MP do TCU pede que Receita investigue contratação de Moro

De acordo com MP, Moro prestou serviço para Alvarez & Marsal como uma empresa para pagar menos tributos. Prejuízos aos cofres públicos chegam a R$ 2,2 milhões

Sergio Moro fala na tribuna com uma bandeira do Brasil ao lado
Sergio Moro. Foto: Divulgação/Ministério da Justiça

O Ministério Público (MP)  e o Tribunal de Contas da União (TCU) solicitaram ontem (20) que a Receita Federal apure se o ex-juiz Sergio Moro cometeu irregularidades ao ser contratado pela consultoria norte-americana Alvarez & Marsal, uma vez que o acordo foi feito a partir da pessoa jurídica de Moro, ou seja, sua própria empresa.

De acordo com o subprocurador-geral Lucas Rocha Furtado, Moro resolveu prestar serviço como uma empresa para pagar menos tributos ao Brasil, com isso gerou prejuízos de ao menos R$ 2,2 milhões aos cofres públicos pela falta de pagamentos dos impostos. 

“Democracia é coisa frágil. Defendê-la requer um jornalismo corajoso e contundente. Junte-se a nós: www.catarse.me/jornalggn

O documento foi enviado ao secretário especial da Receita Federal Julio Cesar Vieira, que deve encaminhar as conclusões da apuração ao TCU.

O trabalho de Moro para a consultoria nos Estados Unidos, que aconteceu de novembro de 2020 a outubro de 2021, é alvo de investigação do TCU, uma vez que a consultoria Alvarez & Marsal é administradora judicial da Odebrecht, uma das empresas dizimadas pela Operação Lava Jato.

Leia também:

Jornal GGN produzirá documentário sobre esquemas da ultradireita mundial e ameaça eleitoral. Saiba como apoiar

Jornal GGN abre inscrições para curso sobre Desinformação, Letramento Midiático e Democracia

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador