No caldo grosso da cisão de Lia, por Romério Rômulo

A vida é só: / por todo o sempre me termino / em pó.

Gustav Klimt

No caldo grosso da cisão de Lia

por Romério Rômulo

 

A vida abana:

meu olho trágico se esfrega

por Santana.

 

A vida é só:

por todo o sempre me termino

em pó.

 

A vida mia:

no caldo grosso da cisão

de Lia.

 

A vida finge:

ao me entregar a vida

como esfinge.

 

Romério Rômulo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Manuel Bandeira da vida terna e eterna, por Urariano Mota

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome