Serra escalou Paulo Preto em negociação de propinas

Apontado como ‘operador’ do PSDB, ex-diretor da Dersa é citado 21 vezes em denúncia de lavagem de dinheiro envolvendo senador

Foto: Reprodução/Facebook

Jornal GGN – O ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto e apontado como ‘operador’ do PSDB, voltou ao foco da operação Lava Jato ao contribuir para a denúncia envolvendo o atual senador José Serra (PSDB) e sua filha, Verônica Allende Serra, por lavagem de dinheiro transnacional.

Segundo informações do jornal O Estado de São Paulo, os procuradores citaram Souza por 21 vezes na denúncia do Ministério Público Federal (MPF) publicada nesta sexta-feira contra o senador.

De acordo com a Lava Jato, Souza era o responsável pelo contato com outras empreiteiras, como Odebrecht, Mendes Junior, OAS e Queiroz Galvão, entre outras que teriam formado um cartel para dividir lotes de obras, fraudar licitações e maximizar lucros com anuência do poder público.

Embora Serra tenha tentado se desvencilhar do ex-diretor da Dersa, os investigadores dizem que Souza teria sido o interlocutor do governo tucano nas negociações com as empreiteiras em troca de propina – e Serra sabia do interesse das empreiteiras nas contratações.

 

Leia Também
José Serra diz que denúncia da Lava Jato já prescreveu
O caminho da suposta propina da Odebrecht até a offshore de Verônica Serra
A longeva aventura de José Serra na corrupção política
Do Banestado à Lava Jato: um dossiê sobre o passado de Sergio Moro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Nota de R$ 200 contraria combate à lavagem de dinheiro

6 comentários

  1. A história dos tucanos com a Dersa-rodovias-pedágios é um dramalhão que vem de longe. Muitos enriqueceram, desde os bicudos principais até secundários, como matérias que mencionavam que os pais, assassinados por Suzanne Richthofen, no Brooklin Paulista em 2002, haviam enriquecido na Dersa.
    Mas Serra tem outra história enquanto ministro da saúde de FHC no chamado escândalo das ambulâncias.

  2. Nassif: nessa historieta bufa do CarcamanoDaMoóco conte uma novidade ainda não conhecida? Alias, seu Blog muito noticiou à respeito. Lembra das “Mônicas” (eram duas, a filha do meliante e outra, de um dos suspeitos comparsas). Lembra daquele “cadastro” surripiado num dos Bancos públicos? (BB?). Agora essa da prescrição, isso já é comum no Bando. Lembra do PlayboyDasAlterosas? E do PríncipeParisiense? Isso só falando dos “cabeças”. Parece que a ordem vinda da ponta da Agulhas era de só detonar os Esquerdopatas e Kummunistas. Outros, alguns filhos de pessoas do KhmerVerde, esses não eram nem pra serem mencionados. Os GogoboysCuritibanos, por exemplo, estavam instruidos a “pularem” essa etapa. Tinham que esperar a prescrição pra deixar que a GrandeMídia alarmasse, como se estivessem descobrindo Pindorama. Os facínoras andam tão abusados que parece vão esparramar por todo Pais a verdadeira estoria das IlhasCahimâs. No fundo, quem se lascou foi o PauloMoreninho, essa espécie de Queiroz dos Tucanídeos. Mais deve ter sido bem remunerado. Não vai dar pra comprar (via terceiros) Palacete, na Av. Foch. Porém, garante, pro resto da vida, caviar (do Volga), champanha francesa com paté de foiegras, no Bistrô. Quadrilha que rouba unida tem prescrição unida…

  3. Minha teoria é que tucano só é processado quando o crime prescreve.
    Por isso, não impreciona (assim mesmo) que não se negue nem se admita o delito. Apenas afirma que prescreveu.

  4. Ué, e Geraldo Alckmin, cadê? Ele devia ter cuidado do dinheiro público durante o reino de Preto e Serra, é responsável pelo estado naquela época. Procrastinou, no mínimo, e vai continuar acima das leis?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome