Governo Bolsonaro reduz gastos com campanhas de vacinação

Mesmo com orçamento maior, Ministério da Saúde reduziu de 21% a 24% verbas de propagadas deste tipo nos últimos dois anos

Carolina Antunes/PR

Jornal GGN – O governo de Jair Bolsonaro (sem partido) reduziu os gastos com campanhas de incentivo a vacinação nos últimos dois anos, em comparação as últimas gestões federais, de acordo com dados obtidos pelo portal Uol. 

A quebra de uma trajetória de investimentos, mostra a redução de 21% nos valores pagos em propaganda de imunização nacional no ano passado, considerando a correção da inflação no período, em relação a 2018. 

Em 2019, os recursos investidos nessas campanhas caíram de R$ 77 milhões para R$ 60 milhões, conforme dados da execução orçamentária e do próprio governo. 

Já neste ano, até o último dia 22 de dezembro, os valores gastos com as campanhas foram ainda menores, em comparação aos últimos dois anos. Campanhas deste tipo receberam  apenas R$ 45,7 milhões em 2020, uma queda de 24% em relação ao primeiro ano da gestão de Bolsonaro. 

Esses valores, no entanto, não se referem ao montante previstos para divulgação da vacinação contra a pandemia da covid-19, nem sobre os gastos com compra de imunizantes.

Segundo o Ministério da Saúde, a redução com gastos em 2019 se deve “à redução orçamentária” da pasta. No entanto, o governo não se manifestou sobre a situação deste ano. 

Contudo, a justificativa contradiz os dados do orçamento do ministério comandado pelo general Eduardo Pazuello. Conforme informado pelo Uol, entre 2015 e 2020, o orçamento da pasta passou de R$ 131 bilhões para R$ 160 bilhões pagos — com um ano de queda: 2017. Além disso, nos governos anteriores, mesmo quando o orçamento caiu, os gastos com campanhas de vacinação subiram.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora