Coordenador da Funai omite participação em projeto de evangelização de indígenas

Atuação simultânea de Ricardo Lopes Dias na coordenação do setor do índios isolados e nos projetos de evangelização de indígenas gera conflito de interesses

Ricardo Lopes Dias

Jornal GGN – Ao assumir a Coordenação Geral de Índios Isolados e de Recente Contato, da Fundação Nacional do Índio (Funai), Ricardo Lopes Dias afirmou que há 10 anos estava afastado da evangelização de indígenas organizada pela ONG Missão Novas Tribos do Brasil (MNTB). Mas, segundo reportagem do O Globo, o antropólogo omitiu as informações e continua atuando nos bastidores das missões evangélicas em terras indígenas. 

A ação de Lopes Dias caracteriza conflito de interesses de acordo com o cargo que ocupa na Funai. A coordenação-geral de índios isolados é responsável pelo gerenciamento de 11 frentes de Proteção Etnoambienal e de 19 bases espalhadas em sete estados da Amazônia. Com isso, Lopes Dias tem acesso a informações confidenciais sobre povos isolados e de recém contato, além da permissão para entrar nas terras indígenas. 

O coordenador afirma que está afastado da evangelização de indígenas há 10 anos. Mas, em 2013, após missões cristã com os índios matsés no Vale do Javari, Lopes Dias e sua esposa implantaram na Primeira Igreja Batista de Guaianases (PIBG), em São Paulo, um projeto voltado para evangelização indígena, destacou reportagem.

Lopes Dias também trouxe para São Paulo a jovem Marina, índia do povo mayoruna, em troca de financiar seus estudos missionários e a faculdade de pedagogia. Marina é conhecida como o “caso de sucesso” do projeto de evangelização do casal na PIBG. 

Em 2018, no Dia do Índio, o trabalho missionário de Lopes Dias e sua esposa foi elogiado nas redes sociais pelo coordenador do grupo e do setor de Missões da igreja de Guaianases, Glaziano Lima. “O Conselho Missionário da Primeira Igreja Batista em Guaianases agradece e parabeniza os nossos missionários pelo trabalho com os índios, convido você a parabenizá-los: Pastor Ricardo Lopes Dias, Alerte Dias, Pastor Alberto França e Missionária Rita Mateus “, escreveu.

Além disso, no final de 2019, Lopes Dias fez parte uma negociação envolvendo o jovem indígena Aldemar Decha Mayoruna, do povo matsés. Para a reportagem do O Globo, Aldemar afirma que Lopes Dias prometeu uma ajuda de custos para ele estudar na Unievangélica, universidade de Anápolis, em Goiás, parte da MNTB. Mas, segundo o jovem, Lopes Dias mentiu e ele tem enfrentado dificuldades para se manter na nova moradia.

Coronavírus

O Ministério Público Federal (MPF) pede à Justiça a suspensão da nomeação de Lopes Dias da coordenação-geral do setor de povos isolados da Funai. Segundo o órgão, o coordenador teve “conduta omissiva” frente a pandemia do novo coronavírus no que diz respeito à proteção dos povos isolados e de recém contato.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora