríque Bachelet, de 21 anos, adquiriu um terreno de 5 mil metros quadrados na cidade de La Higuera.
 
O lote fica no norte do país e próximo a uma área que deve acolher um projeto de mineração chamado de “Dominga” e que foi embargado há duas semanas pela comissão de avaliação ambiental. 
 
Natalia Compagnon, nora da presidente, teria diversos terrenos na proximidade do lote de Sofia. Em sua defesa, Bachelet afirmou que “há algo acontecendo no Chile que transforma coisas normais em delitos”.

 
“Em 2013 conheci uma enfermeira que tem um centro de meditação e me contou desse lugar em La Higuera, onde a família do meu filho (Sebastián Dávalos) também estava interessada em comprar algo para lazer. Ela disse que havia um senhor que vendia uns lotes”, disse a presidente, que nega relação com o projeto de minério.
 
“Eu gosto da região, é um lugar tranquilo. Minhas filhas sequer sabiam; foi uma decisão minha, que comprei para deixar algo para o futuro delas.”, afirmou Bachelet. 
 
“Eu nem sequer sabia que existia algum projeto de mineração acontecendo. Além disso, eu imaginava, como via nas fotos dos jornais, que os projetos de minério se desenvolviam na cordilheira, não na zona em que eu comprei o terreno, na praia”, completou.
 
A presidente chilena também disse que sua filha está muito abalada por “algo que não é sequer de sua responsabilidade”. “Fui eu que tomei essa decisão. Eu que comprei o terreno e coloquei o nome de minhas filhas”.
 
Natalia Compagnon e o filho de Bachelet são investigados por tráfico de influência e uso de informações privilegiadas na aquisição de terrenos em Macahlí, cidade no sul do Chile, que tiveram valorização após projetos de reutilização do solo. 
 
Assine
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora