Consórcio do Nordeste acerta a primeira compra coletiva

No vídeo, referências ao encontro com empresários alemães, para atrair investimentos para o Nordeste.

Jornal GGN – A assembleia de hoje, do Consórcio do Nordeste, definiu o primeiro contrato de compra coletiva, assim como a posição dos governadores em relação à reforma fiscal, ao Fundeb (Fundo de Apoio à Educação Básica) e ao desmonte da Petrobras, especialmente em suas unidades do nordeste. Fala também sobre o encontro com empresários alemães, para atrair investimentos para o Nordeste.

Governadores do Nordeste reunidos em Natal para mais um fórum do #ConsórcioNordeste. Acompanhe a coletiva ao vivo!

Publicado por Rui Costa em Segunda-feira, 16 de setembro de 2019

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Lei Maria da Penha e o caso Simpson, comentário de Carlos Elisio

3 comentários

  1. Tendo em vista a declarada intenção da Petrobras de reduzir (e até mesmo encerrar completamente) suas atividades no nordeste, este consórcio poderia pensar numa solução para o caso.
    Talvez até mesmo criando uma empresa estatal com capital proporcionalmente dividido entre os estados e assumindo os ativos que a Petrobras quer se desfazer. Seria uma bela resposta ao governo federal e a todos os que acreditam que estes negócios deveriam ser privatizados para serem lucrativos.
    Esta solução dependeria de algum arranjo legal para acontecer, dado que a Petrobras não pode transferir ativos para quem ela quiser sem algum tipo de concorrência. Mas creio que isso poderia ser resolvido no congresso. Seria excelente para todos. Os empregados que desejassem permanecer em suas cidades e postos de trabalho teriam a opção de migrar para a nova empresa. O Nordeste ganharia uma empresa estatal de petróleo de porte razoável (com produção de cerca de 180 mil boed e duas grandes refinarias) e com corpo técnico dedicado e experiente. A Petrobras iria se desfazer de ativos que ela não quer manter mas sem precisar lidar com as pressões políticas inerentes.
    Pena que essa mensagem não vai chegar a ninguém que tenha algum poder pra levá-la adiante.

    8
    1
  2. Concorrência e Pressão com o fim de 9 décadas de Estado Absolutista e seus Feudos, na Indústria da Seca, da Vitimização, da Pobreza. O Parasitismo Estatal enfim perde a ‘grande teta’ do Estado Nacional e seus recursos de Brasilia. O Coronelato é obrigado a movimenta-se com a independência, liberdade, dignidade e evolução que chega juntamente com o AgroNegócio. AgroNegócio em região onde a doutrina era o Coitadismo da Indústria da Seca Interminável? Enfim a montanha se movimenta. ‘Conheceis a Verdade. E a Verdade Vos Libertará’. Pobre país rico. Mas de muito fácil explicação.

    3
    5
  3. Com a INÉRCIA do governo federal, com ESSAS PRÁTICAS antigas e ultrapassadas, ESTÃO destruindo o Brasil.
    São 09 MESES DESSA desgraça MENTIRA intolerância religiosa PIBINHO POBREZA e CONTRA A SAÚDE EDUCAÇÃO SEGURANÇA PÚBLICA INFRAESTRUTURA
    O governo da morte só fala em CORTES e perdão das dúvidas dos FAZENDEIROS e EMPRESÁRIOS e POLÍTICOS HONESTISSIMOS kk

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome