Escândalo dos grampos ilegais de Moro é aposta de Lula no STF

Em nota, PT pede anulação do caso triplex, após descobrir que a Polícia Federal não só grampeou como também produziu relatórios de conversas a partir do ramal dos advogados de Lula

Jornal GGN – A defesa de Lula aposta numa ação ainda pendente no Supremo Tribunal Federal para anular a sentença do caso triplex. E a “base” deste recurso seria, segundo divulgou a Folha nesta quinta (6), o escândalo dos grampos ilegais nos advogados do ex-presidente, autorizados por Sergio Moro.

Nesta quinta (6), a Folha de S. Paulo indicou que além do grampo ter sido ilegal – pois feito em escritório de advocacia – a Polícia Federal ainda ouviu as conversas e produziu relatórios com comentários, durante a investigação contra Lula.

Há pelo menos 14 horas de gravação e inúmeros arquivos no sistema de computadores da 13ª Vara Federal de Curitiba. Um dos antigos advogados da banca Teixeira & Martins teria acessado parte dos arquivos. Moro, enquanto juiz, impedia a extração dos documentos, e determinava que a consulta só poderia ser feita na presença de um agente policial.

Moro já foi repreendido publicamente pelo ex-ministro Teori Zavascki por conta do modo como autorizou e vazou grampos contra Lula e outras pessoas, na Lava Jato. Mas o hoje ministro da Justiça jamais sofreu qualquer sanção por sua conduta errática.

O advogado Cristiano Zanin, que defende Lula, disse à Folha que a interceptação do telefone “para acompanhar em tempo real a estratégia de defesa do ex-presidente Lula, como ficou provado, foi um verdadeiro atentado contra a advocacia e o Estado de Direito no nosso país”.

“A iniciativa revelou o desprezo de algumas autoridades com o direito de defesa e com a função constitucional do advogado na administração da Justiça. É lamentável que a despeito da gravidade da conduta os envolvidos ainda ocupem relevantes cargos públicos e não tenham sofrido qualquer consequência jurídica”, acrescentou.

Em nota, o PT afirmou que ” grampo autorizado por Moro violou frontalmente o Artigo 7º. do Estatuto da Advocacia, que garante a inviolabilidade da correspondência e das comunicações telefônicas de advogados no exercício da defesa.”

Leia também:  O Prêmio Nobel de Economia e as fórmulas para reduzir a desigualdade

“A utilização de informações obtidas ilegalmente sobre a estratégia da defesa deve produzir, na vigência dos estado de direito democrático, a anulação do processo contra Lula, que está preso sem ter cometido nenhum crime.”

Advogado ouvido pela Folha contraria essa visão. Para Pierpaolo Bottini, tudo que foi obtido a partir da interceptação ilegal deve ser anulado, mas o processo se mantém em pé com as demais provas.

Leia a nota completa.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

11 comentários

  1. PierPaolo Bottini não deve ter lido, não sabe ler ou esta falando com profunda má fé. Esta acusação é uma vergonha traduzidas em muitas línguas. E no mundo este processo é motivo de ridicularização perplexidade, e muita preocupação, pois fere o estado de direito. Pier Palo Bottini, está dizendo que a justiça é um vale tudo, principalmente quando não é contra um seu cliente. Antes de falar isto ao publico devia enunciar o que seriam as provas já que o ṕroprio condenador afirma textualmente não as te-las.

  2. É possível que isso seja apenas UMA das diversas ilegalidades perpetradas pela “República” de Curitiba, sob a batuta do Dr. Sérgio “CONGE” Moro. A arguição é de possibilidade porque, como reza o ditado popular, “o cesteiro que faz um cesto faz um cento”.
    O então juiz nunca fez questão de esconder seu empenho em condenar o ex-presidente.
    Não devo nem posso afirmar nada acerca de eventual direcionamento no processo porque não existe – por enquanto – provas materiais contundentes.
    Recebe, por esse aspecto, o benefício da dúvida. Só que no meu íntimo sinto que um elas aparecerão e ele, enfim, receberá a punição devida.

  3. É possível que isso seja apenas UMA das diversas ilegalidades perpetradas pela “República” de Curitiba, sob É a batuta do Dr. Sérgio “CONGE” Moro. A arguição é de possibilidade porque, como reza o ditado popular, “o cesteiro que faz um cesto faz um cento”.
    O então juiz nunca fez questão de esconder seu empenho em condenar o ex-presidente.
    Não devo nem posso afirmar nada acerca de eventual direcionamento no processo porque não existe – por enquanto – provas materiais contundentes.
    Recebe, por esse aspecto, o benefício da dúvida. Só que no meu íntimo sinto que um elas aparecerão e ele, enfim, receberá a punição devida.

  4. Em julho do ano passado, a justiça do DF absolveu Lula em processo sobre obstrução da Lava Jato. O juiz responsável pelo caso era Ricardo Leite, também da 10ª Vara Federal Criminal da capital federal.
    fonte; Brasil de Fato

  5. Se consta da Sentença Condenatória “CAUSA INDETERMINADA”, por que ainda se falar em PROVAS? A causa indeterminada caracteriza a condenação de todo e qualquer preso político. Razão: não existe “causa ideológica”.

  6. Se alguém clonasse o celular do $érgio Moro pressupondo que era o celular de uma outra pessoa, essa clonagem se justificaria?

  7. Lula está sendo tolinho ao tentar se valer desses argumentos em sua defesa.
    Será que ele não percebeu que uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa?
    O moro está na categoria de humano diante da “justiça brasileira”, o Lula não.

  8. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome