Me falta tempo pra morrer agora, por Romério Rômulo

Quanto de ti eu bebo nestes sais / De lamas e amores que não mais?

Expressionismo alemão - Dr. Caligari

Me falta tempo pra morrer agora

por Romério Rômulo

1.
Eu conto o teu corpo num segredo
De pedras e estradas colossais
Te entreguei o meu olho e o meu enredo
Me enterrei nos teus braços abissais.

Quanto de ti eu como num levedo?
Quanto de ti eu bebo nestes sais
De lamas e amores que não mais?
-Vais me deixar no frio do meu medo?
2.
São tantas as estradas que me chegam
São tais os odores que me abatem
Que não há tempo. E eu não sou daqui.

Verdade é mais. Os cães nunca me latem
Verdade é só. Os cães nunca me negam.
Tudo é uma sombra. Eu venho e fico aqui.

Romério Rômulo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Obra de professor brasileiro é considerada a mais importante do constitucionalismo moderno

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome