Weintraub é condenado por danos morais em ação coletiva movida pela UNE

A decisão da Justiça Federal da 3ª Região é sobre falas do ex-ministro Abraham Weintraub, que acusavam universidades públicas de possuírem "extensivas plantações de maconha".

Reprodução Youtube

Jornal GGN – Por sua fala de que as universidades possuem extensas plantações de maconha, dita sem provas que a embasassem, Abraham Weintraub foi julgado pela Justiça Federal em ação coletiva movida pela UNE. E a Justiça decidiu pela condenação do ex-ministro da Educação por danos morais aos estudantes por sua fala em entrevista.

Quando ocorreu o episódio, várias entidades soltaram notas de repúdio e em defesa das universidades. E o então ministro continuou impávido e sem apresentar as provas de sua afirmativa.

Foi quando a UNE (União Nacional dos Estudantes) decidiu mover uma Ação Civil Pública contra a União, que responde por agentes federais. O Ministério Público pode entrar em ação de regresso contra o ex-ministro para recuperar o valor da indenização, que foi fixada em R$ 50 mil.

Iago Montalvão, presidente da UNE, considera que a atuação do ex-ministro, durante todo o tempo em que esteve à frene da pasta, foi de atacar as universidades, os estudantes e professores, tentando minar a autonomia das instituições. “Weintraub usou de falsas acusações para deslegitimar o trabalho das instituições de ensino públicas, e não foram fatos isolados. Todo o tempo que ficou no Ministério atuou dessa forma. Portanto, o reconhecimento judicial na causa para nós, da UNE, é uma grande vitória contra a disseminação de Fake News e o projeto de acabar com a autonomia das instituições”, disse Montalvão.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Ministro usa AGU para processar jornalistas e cientistas que discordam de sua gestão

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome