Empresário Ricardo Semler alerta elites contra Bolsonaro

‘Não vamos deixar o pavor instruir nossas escolhas… Não se vota com bílis’, adverte ex-vice presidente da Fiesp  
 
Foto: Reprodução
 
Jornal GGN – O pavor da volta do PT no governo federal é o principal fator que leva parte consistente das elites a apoiar a candidatura do deputado federal, de extrema direita, Jair Bolsonaro (PSL). Em outras palavras, a decisão é absolutamente irracional, como analisa o empresário, fundador das escolas Luminar e sócio da Semco Style Institute, Ricardo Semler, em artigo de opinião publicado nesta terça-feira (02), na Folha de S.Paulo.
 
“Colegas de elite, acordem. Não se vota com bílis. O PT errou sem parar nos 12 anos, mas talvez queira e possa mostrar, num segundo ciclo, que ainda é melhor do que o Centrão megacorrupto ou uma ditadura autoritária. Foi assim que a Europa inteira se tornou civilizada. Precisamos de tempo, como nação, para espantar a ignorância e aprendermos a ser estáveis. Não vamos deixar o pavor instruir nossas escolhas”, pontuou.
 
Semler lembra que, quando foi vice de Mario Amato na Fiesp, por volta dos seus 27 anos, convidaram diferentes figuras políticas para conversas informais, independentes da posição político-ideológica. “Chamei o FHC, que estava na mídia com a pecha de maconheiro. Chamamos os 112 presidentes de sindicato, vieram 8. Ninguém topava falar com “comunista””.
 
Para validar que suas análises políticas não costumam dar errado, o empresário lembra que, antes da eleição de Collor, foi entrevistado no Roda Viva e alertou o  país contra o caçador de marajás, o então “queridinho passional das elites”.
 
Do mesmo modo, Semler buscou prevenir as elites contra a ida à Paulista para derrubar Dilma, quando já dizia que seria o mesmo que “eleger Temer e seus 40 amigos”: 
 
“Ninguém da elite quis ir às ruas para pedir antecipação de eleições. Erraram feito, como no passado, ou como quando deram as chaves da cidade ao Doria. Quanta ingenuidade”, reflete.
 
O ex-professor visitante da Harvard Law School e de liderança no MIT (EUA) afirma agora que estremece ao ouvir pessoas próximas, como metade da família, sócios e amigos “aceitando a tese de que qualquer coisa é melhor do que o PT”, arrematando a falta de visão histórica que vem acompanhado as classes dominantes em toda no país.
 
“As elites avisaram que 800 mil empresários iriam para o aeroporto assim que Lula ganhasse. Em seguida, alguns dos principais empresários viraram conselheiros próximos do homem”. Do mesmo modo, avalia, Haddad vencendo, “boa parte da Faria Lima e da Globo se recordará subitamente que foi amiga de infância do Fernandinho”.
 
Semler acredita que a ignorante reação de medo e horror da esquerda é repetida pelo candidato Ciro Gomes. Ele mesmo, apesar de  não compartilhar dos pressupostos ideológicos do PT, sendo filiado até pouco tempo ao PSDB, reforça a necessidade de uma reflexão clara para desmanchar a nuvem de gás que torna o Partido dos Trabalhadores algo que, na realidade, não representa.
 
“Vivemos, nós da elite, atrás de muros, cercados de arames farpados e vidros blindados, contratando os bonzinhos das comunidades para nos proteger contra favelados. Oras, trocar vigias com pistolas por seguranças com fuzis é um avanço? Ou é melhor aceitar que o país é profundamente injusto e um lugar vergonhoso para mostrarmos para amigos estrangeiros?”, questiona reconhecendo que as elites brasileiras “sempre foram atrasadas, desde antes da ditadura”, nada fazendo para evitar o sistema de castas estrutural na sociedade brasileira.
 
“Nenhum de nós sabe o que é comprar na C&A e ser seguido por um segurança para ver se estamos para roubar, por sermos de outra cor de pele. Todos nós nos anestesiamos contra os barracos que passamos a caminho de GRU [Aeroporto Internacional de Guarulhos], com destino à Champs Élysées”, concluindo que o Brasil precisa de “um governo para quem tem pouco”, que é a quase totalidade dos cidadãos.
 
“Nós da elite, aliás, sabemos nos defender. Depois do susto, o dólar cai, a Bolsa sobe, e voltamos a crescer. Estou começando três negócios novos neste mês”. Para ler o artigo na íntegra, na Folha, clique aqui. 
Leia também:  Joice parte para o ataque e fala sobre rede da família Bolsonaro

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

14 comentários

    • Esse empresário deveria ficar
      Esse empresário deveria ficar calado.
      É o típico do empresário que não está nem aí para o Brasil e para a classe pobre.

  1. Texto sem pé nem
    Texto sem pé nem cabeça…..

    O PT errou os doze anos sem parar? Querem dar miçangas para levar o ouro?

    Se segura fio….. nós vamos invadir a sua praia…………

      • Sei quem é, já li

        Sei quem é, já li sobre……

         

        E o texto é de um morde assopra gigantesco……..cara de elite envergonhada.

    • “Se segura fio….. nós vamos
      “Se segura fio….. nós vamos invadir a sua praia…..”
      -Com armas?
      Que coisa, heim?! Em uma eleição que deverá ser decidida por centímetros ver aqui comentários que “só tem o sinal trocado” me faz lembrar o Brigadeiro Eduardo Gomes. Mas isso é somente História do Brasil.

    • Arrogância

      NALDO: essa sua postura arrogante alimenta a aversão ao PT.

      Pelo seu comentário, você é incapaz de elaborar distinções complexas. Para pessoas com raciocínio maniqueísta, Semler é um empresário; portanto é um filhodaputa.

       

  2. qto ele ganhou

    Gostaria de saber quanto ele e a elite representada por ele faturou nos 12 anos que o PT errou sem parar

  3. bom post.

    A diferença entre o Ricardo ( que conheço, como autor, desde os anos 80) e os demais da elite é que ele pensa.

    Só quer um pais minimamente civilizado. E não faz isso porque gosta de pobre, mas como pessoa intelegente que é sabe que só assim podemos ter um pouco de paz social.

    O resto da elite, boa parte da classe media e s pobres de direita ruminam!!!!

    Completamente estúpidos…

    E assim estamos nessa bagunça institucional, politica, economica que provavelmente ninguém vai ganhar nada!

  4. Em 64 a elite apoiou o golpe
    Em 64 a elite apoiou o golpe achando que logo em seguida teria o poder. Esperou longos anos, viu a cultura e a civilização serem destruídas. Pessoas assassinadas, incluindo adolescentes, mulheres e idosos. Musicas, novelas, filmes, tudo cortado. Policiais e cabos batendo em nossos filhos e netos. Se este louco se eleger vai acontecer o mesmo. A elite não aprende!!

  5. Bolsonarus fora, resta outra questão.

    Esqueça a parte referente a Jair… É simplesmente absurdo colocar voto naquilo.

    Tirando esta inutilidade da questão, resta que é muito duro pra quem desde muito cedo apostou as fichas no PT, vê-lo fazer a velha política carcomida que combatíamos. Já foi duro ver o casamento enviesado com PMDB, mas demos voto de confiança no início dos 2000. Foi muito duro vermos Eduardo Cunha virar vedete entre petistas do Congresso. Foi muito duro ver Dilma, como um de seus primeiros (se não o primeiro) ato, colocar Loaquim Levi no Ministério da Fazenda. 

    Pra evitar o impensável, eu votaria em Haddad. Agora, insistir em Haddad quando o PT pode é nos dar de bandeja o Macobeba? Prefiro engolir a rainha da motosserra a engolir Calheiros, Lobão et caterva.

    Lamento, Breve momento de nostalgia pra dar coragem aos dedinhos de completarem o voto com um “2”; um dígito mais à esquerda.

  6. Empresário Ricardo Semler
    O empresário Ricardo Semler está falando assim porque como ele mesmo disse esta com 3 frentes de negócios.
    Para ele não faz a menor diferença se o Brasil está bem ou não. Porque o patrimônio dele cresce ano após ano,com crise ou sem crise.
    E mais uma coisa as vezes o país em crise é muita mais rentável para a classe elitizada.
    E eles temem que está mamata acabe.
    Ricardo Semler você é o típico do empresário que não está nem aí para
    Brasil e a classe pobre.
    O BRASIL tem que mudar radicalmente de políticos sim e domingo é #17ELESIM BOLSONARO NOVAS IDEIAS

  7. Como vai nossa república ?

    Ricardo Semler, já li seu livro “Virando a própria mesa”.

    Lá você escreve em um parágrafo e eu entendi que quer dizer que as mulheres obtiveram o direito de votar a pouco tempo e devem ser aguerridas nas suas lutas.

    O nome do livro também me inspirou a “virar a mesa” em muitas situações da minha vida profissional e pessoal.

    Seus objetivos de vida me inspiraram: escrever um livro, ter um filho, viajar, …

    Quanto ao que escreveu, segundo o GGN, eu o parabenizo por tentar mostrar as elites sem visão nesse país que existem caminhos que são os que essa mesma elite descarta.

    Quanto a sua opinião sobre o candidato do PSL a presidência da república, eu gostaria de dizer que a carreira de parlamentar dele, lhe permitiu obter experiência e, sob o ponto de vista de um candidato de direita, (realmente não é liberal como político e como pessoa humana, ele desenvolveu sua vida desde a liberdade até encontrar seu porto seguro, como acredito que eu possa dizer sobre ele), ele é uma opção fundamentada, pois conseguiu eleger parlamentares que o apoiarão. Mesmo que isso tenha sido, em parte, impulsionado pelos acontecimentos de 2016.

    Nesse caso, acredito que a vontade do povo é que deve prevalecer.

    Abstenho-me de declarar meu voto (geralmente faço isso publicamente; quem me conhece sabe bem disso), pois eu acredito que finalmente temos uma eleição com candidatos com bons fundamentos, excluindo o eterno candidato (que ele descanse, que tenha uma boa sobrevida, pois está viúvo, com 72 anos e já contribuiu muito para esse país), como já foi antes dos governos militares da década de 60, 70 e 80, como meus pais me contaram, em algumas as reuniões à noite, em casa.

    Lamento a polarização dessa eleição que não permitiu discutir as propostas, o que espero que aconteça para esse 2o turno das eleições.

    Desejo que cada brasileiro vote de acordo com sua consciência. Eu votarei de acordo com o que desejo para meu país, onde nasci e onde escolhi viver.

    Sucesso nas nos seus empreendimentos.

    Permita-me uma pergunta: como vai nossa república ?

     

  8. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome