Coaf diz que PF sabia de movimentação de Queiroz antes da eleição de 2018

Relatório reforça versão divulgada por Paulo Marinho sobre investigação de Flávio Bolsonaro, que teria recebido informações vazadas de delegado da PF

Jornal GGN – Um relatório elaborado pelo Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) confirma e reforça a entrevista concedida pelo empresário Paulo Marinho, onde ele afirma que a Polícia Federal sabia das irregularidades envolvendo Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

O documento trata de casos de movimentação financeira fora do padrão por parte de servidores da Alerj, e foi elaborado em janeiro de 2018 pelo Coaf e apresentado ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal, e integra a documentação que deu origem à chamada operação da PF “Furna da Onça”.

Segundo o jornal O Globo, o relatório explica que estavam ali relacionados casos de servidores e ex-servidores da Alerj com movimentação financeira incompatível com a renda entre 2016 e 2017. O documento tem mais de 400 páginas.

Fabrício Queiroz é citado em tabela com registro de operação fora do padrão no total de R$ 1,2 milhão, com a indicação “gabinete do deputado estadual Flávio Bolsonaro”. A movimentação financeira é detalhada ao final do documento.

Quando a operação Furna da Onça foi deflagrada pela Polícia Federal, o nome de Queiroz não foi citado nos primeiros despachos, mas o documento do Coaf é indicativo de que o caso envolvendo seu nome já era conhecido pelos investigadores.

Neste domingo, Paulo Marinho declarou em entrevista à jornalista Monica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo, que Flávio Bolsonaro recebeu informações vazadas pelo delegado da PF, afirmando que Queiroz era um dos alvos da investigação.

Outro detalhe a ser considerado: a Operação Furna da Onça era um desdobramento da Operação Cadeia Velha, iniciada em 2017 para investigar irregularidades na gestão de Sérgio Cabral. Quem estava à frente da operação desde o início era o delegado Alexandre Ramagem – que, no início de 2018, foi deslocado para a área de Recursos Humanos da PF e, no fim do ano, passou a integrar a equipe de segurança do então presidente eleito Jair Bolsonaro.

Leia também:  Resposta política à Covid-19 tem muitas medidas e pouca eficácia

 

Leia Também
Para Flávio Bolsonaro, declaração de Marinho é “invenção de alguém desesperado”
Investigação de Flávio Bolsonaro foi “brecada”, disse Bebianno
Ao contrário da Lava Jato, MP-RJ segurou dados contra os Bolsonaro até passar a eleição
Flávio Bolsonaro sabia de operação da PF contra Queiroz, diz empresário
GGN prepara dossiê sobre trajetória de Sergio Moro. Saiba como apoiar

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

4 comentários

  1. Setores da PF, do MP e militares entreguistas cometeram crimes funcionais pra eleger um fascista miliciano.
    Não adianta APENAS o impeachment de Bolsonaro e a prisão de seus filhos criminosos. É necessário limpar a PF, o MP e as Forças Armadas, não admitindo servidores fascistas. Se isto não for feito, teremos o efeito yo-yo contra o Estado Democrático de Direito.

    13
  2. Paulo Marinho parece que sempre se aproveitou da proximidade com a política, para beneficiar seus negócio e até então não havia se envolvido na vida política de fato. Foi o pivô da conversa que expôs o Ricardo Boechart quando de sua demissão da globo, em diálogo que envolvia o Daniel Dantas. Maitê Proença que foi companheira de Paulo Marinho numa relação com filhos, menciona em sua entrevista no Roda Viva, da tv Cultura que estranhava esta permissão dada ao Bolsonaro no uso de sua residência. Agora que, com a saída de Flávio Bolsonaro do cargo pode assumir a sua vaga no Senado e poder ampliar suas chances na eleição municipal de 2020, como candidato ao executivo no RJ. Sua entrevista pode ser vista como algo mais grave até que o depoimento de Moro, inclusive por que ele pode ter acesso ao telefone do Bebiano e suas denúncias tem potencial de, caso investigadas, fazer estrago nas relações do Bolsonaro.

    https://exame.abril.com.br/brasil/quem-e-paulo-marinho-empresario-do-circulo-de-bolsonaro/

    https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/12/conheca-paulo-marinho-que-foi-de-playboy-a-amigo-de-bolsonaro.shtml

    https://www.diariodocentrodomundo.com.br/entretenimento/maite-proenca-sobre-paulo-marinho-parece-que-tem-uma-pitada-de-loucura-quando-bota-o-bolsonaro-para-morar-na-casa-dele/

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome