O alvo aqui é enfraquecer a base do Governo Dilma

Renan Calheiros renunciou à presidência do Senado em 2007, após sofrer denúncias de corrupção Foto: Ailton de Freitas / O Globo / Arquivo: 11-03-2010

Renan Calheiros renunciou à presidência do Senado em 2007, após sofrer denúncias de corrupçãoAILTON DE FREITAS / O GLOBO / ARQUIVO: 11-03-2010

Procurador-geral da República apresenta denúncia contra Renan Calheiros

  • Senador é acusado de usar notas ficais frias para justificar seu patrimônio


BRASÍLIA – O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, apresentou na última sexta-feira denúncia contra o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), que desde 2007 aparece como investigado em inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal (STF).

Oficialmente Gurgel não comenta o teor do inquérito, por estar sob segredo de justiça, mas pessoas próximas a ele dizem que a denúncia trata das notas ficais frias que ele supostamente apresentou em 2007 para justificar seu patrimônio.

Se o Supremo aceitar a denúncia, o inquérito será transformado em ação penal e Renan – que é o candidato favorito na eleição de fevereiro para a presidência do Senado – se tornará réu.

Em 2007, Renan era presidente do Senado e foi acusado de ter a pensão de sua filha paga por Cláudio Gontijo, um lobista da empreiteira Mendes Júnior. Na época, Renan negou as acusações e apresentou notas referentes à venda de bois para comprovar que tinha renda para as despesas. A Polícia Federal (PF), porém, encontrou indícios de que as notas eram falsas.

Na época, o escândalo derrubou Renan da presidência do Senado, mas ele teve o mandato de senador preservado pelo plenário da Casa.

Apesar de o inquérito ter sido aberto em agosto de 2007, a investigação estava parada. Ao longo da última semana, Gurgel alegou que a demora para tomar uma decisão se devia ao tamanho dos autos, com 43 volumes, e porque, no ano passado, ele esteve muito dedicado ao processo do mensalão.

O GLOBO entrou em contato com a assessoria de Renan Calheiros para comentar a denúncia, mas ainda não obteve retorno.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome