Carlos Bolsonaro comprou apartamento por preço 70% abaixo do valor

Imóvel que valia R$ 236 mil foi comprado por R$ 70 mil; embora prática não seja ilegal, ela desperta suspeitas por viabilizar lavagem de dinheiro

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ). Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

Jornal GGN – O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) comprou um imóvel na cidade do Rio de Janeiro por um preço 70% menor do avaliado pela Prefeitura: um apartamento no bairro de Copacabana, que tinha valor de R$ 236 mil estipulado para a cobrança de impostos, foi comprado pelo filho do presidente Jair Bolsonaro por R$ 70 mil.

Embora a prática não seja considerada ilegal, ela desperta suspeitas por, em tese, viabilizar o pagamento “por fora”, sem registros oficiais, sendo assim considerada uma forma conhecida de lavagem de dinheiro.

Segundo o jornal O Estado de São Paulo, o negócio foi feito em março de 2009, e a escritura foi obtida no mesmo cartório onde foi feito o documento do imóvel comprado por Carlos no valor de R$ 150 mil, pago em dinheiro vivo.

O vereador é alvo de investigação do Ministério Público Federal por suspeita de empregar funcionários “fantasmas” e se apropriar de parte dos rendimentos por meio de “rachadinha” – caso confirmada, a prática configura peculato.

As informações sobre Carlos foram detectadas uma vez que ele e seu irmão, o senador e ex-deputado Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) tiveram funcionários coincidentes em seus gabinetes. O filho mais velho do presidente está prestes a ser denunciado por peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa pelo Ministério Público.

 

Leia Também
Flávio Bolsonaro doou R$ 733 mil em dinheiro vivo para a mãe
Wassef, ex-advogado de Bolsonaro, é denunciado na Lava Jato
Popularidade de Bolsonaro volta a cair depois de 4 meses em alta
Eduardo Bolsonaro diz que “ruptura” democrática já não cabe mais

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora