Supremo tornou a eleição mais tumultuada, diz ex-ministro do STJ

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça Gilson Dipp disse, em entrevista divulgada pelo El País nesta quarta (3), que a batalha no Supremo Tribunal Federal para impedir que Lula apareça na imprensa antes da eleição presidencial ser concluída, só tornou o pleito ainda mais tumultuado. “O Judiciário só está contribuindo para gerar mais dúvidas e tornar as eleições mais tumultuadas”, avaliou o ex-ministro.
 
A pedido da Folha de S. Paulo e do jornalista Florestan Fernandes Jr., o ministro Ricardo Lewandowski concedeu autorização para que Lula pudesse dar entrevista em Curitiba. Mas o ministro Luiz Fux atropelou a decisão, argumentando que a exposição de Lula iria influenciar o eleitor e provocar danos à democracia.
 
“Não se sabe se o relator [Lewandowski] inicialmente poderia decidir daquela maneira; certamente o ministro Fux não poderia decidir daquela maneira e o presidente [Toffoli] que queria apaziguar cria uma situação em que ele pode até apagar o fogo agora, mas esse fogo que vai crescer logo depois”, concluiu. Dipp é a favor de ponderar o pedido de entrevistar Lula, tendo o pleito em vista.
 
Ainda segundo Dipp, o argumento utilizado por Fux só reforça a parcialidade do Judiciário. “Pode gerar confusão [na decisão do eleitor]? O que não pode é derrubar uma decisão judicial no facão pelo simples fato que pode gerar confusão”, disparou. “Liberaram a delação do Palocci seis dias antes do pleito quando o candidato do Lula está num posição absolutamente confortável nas eleições. Isso é a politização clara e evidente do Judiciário”, lembrou.
 
Ainda de acordo com o ex-ministro, a decisão do Supremo prejudica ainda o direito de outros veículos de comunicação e outros presos. 

3 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Edson J

- 2018-10-03 21:43:37

Vergonha

 A interferência do judiciário nas eleições não tem cabimento na democracia. Só em ditaduras, ou melhor, "movimentos" como diz o atual presidente do stf. O judiciário interferiu até agora nas eleições cassando o direito de votar de mais de três milhões de pobres, atropelando a Constituição para impedir que o povo ouça a voz e veja a imagem de Lula e publicando delação sem provas, logo, mentiras, tudo para prejudicar um lado, beneficiando outro. Por culpa do stf e sobretudo de seu presidente acabou a segurança jurídica. O estado é de exceção. Em tempo: minúsculas propositais.

Bruno Cabral

- 2018-10-03 19:36:34

Por que Dipp, DeSanctis, Calmon não foram indicados ao STF?

Nunca vou entender o que passou pela cabeça de Lula e Dilma de fazerem escolhas tão ruins para o tribunal.

Arnaldo Costa

- 2018-10-03 19:09:11

Fux é um canalha! O juíz fascista!

Fux é o maior canalha de todos: A fala dele irá provocar danos à democracia? Não seria o contrário? Ele não falando é que há danos para a liberdade de expressão e a democracia. Esse canalha picareta só pensa no que pode beneficiar o seu candidato? Foi assim que fez também ao apoiar a quadrilha de Temer? Olha o tamanho do dano que causou... Não seria mais acertado esse safado estar preocupado com o dano  da ilegalidade do vazamento do depopimento de Palocci? Está tudo domiando pelo fascismo e a máfia demotucana!

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador